• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Saúde »

Óleo de coco é o novo queridinho das farmácias naturais

Sociedade de endocrinologia alerta para os riscos do uso

Fernanda Nazaré - Publicação:29/11/2012 17:46Atualização:29/11/2012 18:40
 (Reprodução/ internet)
Verão chegando e quem engordou alguns quilinhos no último inverno começa a correr atrás do prejuízo, literalmente. Mas, vários “atletas de verão”, que buscam a malhação e hábitos alimentares mais saudáveis para exibir uma silhueta mais enxuta nas praias e piscinas, também estão recorrendo a produtos oferecidos pelas farmácias naturais e de manipulação. A sensação do momento são as cápsulas de óleo de coco.

Os defensores do óleo de coco afirmam que, com o consumo diário, é possível eliminar até três quilos por semana. Um deles é o médico homeopata Márcio Bontempo, especialista em saúde pública e presidente da Federação Brasileira de Medicina Tradicional. “O óleo de coco aumenta a produção de calor no organismo, queimando as gorduras e auxiliando o emagrecimento. Ele estimula o metabolismo e, além de queimar gorduras, converte as calorias em energia”, conta Bontempo.

Contudo, ele explica que os benefícios só estão presentes na versão extra virgem, obtida por prensagem a frio, sem refinação. “Apesar de saturada, sua gordura de origem vegetal não tem colesterol e é digerida e absorvida facilmente pelo organismo”, diz o médico.

De acordo com a diretora da farmácia de manipulação Farmacotécnica, Rogy Tokarski, nesta época do ano, as vendas aumentam cerca de 30% por conta dos produtos emagrecedores. Há outros artigos que também prometem auxiliar na perda de peso e que são procurados nas prateleiras. “O chá verde e chá branco, colágeno, óleo de carthamo, a semente de chia e a farinha de coco – muito usado em receitas, vendem bem”, conta Tokarski.

Advertência

Para a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - DF (SBEM), não é recomendável usar o óleo de coco como substituto da alimentação saudável e a prática de exercícios. “Ainda não conheço algum estudo científico que comprove o emagrecimento com óleo de coco. Mas se ele for usado como um complemento, por trazer componentes que ajudam a combater o alto colesterol, mas não tem nenhuma substância no óleo de coco que aumente o metabolismo ou tire o apetite”, alerta a endocrinologista e presidente da SBEM-DF, Monalisa Azevedo.

Quem busca o auxilio no emagrecimento com remédios naturais, a médica ainda atenta para outro detalhe. Segundo ela, esses produtos ditos “naturais” para emagrecimento, são rotulados assim pela indústria das farmácias de manipulação para dizer que os produtos não são maléficos. “Isso não garante que ele não oferecerá risco nenhum. Esses tipos de componentes não são considerados medicamentos, então não são inspecionados (por órgãos federais). Não se sabe se ali realmente tem só óleo de coco. Será que todas as cápsulas têm a mesma quantidade... etc?” questiona a endocrinologista.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017