• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Astrologia »

Astrólogo faz previsões para o país em 2013

Se depender de saturno o crescimento do Brasil continuará baixo no próximo ano

Da redação - Redação Publicação:06/12/2012 13:51Atualização:06/12/2012 14:00
Com assessorias

'O ano será de progresso para setores ligados à mídia e publicidade', afirma o astrólogo João Bidu (Divulgação)
"O ano será de progresso para setores
ligados à mídia e publicidade", afirma o
astrólogo João Bidu
Para alguns o final do ano de 2012 será o fim da humanidade. No entanto, muitos acreditam que a vida vai continuar e que os homens tem razões para olhar para frente e continuar a enfrentar desafios. João Bidu, um dos mais famosos nomes da astrologia brasileira, faz suas previsões para o Brasil no próximo ano.

Sob a influência de Saturno, o planeta regente de 2013, deve-se esperar por um ano de muito trabalho, mas também de conquistas sólidas e duradouras. A seguir alguns dos pontos do Brasil analisados pelo astrólogo:

GOVERNO

Saturno é limitador, e por isso o governo terá que intervir mais para evitar queda no consumo, combater o desemprego e até mesmo a instabilidade no valor do Real. Por isso, se depender de Saturno, o crescimento do Brasil continuará em queda.

EDUCAÇÃO E COMÉRCIO
Educação e comércio com países vizinhos estarão em destaque, mas o Brasil pode endurecer posições nos interesses comerciais. Esta influência saturniana pode ser amenizada ou até neutralizada a partir de abril, quando Júpiter, planeta que expande, entra no ponto mais alto do horóscopo do Brasil.

CONQUISTA
Pelo menos uma conquista espetacular o País deve obter em 2013. O ano será de progresso para setores ligados à mídia, publicidade, meios de transportes e indústria automobilística.

CENÁRIO MUNDIAL
Ano que motiva grandes transformações e políticos, empresários, pessoas mais velhas e artistas terão papel destacado. Os mais experientes, principalmente do sexo masculino, podem brilhar mais.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 57 | Setembro de 2017