• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Transporte »

Aeroporto JK deve ser conexão nacional

Consórcio Inframérica, formado por Infraero, Infravix e Corporación America, pretende deixar o terminal de Brasília como principal conector de voos do Brasil

Evelin Campos - Agência Brasília - Redação Publicação:11/12/2012 15:18Atualização:11/12/2012 15:32
O governador Agnelo Queiroz e o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, vistoriam as obras no aeroporto JK (Roberto Barroso/Agência Brasília?Divulgação)
O governador Agnelo Queiroz e o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, vistoriam as obras no aeroporto JK
O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, acompanhado do ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, visitou as obras do Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek. As melhorias estão sendo feitas nos 13 aeroportos que serão utilizados na Copa do Mundo de 2014. Em Brasília, o investimento total será de R$ 2,85 bilhões, sendo R$ 750 milhões em obras que serão entregues até o mundial.

Antes de vistoriar a reforma e ampliação do pátio, o governador assistiu a uma apresentação sobre o conjunto de obras que será executado pelo Consórcio Inframérica, formado por Infraero, Infravix e Corporación America. As mudanças vão melhorar os serviços prestados e aumentar a capacidade do aeroporto, que hoje é o 3º mais movimentado do país, com fluxo de mais de 15 milhões de passageiros por ano.

"A reforma e a ampliação do aeroporto são estratégicas para o desenvolvimento econômico de Brasília. Ele mudará de conceito e se tornará um importante centro comercial da cidade, se consolidando como hub (concentrador de voos) nacional", destacou Agnelo Queiroz. "Para isso, tomaremos medidas de infraestrutura para dar suporte a esse crescimento. Elas incluem transporte público e um segundo acesso para aprimorar a mobilidade", completou.

Entre as melhorias previstas estão a construção de 15 novas posições de embarque, reformas nos terminais e nas pistas de decolagem, e ampliação do estacionamento para 3 mil vagas. Além disso, o local terá a maior sala VIP da América Latina, com diversos serviços para os passageiros. "Nosso objetivo é que todos saiam daqui satisfeitos com o conforto oferecido", afirmou o vice-presidente do consórcio, Antônio Droghetti.

O ministro Wagner Bittencourt ressaltou a importância das obras do aeroporto de Brasília, que terá sua capacidade ampliada para 20 milhões de passageiros durante a Copa. "Esse será o aeroporto central da América Latina. As obras precisam de planejamento, já que serão executadas com o aeroporto em funcionamento, e isso está sendo feito. Tenho certeza que Brasília terá um aeroporto moderno, que atenderá muito bem não apenas durante os eventos, mas no dia a dia", enfatizou. Os investimentos totais na reforma e ampliação do aeroporto vão aumentar a capacidade para 41 milhões de passageiros nos próximos 20 anos.

Potencial para crescer –
O Aeroporto Internacional de Brasília é um dos principais do Brasil e da América Latina. A localização geográfica favorece o terminal, que recebe e distribui mais de 400 voos diariamente. O aeroporto oferece voos para 44 destinos em todas as regiões do país. Para o exterior, opera sete voos diretos: um para Portugal (Lisboa), três para os Estados Unidos (um para Atlanta e dois para Miami), um para o Peru (Lima), um para o Uruguai (Montevidéu) e um para o Panamá. Há, ainda, um voo com escala para Rosário, na Argentina, e um voo charter (previamente reservado) para Aruba, no Caribe.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017