• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cidades »

Eixo Monumental ganha ciclovia

A região plana da caiptal já convida ao passeio de bicicleta. Agora os apaixonados por esse meio de transporte têm espaço oficial

Agência Brasília - Redação Publicação:17/12/2012 10:02Atualização:17/12/2012 10:10
Governador Agnelo Queiroz participa do passeio ciclístico na abertura da ciclovia (Roberto Barroso/Agência Brasília/Divulgação)
Governador Agnelo Queiroz participa do passeio ciclístico na abertura da ciclovia
Para incentivar o uso da bicicleta nas ruas de Brasília, o GDF, por meio do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), lançou o projeto Ciclofaixas do Lazer Monumental. O governador Agnelo Queiroz, acompanhado da primeira-dama, Ilza Queiroz, compareceu ao evento experimental. O objetivo é criar um novo espaço para o trânsito de bicicletas na área central de Brasília, além de promover o turismo da capital.

A iniciativa foi testada pelo governador. Acompanhado por dezenas de ciclistas, Agnelo Queiroz pedalou todo o percurso de 7km da ciclofaixa experimental. "Esse primeiro circuito será ampliado progressivamente e pode ser considerado turístico, porque passa por vários monumentos. Nosso grande objetivo é incentivar a utilização da bicicleta com absoluta segurança. Isso estimulará seu uso para o lazer e o transporte", declarou Agnelo Queiroz.

O Detran reservou a faixa das vias N1 e S1 do Eixo Monumental, entre a Torre de TV e a Igreja Rainha da Paz. O teste de hoje foi filmado pelo Departamento de Trânsito, para que possam ser avaliados os pontos de retenção durante o trajeto e eventuais mudanças na sinalização da faixa.

Agentes de trânsito, em 12 viaturas, realizaram o controle do tráfego no local durante o dia. Uma equipe de educadores também esteve presente para promover a conscientização sobre a convivência harmoniosa entre motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres.

Faixa exclusiva - A partir da segunda quinzena de janeiro, aos domingos e feriados, uma faixa do Eixo Monumental será exclusiva para o trânsito de bicicletas, possibilitando que ciclistas a utilizem com mais frequência. O trajeto completo, da Igreja Rainha da Paz até a Esplanada, será de 15km.

O diretor-geral do Detran-DF, José Alves Bezerra, informou que o órgão planeja realizar Parcerias Público-Privadas (PPPs), no próximo ano, para permitir que a população tenha bicicletas gratuitas à disposição nas ciclofaixas. "O incentivo ao uso da bicicleta ganha força com a criação de novos espaços que os ciclistas possam utilizar. A finalidade é reduzir cada vez mais a quantidade de automóveis nas ruas", explicou Bezerra.

O secretário de Turismo, Luis Otávio Neves, destacou a importância da bicicleta como meio de transporte no fortalecimento da atividade turística no Distrito Federal. "Ao mesmo tempo que os ciclistas ganharão mais espaço na cidade, será possível ampliar a oportunidade de visitas aos pontos turísticos por onde passam", comentou o secretário.
 

O auxiliar de contabilidade Helder Marques, 28 anos, que pedala frequentemente no DF, participou do trajeto experimental na ciclofaixa e aprovou a iniciativa do GDF. "É uma ideia excelente, porque com o crescimento do número de carros o ciclista vai perdendo cada vez mais seu espaço", disse Marques.
 

Mobilidade – O governador Agnelo Queiroz ressaltou que a política de Mobilidade por Bicicleta do Governo do Distrito Federal prevê a ampliação das ciclovias no DF para 600km até 2014. "Queremos interligar toda a cidade, para que o ciclista possa utilizar as vias com mais segurança. Em dois anos de governo, já ultrapassamos 200km de ciclovias feitas", destacou o governador.


Em janeiro, o GDF deu início às obras das ciclovias em diversas regiões administrativas. Já foram concluídos 130km no Plano Piloto, 8km no Sudoeste, 33km no Recanto das Emas, 18k em Santa Maria, 31km em Ceilândia, e 25km no Gama. O projeto é coordenado pela Casa Civil e executado pela Secretaria de Obras, pela Companhia de Urbanização da Nova Capital (Novacap) e pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF).
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017