• (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cidades »

Para voltar das férias sem surpresas

Especialista em segurança dá dicas para evitar roubo em imóvel durante viagem de férias

Da redação com Assessorias - Redação Publicação:18/12/2012 15:33Atualização:18/12/2012 15:45

 (Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
Com a chegada do fim do ano, muita gente não pensa em outra coisa além das tão esperadas férias. Mas antes de pegar a estrada, é importante garantir a segurança das residências para não ter tristes surpresas ao regressar.

 

De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas de Segurança Privada, Sistemas de Segurança Eletrônica, Cursos de Formação e Transporte de Valores no Distrito Federal (Sindesp/DF), Irenaldo Lima, entre dezembro e fevereiro, o crescimento do mercado de segurança chega a 70%. Entretanto, investir em segurança não significa gastar muito dinheiro. Existem medidas das mais diversas faixas de preço, inclusive a custo zero.

 

A ajuda de um vizinho de confiança é uma delas. “Peça ao morador ao lado para recolher as correspondências, não deixando-as jogadas na garagem, nem em excesso na caixinha dos Correios. Além disso, o vizinho pode, todas as noites, acender as lâmpadas da garagem e do corredor, por exemplo. A ideia é evitar que pessoas mal intencionadas percebam a ausência dos moradores e aproveitem para agir”, alerta Irenaldo. Alguns jornais e revistas permitem o cancelamento temporário do envio ou a entrega em outro endereço.

 

Para quem mora em apartamento, a dica é informar ao síndico e aos porteiros, inclusive por meio de documento, que os moradores estarão em viagem e que, portanto, eles devem ter mais atenção com o imóvel naquele período. Usar e abusar da discrição é essencial, independente do tipo de habitação.

O presidente do sindicato explica que deve se pensar duas vezes antes de espalhar a notícia de que vai viajar. Ser discreto é importante até na hora de arrumar a bagagem no carro. “Muita gente comete o erro de parar o veículo em frente de casa, deixar o portão aberto e arrumar as malas de maneira escandalosa, chamando a atenção de quem está por perto”, alerta o presidente.

 

Lima salienta que tão importante quanto lembrar dos itens de segurança residenciais é contratar somente firmas legalizadas e autorizadas pelo poder público a prestar este tipo de serviço. Quem acha que contratar empresa clandestina é mais barato, acaba tendo muitos prejuízos. Portanto, desconfie de propostas de orçamento que estejam muito abaixo do valor de mercado.

 

“Nas empresas regularizadas, um kit completo, contendo sensor de presença, cerca elétrica e câmeras custa entre 3.500 e 5.000 mil reais. Esse investimento é para utilização permanente. Além disso, o morador deve contratar os serviços de monitoramento, que custam cerca de 100 reais por mês”, explica o presidente do Sindesp/DF.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017