• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Energia »

Ministro afasta risco de racionamento

Segundo Édison Lobão: "O país possui estoque de energia firme, seguro e em quantidade para atender a todas as necessidades energéticas"

Da redação com Ministério de Minas e Energia - Redação Publicação:10/01/2013 15:36Atualização:10/01/2013 15:39
 (Valter Campanato/ABr/Divulgação)
Após a 124ª reunião ordinária do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), o ministro de Minas e Energia Edison Lobão descartou por completo a possibilidade de racionamento de energia elétrica em função do baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas.

"Na reunião de avaliação, em que discutimos amplamente as condições do abastecimento, ficou a tranquilidade de que o país possui estoque de energia firme, seguro e em quantidade para atender a todas as necessidades energéticas", afirmou o ministro, durante entrevista coletiva, em que participaram o Secretário de Energia do MME, Ildo Grudtner, e o Operador Nacional do Sistema Elétrico Nacional (ONS), Hermes Chipp.

O ministro Edison Lobão observou que o Brasil dispõe hoje de uma capacidade instalada de 120 mil megawatts de potência, e que há dez anos possuía pouco mais de 70 mil. “Temos uma rede de transmissão de 106 mil quilômetros, quando há poucos anos era de 73 mil km. O País está interligado pelas linhas do Sistema Interligado Nacional. Onde houver uma carência de energia, ali será suprido por outra região. Isso faz parte de um conjunto de providências que foram tomadas ao logo dos anos para garantir a segurança energética do País” .



Embora tenha havido, neste início de ano, condições meteorológicas desfavoráveis, prevê-se, na avaliação dos centros de meteorologia, uma reversão do quadro, com aumento das chuvas ainda durante o mês de janeiro. No 1º trimestre, nas bacias da região Sudeste/Centro-Oeste , que representam 70% da capacidade de armazenamento do sistema, espera-se um volume de chuvas próximo à média histórica.

Dados apresentados na reunião mostraram que somente em 2013 serão acrescidos cerca de 8,5 mil megawatts de capacidade instalada e 8,8 mil quilômetros de linhas de transmissão.

A respeito do despacho de usinas termelétricas, o ONS informou que, confirmadas as previsões de hidrologia favorável, indicadas pelos centros de meteorologia, gradativamente, as usinas serão desligadas.

Foi apresentada também uma síntese dos trabalhos realizados pelas forças tarefa, que têm por objetivo acompanhar as medidas necessárias para garantir o atendimento adequado às capitais-sede para a Copa de 2014.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017