• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Economia »

CEO's da América Latina estão mais confiantes

Citada por 31% dos CEOs, a China está no topo da lista de países vistos como mais promissores para o crescimento futuro, seguido de os EUA (23%), Brasil (15%), Alemanha (12%) e Índia (10%)

Da redação com Assessorias - Redação Publicação:28/01/2013 14:15Atualização:28/01/2013 16:40

 

Os CEOs da América Latina contrariam a tendência cautelosa revelada pelos executivos de outras regiões do mundo. A confiança deles no crescimento das empresas em curto prazo subiu para 53%, ligeiramente maior que o do ano passado em que 51% previam aumento nas receitas.

Os resultados da PwC foram divulgados na 16ª Annual Global CEO Survey, antes da seção de abertura do encontro anual do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

Pouco mais de 1/3 (36%) dos CEOs em todo o mundo estão "muito confiantes" em relação ao crescimento de suas empresas nos próximos 12 meses, de acordo com a 16ª Annual Global CEO Survey da PwC. Em comparação com o ano anterior, houve uma pequena queda de 4%. Em 2012, os executivos estavam mais otimistas no desempenho de curto prazo de suas companhias com 48% dos entrevistados "muito confiantes". Apesar dos resultados mostrarem recuo na expectativa de crescimento, ainda está longe do índice mais baixo registrado pela consultoria: o percentual chegou a 21% em 2009 e a 31% em 2010.

Otimistas, mas nem tanto...


Considerando o cenário econômico em geral, a perspectiva dos líderes é mais otimista do que na edição anterior da pesquisa, na qual a maioria dos CEOs (48%) apostava no declínio da economia. Neste ano, 28% acreditam que a economia global irá piorar nos próximos 12 meses e apenas 18% preveem um cenário econômico melhor. Para a maioria (52%), o desempenho econômico será igual ao do ano passado.

Na Europa Ocidental os CEOs são os que demonstram menos otimismo quanto aos resultados de suas empresas em curto prazo. Enfrentando um período de recessão, apenas 22% se declaram "muito confiantes" na expansão dos negócios. O nível de confiança dos executivos da região vem caindo nas recentes edições da pesquisa. No ano passado, 27% deles estavam "muito confiantes" e em 2011, 39%.

A confiança no crescimento em curto prazo também caiu na América do Norte, de 42% em 2012 para 33% em 2013 e na região da Ásia-Pacífico, 42% em 2012 para 36% em 2013. Na África, visto por muitos como a próxima nação a sofrer um boom econômico, a confiança dos CEOs no crescimento das empresas caiu de 57% no ano passado para 44% nesta edição da pesquisa.

Levando em consideração uma amostra de países, a confiança variou muito: a Rússia é onde os CEOS mais acreditam em boas taxas de crescimento (66%), seguido de perto pela Índia (63%) e México (62%). Outros países também chamam a atenção neste ranking, como o Brasil (44%), China (40%), Alemanha (31%), EUA (30%), Reino Unido (22%), Japão (18%), França (13%) e finalmente Coréia, onde apenas 6% dos CEOs estão muito confiantes no crescimento da receita no próximo ano.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017