• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Música »

Renato Russo faz show 17 anos depois de sua morte

Tecnologia "ressussitará" o célebre músico de Brasília que fez história no rock nacional

Agência Brasília - Redação Publicação:01/03/2013 15:21Atualização:01/03/2013 15:42

Vocalista e guitarrista da banda Legião Urbana Renato Russo e Dado Villa Lobos, durante show da banda na Sala Villa Lobos, em Brasília - 1986 ( Mila Petrillo/CB/D.A Press)
Vocalista e guitarrista da banda Legião Urbana Renato Russo e Dado Villa Lobos, durante show da banda na Sala Villa Lobos, em Brasília - 1986
 

O líder da Legião Urbana, Renato Russo, voltará a Brasília – cidade que o projetou no cenário do rock nacional – quase 17 anos após a sua morte. O último show da banda na capital foi em 1988. Desde então, o artista sonhava em retornar ao Distrito Federal.

O espetáculo, que projetará o artista em holograma, foi idealizado pelo líder da Legião Urbana há 25 anos e será concretizado em apresentação única na capital federal.

O projeto será concretizado no show Renato Russo Sinfônico, anunciado nesta quinta-feira pelo governador Agnelo Queiroz. O espetáculo, marcado para 29 de junho, será o primeiro evento cultural do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha e terá a imagem do cantor projetada em holograma.

Graças aos avanços tecnológicos e ao empenho do produtor Giuliano Manfredini, filho de Renato Russo, cerca de 50 mil fãs da Legião Urbana poderão participar do show. A apresentação será única em todo o Brasil. "Um dos pontos fortes desse espetáculo é que Brasília sempre foi a musa do meu pai. E essa é uma grande oportunidade para pessoas da minha geração, por exemplo, aproveitarem essa faísca da força que ele tinha", explicou Giuliano.

Renato e Orquestra

O projeto, idealizado por Renato Russo e pelo maestro Silvio Barbato – morto em acidente aéreo em 2009 – , será conduzido pela Orquestra Nacional de Brasília, sob regência do maestro Claudio Cohen. Também estão confirmados importantes nomes do cenário musical brasileiro, como Lobão, Zélia Duncan, Igor Cavalera (da banda Sepultura), além de outros artistas. "A intenção é renovar o conceito de tributo. A gente tem a preocupação de trazer frescor à apresentação com nomes de diferentes segmentos. Queremos trazer músicos de fora para cantar Brasília", comentou o produtor artístico André Noblat.

O espetáculo, orçado em cerca de R$ 4,5 milhões, está em processo de captação de recursos, por meio da Lei Rouanet, e cobrará ingressos a preços acessíveis. "O objetivo é Legião Urbana para todos, justamente para homenagear esse recomeço com o Estádio Mané Garrincha", completou Giuliano. A produção do espetáculo ainda não definiu o número de músicas do show e em qual faixa o cantor aparecerá.

Efeitos visuais

 

O diretor hollywoodiano Mark Lucas, ganhador de um Emmy - prêmio americano de entretenimento - , será o responsável pela direção artística e filmagem do espetáculo, que será transmitido ao vivo por um canal de TV à cabo e gravado em CD, DVD e Blu-Ray.

A projeção da imagem holográfica ficará por conta da empresa americana V-Squared Labs, a mesma que atuou no festival Coachella, onde um vidro semirrefletor invisível para o público reproduziu no palco a imagem do rapper Tupac Shakur. Cada movimento foi criado pela Digital Domain com base nos acervos do artista.

O mesmo deve ocorrer com Renato Russo, para projetar uma apresentação inédita do cantor, e não apenas uma reprodução de algo já feito por ele.

Chamada de Fantasma de Pepper, a técnica de hologramas foi criada há 150 anos pelo ilusionista inglês John Pepper.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017