..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cultura »

Site resgata 66 anos de história do teatro infantojuvenil no Brasil

Desde a primeira peça infantil encenada no Brasil, até espetáculos mais recentes: arquivo tem vasto acervo com artigos, críticas, imagens, entrevistas e informações sobre espetáculos

Da redação com Agência Brasil - Publicação:08/09/2014 10:46Atualização:08/09/2014 11:24
Nilson Penna interpretou o Relógio, na  primeira peça infantil encenada no Brasil (Reprodução site cbtij.org.br)
Nilson Penna interpretou o Relógio, na
primeira peça infantil encenada no Brasil
As mais de seis décadas de história do teatro infantojuvenil no Brasil estão amplamente documentadas em um portal lançado na última semana pelo Centro Brasileiro de Teatro para a Infância e Juventude (CBTIJ). Resultado de um intenso esforço de pesquisa, o site reúne um acervo que a partir de agora pode ser facilmente acessado pelos milhares de profissionais que atuam na área em todo o país, além de ser referência para estudos acadêmicos sobre esse segmento teatral.

Desde a primeira peça infantil encenada no Brasil – O Casaco Encantado, de Lucia Benedetti, em 1948, pela Cia. Artistas Unidos, da atriz Henriette Morineau – , passando por nomes como Maria Clara Machado, Ilo Krugli, Maria Helena Kuhner e Tim Rescala, até os espetáculos mais recentes, as informações reunidas no portal estão catalogadas em 34 páginas principais, que se subdividem em mais de 2 mil páginas internas. São 141 artigos e reflexões, 778 críticas, 4.551 imagens (fotos, cartazes e programas de peças), 44 entrevistas e 772 informações sobre espetáculos.

“O site da CBTIJ já existe há quase dez anos, mas a informação que continha não era catalogada. Não tínhamos um banco de dados e um sistema de pesquisa, o que dificultava a procura”, explica o coordenador do projeto do portal, Antonio Carlos Bernardes, também conselheiro do CBTIJ. Segundo ele, a reformulação foi possível com os apoios da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro e da Fundação Nacional de Arte (Funarte).

Também estão disponíveis no site 23 novos textos teatrais de autores contemporâneos como Rogério Blat, Fátima Valença, Denise Grispun e Guto Grecco. A cada 15 dias, serão publicadas entrevistas que atualizarão o portal.

Segundo Antonio Carlos Bernardes, uma das dificuldades encontradas pela equipe encarregada de reunir as informações para o portal veio dos próprios profissionais do setor. “A maior parte dos artistas não tem o seu acervo organizado e catalogado. Nós tivemos que pesquisar em vários locais para completar as lacunas”, reconhece.

Outra preocupação foi a de incluir publicações específicas para o teatro infanto-juvenil, como os 14 volumes da revista Mamulengo e os nove números da Móin Móin, editada pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Com 18 anos de existência, o CBTIJ tem associados ligados ao teatro infanto-juvenil, nas cinco regiões do Brasil. Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul são os estados onde a organização não governamental tem atuação mais forte.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 57 | Setembro de 2017