..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Segurança »

Crimes violentos diminuem em Brasília

Em 2015, a maioria dos índices de roubos e homicídios no DF caiu em comparação ao primeiro mês do ano passado

Agência Brasília - Redação Publicação:03/02/2015 12:36Atualização:03/02/2015 12:43
Arthur Trindade, secretário de Segurança Pública e da Paz Social do DF: 'Os números positivos são consequência da implementação do programa Pacto pela Vida' (Divulgação)
Arthur Trindade, secretário de Segurança Pública e da Paz Social do DF: "Os números positivos são consequência da implementação do programa Pacto pela Vida"
Janeiro de 2015 foi menos violento do que o mesmo período do ano passado. Houve redução na quantidade de roubos a postos de combustíveis (- 42,7%), a comércios (- 37,5%), a residências e de veículos (- 38,4%). Os índices de homicídios e tentativas de homicídios também ficaram menores (- 9,1% e - 26,4%, respectivamente). "Estamos em fase de reestruturação das polícias; mudanças administrativas resultaram no maior número de policiais militares nas ruas e na elaboração de novas rotinas de investigação", avaliou o secretário de Segurança Pública e da Paz Social do DF, Arthur Trindade, durante entrevista coletiva para apresentar os dados. Para ele, os números positivos são consequência da implementação do programa Pacto pela Vida, no início deste ano, e começarão a ser percebidos pelos brasilienses nos próximos meses.
 
A reestruturação da Polícia Civil significou aumento de produtividade. Em janeiro deste ano, foram cumpridos 76 mandados de prisão a mais do que no mesmo mês em 2014. Foram 1.881 autos de flagrantes em 2015, contra 940 no primeiro mês do ano passado. Novecentas e cinco pessoas foram presas a mais nos últimos 30 dias, quando 19 menores a mais foram apreendidos. "Estamos reestruturando a nossa coordenação de homicídios para que tenhamos respostas mais imediatas para identificar e prender autores ilícitos penais, até porque muitas vezes eles se tornam vítimas no futuro", disse o diretor-geral adjunto da Polícia Civil do Distrito Federal, Anderson Espindola. O DF tem hoje 6 mil policiais civis na ativa.
 
Também houve mudanças na Polícia Militar. Operações como a RIC (Redução dos Índices de Criminalidade) e a Cerco Total foram criadas para reprimir atos de violência. A primeira é realizada toda sexta-feira e leva às ruas policiais que normalmente trabalham na parte administrativa da corporação. A Cerco Total ocorre aos fins de semana e tem como objetivo reforçar o policiamento ostensivo em todas as regiões administrativas.
 
Mobilidade
O desafio agora é estudar o mapa da violência no DF. Com a redução dos índices em algumas modalidades importantes, como roubo a comércio e a postos de combustíveis, a criminalidade seguiu um curso natural de migrar para outras áreas. O roubo a pedestres aumentou 24% em janeiro, se comparado ao mesmo mês de 2014. "A polícia precisa estudar o movimento da criminalidade constantemente; se o criminoso percebe o risco que corre nas áreas comerciais, vai cometer delitos em outros locais", explicou o coordenador de Análise de Fenômenos de Segurança Pública, major Célio Roberto Dias Dutra.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017