..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Bem-estar »

Amor próprio

Especialistas orientam mulheres a prevenir doenças cardíacas fazendo exames de seis em seis meses

Agência Brasil - Redação Publicação:06/03/2015 16:25Atualização:06/03/2015 16:32
 (Reprodução)

A mulher precisa prestar atenção principalmente ao peso, mas na pressão arterial, na glicose e no colesterol. Este é o alerta feito pelo cardiologista Ivan Cordovil, segundo o qual a prevenção é fundamental e para isso é preciso fazer exames de seis em seis meses.

 

Chefe da divisão de hipertensão do Instituto Nacional de Cardiologia (INC), o médico participou da campanha de prevenção da saúde cardiovascular feminina para conscientizar as mulheres de que a hipertensão e a obesidade estão fortemente ligadas às doenças cardíacas.

Ivan Cordovil adverte ainda que, depois dos 20 anos de idade, as mulheres devem fazer exames de sangue, obrigatoriamente, duas vezes por ano, porque existem doenças que acarretam o aumento da pressão arterial durante o período da gravidez, o que pode levar à mortalidade fetal.

O INC e o Departamento de Cardiologia da Mulher, da Sociedade de Cardiologia do Rio de Janeiro (Socerj), são responsáveis pela campanha, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, no próximo domingo (8).

 

A ação chama a atenção para as doenças passíveis de prevenção e que, por isso, podem ser controladas por meio do peso, de atividades físicas e alimentação saudável, entre outras questões ligadas às causas das doenças cardiovasculares. Segundo a coordenadora do INC e do Departamento de Cardiologia da Mulher da Sociedade de Cardiologia do Rio de Janeiro (Socerj), Ana Patrícia Oliveira, a obesidade e a pressão arterial elevada são dois fatores de risco importantes para o aumento da incidência das doenças cardiovascular, principalmente da população feminina.

"A doença cardiovascular é a principal causa de mortalidade nas mulheres. Ela mata mais do que doenças infecciosas, câncer e acidentes, então é muito importante se cuidar, principalmente porque a faixa etária em que as mulheres estão sendo acometidas está ficando cada vez mais precoce. A mulher tem que controlar o peso adequadamente, instituir uma rotina de atividade física regular e diária e de alimentação saudável, além de eliminar o excesso de sal, combater o fumo e o alcoolismo”, recomenda Ana Patrícia.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017