..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Comportamento »

Cerca de 900 objetos já foram encontrados no metrô em 2015

Posto de achados e perdidos recebe desde chaves e celulares a carrinhos de bebê, dentaduras e artigos eróticos

Da redação - Redação Publicação:23/03/2015 13:33Atualização:23/03/2015 13:50

 'Às vezes, a pessoa dorme, acorda assustada porque tem de descer e esquece o objeto lá', diz Joaquim Tito, responsável pelo Achados e perdidos do Metrô DF (Tony Winston/Agência Brasília)
"Às vezes, a pessoa dorme, acorda assustada porque tem de descer e esquece o objeto lá", diz Joaquim Tito, responsável pelo Achados e perdidos do Metrô DF
Documentos, roupas, bolsas e até dentaduras e artigos de sex shop são alguns dos objetos que podem ser encontrados no Posto Central de Objetos Achados e Perdidos da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF). O local, que conta com depósito de cerca de 50 m², fica na Estação Galeria e funciona desde 1998. O índice de devoluções é de aproximadamente 70%.

 

De acordo com o responsável pelo posto, o supervisor setorial Joaquim Tito de Souza Filho, em 2014, mais de 3 mil itens passaram pelo espaço, que recebe de relógio, chave e aparelho celular até carrinho de bebê, capacete para moto e serra elétrica. Só em 2015, foram catalogados cerca de 900 artigos.

 

 (Tony Winston/Agência Brasília)
O supervisor explica que, nas estações terminais — Central, Samambaia e Ceilândia —, os materiais são encontrados, em grande parte, nos trens: "Às vezes, a pessoa dorme. Acorda assustada porque tem de descer. Aí esquece o objeto lá". Souza Filho alerta o usuário a ter mais cuidado com os pertences: "A maioria dos objetos perdidos é por falta de atenção".

 

Em geral, quem mais os encontra são os trabalhadores que fazem a limpeza das estações e dos trens. Neste período chuvoso, guarda-chuvas estão no local à espera dos donos.

 

Orientações


Ao achar um objeto, o passageiro deve entregá-lo a um servidor do Metrô-DF, que preencherá um formulário com os dados e as descrições do material — local, data e quem o recebeu — e o encaminhará, via malote, à Estação 112 Sul, na qual os funcionários do Posto buscam os pertences esquecidos.

 

Quem suspeita que perdeu algo em alguma estação específica pode procurar qualquer funcionário da Companhia no local para obter informações. Caso o material ainda esteja lá, a retirada pode ser feita. Após esse período, a recomendação é procurar o atendimento na Estação Galeria.

 

Para ter o objeto de volta, o supervisor ressalta a importância de fornecer o máximo de informações e características do objeto, como cor, tamanho e local da perda. A entrega é registrada no formulário que acompanha o bem e assinada pelo usuário e pelo funcionário.

 

Quando chegam ao Posto, onde trabalham três pessoas, os artigos são catalogados e organizados em prateleiras e armários. Se houver alguma forma de contato telefônico com o dono do material, isso será feito.

 

O prazo de validade do armazenamento é de 180 dias. Depois, os itens em boas condições são doados para entidades conveniadas com o governo do Distrito Federal. O restante é descartado. Documentos relacionados ao transporte público, como cartões de acesso aos veículos, são encaminhados aos órgãos expedidores.

 

Posto Central de Objetos Achados e Perdidos
De segunda a sexta-feira
Das 7 h às 19 h
Estação Galeria do Metrô-DF
Mais informações: (61) 3353-7337

 

(com Agência Brasilia)

 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017