..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Xô, celulites

Para se livrar dessa assombração que assusta principalmente as mulheres, não existe milagre. É preciso aliar dieta balanceada à malhação. Confira as dicas

Daniela Costa - Publicação:09/03/2016 11:17Atualização:09/03/2016 12:02
 
A empresária Sabrina Oliveira, 
de 28 anos, livrou-se do 
incômodo: 'Eu me dediquei às  
aulas de musculação aliadas
ao muay thai e boxe. Ganhei 
tanto em estética quanto em 
saúde'

 (Samuel Gê)

A empresária Sabrina Oliveira,
de 28 anos, livrou-se do
incômodo: "Eu me dediquei às
aulas de musculação aliadas
ao muay thai e boxe. Ganhei
tanto em estética quanto em
saúde"

De repente, você observa que a aparência do seu glúteo não está legal e depara com furinhos que até então não existiam. É o indício de que a tão inconveniente celulite se instalou e com ela aquela pontinha de insegurança e baixa autoestima. Os primeiros sinais são quase invisíveis. No começo, surgem pequenas depressões na pele, que podem ou não evoluir para o efeito casca de laranja, geralmente acompanhado de flacidez. Eclética, a celulite (que recebe o nome científico de lipodistrofia ginoide) atinge mulheres de perfis variados e, sem nenhuma cerimônia, deixa marcas desagradáveis, especialmente nas coxas, nos quadris e nos glúteos. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, o incômodo é compartilhado por oito em cada 10 mulheres após a puberdade, sendo mais incidente em peles claras. Já os homens raramente sofrem com o problema, exceto quando apresentam algum desequilíbrio hormonal.

Para quem quer se ver livre dessa assombração, o jeito é correr atrás do prejuízo. Mas prepare-se. A tarefa exige muito esforço e disciplina. O passo inicial é manter o nível de gordura corporal baixo, o que requer mudar o cardápio. “A boa alimentação reduz a inflamação da pele, melhora a circulação sanguínea e favorece a eliminação de substâncias tóxicas”, explica a nutricionista Hanna Vita. É imprescindível resistir à tentação dos doces, massas, pães, bolos e biscoitos, mesmo que isso signifique abolir o brigadeiro da sobremesa, substituir o pãozinho francês por pequenas porções de castanhas e a macarronada por alface. Lembre-se: a causa é nobre. A dica é consumir alimentos com baixo índice glicêmico e ricos em fibras. “Eles são absorvidos de forma mais lenta pelo organismo, dando mais sensação de saciedade e evitando o ganho de peso”, diz Hanna.

Triatleta, Leonardo Rodrigues, 
de 40 anos, vê outras vantagens
 em malhar os glúteos: 'Faz com 
que as demais musculaturas ajam 
com maior potência' (Pedro Nicoli)
Triatleta, Leonardo Rodrigues,
de 40 anos, vê outras vantagens
em malhar os glúteos: "Faz com
que as demais musculaturas ajam
com maior potência"
O próximo passo é vencer o sedentarismo e fortalecer a musculatura. Como não existe mágica, o jeito é arregaçar as mangas e encarar as atividades físicas. O que pouca gente sabe é que a região dos glúteos é a responsável pela estabilização pélvica e da coluna vertebral. “Além de acabar com a flacidez e diminuir as marcas da celulite, o fortalecimento da região ajuda a manter a postura correta, evita desníveis, queda de quadril, mantém o alinhamento dos joelhos e do corpo como um todo”, explica Marcello Rebouças Guerra, educador físico da academia Runner. O triatleta Leonardo César Mendonça Rodrigues, de 40 anos, precisa de estabilidade física total para correr, pedalar e nadar. “A musculatura dos glúteos sustenta o quadril e a coluna, e faz com que as outras musculaturas ajam com maior potência, o que melhora o meu desempenho nas provas”, diz. Alguns dos exercícios que fortalecem o quadril podem ser praticados em casa, entre eles, o agachamento. “Sem dúvida, é a atividade mais eficaz para trabalhar os glúteos e a praticamos até mesmo sem perceber. Quando subimos e descemos escadas, quando nos sentamos ou levantamos, já estamos nos exercitando”, diz Luzana Rodrigues da Mota, educadora física da Companhia Athletica. Outros exercícios mais elaborados devem ser feitos com acompanhamento profissional, para não resultar em problemas de saúde como torsões e lesões.
 

 

Há quatro anos, a empresária Sabrina Oliveira, de 28 anos, tinha o corpo magro, mas ficava incomodada com o glúteo pequeno. Para piorar, mesmo pesando apenas 48 quilos, distribuídos em 1,61 metro de altura, tinha alto percentual de gordura corporal e se incomodava com a celulite. Hoje está com 60 quilos, mas exibe um corpo definido. “Eu me dediquei às aulas de musculação aliadas ao muay thai e boxe, além de melhorar a alimentação. Ganhei tanto em estética quanto em saúde”, diz.


Segundo a personal trainer Carla Beatriz Costa Lima, de 37 anos, a região dos glúteos é a que mais acumula gordura, especialmente na mulher. Mãe de uma filha de 10 anos, ela conta o segredo da boa forma. “Muito treino e dedicação. Faço musculação e exercícios aeróbicos, e mantenho dieta equilibrada. Não sofro com a celulite.” O dermatologista Everson Rezeck ressalta que o combate aos furinhos requer tratamentos conjuntos e permanentes. “Não existe cura definitiva, e sim um controle do nódulo celulítico. Por isso, para evitar o efeito rebote, os cuidados com alimentação e atividade física devem ser contínuos”, diz o médico.
 
A personal trainer Carla Beatriz Lima, de 37 anos, faz musculação, exercícios aeróbicos e cuida da dieta: 'Não sofro com a celulite' (Pedro Nicoli)
A personal trainer Carla Beatriz Lima, de 37 anos, faz musculação, exercícios aeróbicos e cuida da dieta: "Não sofro com a celulite"
 
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017