..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Forró terapia atrai idosos a centro de referência de Planaltina

Atividade é gratuita e ocorre às terças-feiras. Ideia é aliar saúde e diversão

Agência Brasília - Redação Publicação:17/04/2017 09:16
Para atender pedidos de frequentadores, o Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde, em Planaltina, incluiu no quadro de atividades o forró terapia. Promovida às terças-feiras, das 17 às 18 horas, a ação tem conquistado o público. Só para esta quarta edição, a dança atraiu 30 animados adeptos.

É o caso da aposentada Margarida Maria de Oliveira, de 66 anos. “Ficar só trabalhando em casa não dá, a gente tem que dançar um forrozinho”, diz. Sem se conter no sorriso e balançando o corpo, ela conta que a prática é um momento de pura diversão.
Para atender pedidos de frequentadores, o Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde (Cerpis) de Planaltina incluiu no quadro de atividades o forró terapia (Pedro Ventura/Agência Brasília)
Para atender pedidos de frequentadores, o Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde (Cerpis) de Planaltina incluiu no quadro de atividades o forró terapia

Disposta, a aposentada participa de outras atividades pela manhã, como automassagem, tai chi chuan e lian gong (prática corporal da medicina tradicional chinesa). Todas oferecidas gratuitamente. “Eu praticamente estou morando aqui”, brinca Margarida, que aproveita o fato de morar perto do centro para ir todos os dias.

"(Forró) é muito bom para a saúde. Quem está doente venha pra cá que sara"
Josefa Maria da Silva, frequentadora do Centro de Referência em Práticas Integrativas de Planaltina

Aos 65 anos, Josefa Maria da Silva também aprovou a inclusão do ritmo nordestino na unidade de terapias alternativas. “(Forró) é muito bom para a saúde. Quem está doente venha pra cá que sara”, convida. Ela participa também do curso de automassagem às terças e quintas.

De acordo com o gerente do local, Marcos Freire, trata-se de um ponto de encontro da comunidade. “É um centro de convivência com várias atividades e, por estar no centro da cidade, facilita o acesso, provocando uma frequência grande”, explica.

Tradição e pioneirismo
O Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde teve início em 1983 com o plantio de um canteiro de ervas medicinais no terreno do Hospital Regional de Planaltina.

Inicialmente chamado de Unidade de Saúde Integral, desenvolveu-se com a ampliação dos canteiros e a construção de local próprio para o atendimento nas áreas de homeopatia, fitoterapia, acupuntura, antroposofia (prática de medicina alternativa) e psicologia.
 (Pedro Ventura/Agência Brasília)

Com o crescente interesse da comunidade, aos poucos foram introduzidos grupos de educação em saúde como os de automassagem chinesa, lian gong, tai chi chuan, alimentação integral, autoconhecimento, xaropes caseiros e bordado terapia.

29.547
Quantidade de atendimentos do Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde em 2016
 
Com esse leque de opções, o centro atendeu a uma antiga reinvindicação da comunidade de se integrar formalmente à atenção primária em saúde. O espaço atende gratuitamente cerca de 80 pessoas por dia.

Apenas em 2016, houve 29.547 atendimentos em grupo e individuais. A maior procura foi o curso de automassagem, com 7.653 participantes, seguido pelas danças circulares, com 5.645.

O centro funciona de segunda a sexta-feira, das 7 horas ao meio-dia e das 13 às 18 horas. São feitos atendimentos por demanda espontânea (em que a pessoa procura o local) e por encaminhamento médico. Para saber mais, o cidadão deve comparecer à unidade ou ligar nos telefones (61) 3388-9673 e 3388-9760.

As estruturas ocupam cerca de 10 mil metros quadrados de uma área ao lado do Centro de Ensino nº 1 de Planaltina e da base do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), no Setor Tradicional Hospitalar.
 (Agência Brasília/Reprodução)
 
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017