..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Maio Amarelo: alternativas para um trânsito responsável e mais seguro

Da redação com Assessorias - Redação Publicação:15/05/2017 15:59

Brasília tem sido protagonista nos noticiários das últimas semanas por conta de acidentes de trânsito. Alguns deles com vítimas fatais e ocasionados por causa do uso de álcool. Como prova disso, o Distrito Federal lidera o ranking de flagrantes de motoristas bêbados do Brasil, o Denatran já aplicou em 2017, 644 multas nas estradas que cortam o DF. No último mês uma motorista com nível de álcool 154% acima do limite matou um ciclista no QI 7 do Lago Norte. A realidade no Brasil não é diferente. Segundo dados mais recentes do site oficial do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em 2015, houve 19.572 mortes resultantes do trânsito (4.489 mortes acidentais e 15.083 homicídios culposos). Já passamos da metade da Década de Ações para a Segurança no Trânsito (que vai de 2011 a 2020) e 94% dos acidentes com mortes ainda são causados por falha humana. Muitos deles inclusive são ocasionados pela ingestão do álcool. Estima-se que 54% dos motoristas brasileiros fazem uso do álcool antes de dirigir, segundo a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet).

  

A Cabify, empresa espanhola que oferece soluções inteligentes de mobilidade urbana, atenta às questões de segurança no trânsito, surge como uma alternativa segura para o trânsito das grandes cidades. “Ingerir bebidas alcoólicas e dirigir pode ser extremamente perigoso e a Cabify é uma maneira de se locomover pela cidade evitando a direção perigosa e os acidentes”, destaca Daniel Velazco-Bedoya, general manager da Cabify no Brasil.

  

A Cabify faz um intenso trabalho de treinamento dos motoristas parceiros. O que também vem para reforçar a segurança no trânsito. Durante as palestras de treinamento e conscientização aos motoristas parceiros, a Cabify reforça o cumprimento às leis de trânsito, respeito à sinalização e a proibição de direção perigosa e consumo de bebidas e entorpecentes ao dirigir. “Visando a qualidade dos nossos serviços e o conforto dos nossos usuários, nossos motoristas parceiros são rigorosamente selecionados, passam por processo de capacitação, exame toxicológico e vistoria dos carros”, explica o executivo.

 

 (Pedro Ventura/Agência Brasília.)
 

“Nós acreditamos muito que nossos motoristas parceiros têm uma enorme responsabilidade ao transportar uma vida em seu carro. E levamos isso muito a sério”, destaca Bedoya. “Brasília, apesar dos altos índices de acidentes de trânsito, é um local em que muitos motoristas agem de boa fé, temos o respeito à faixa de pedestres que chama a atenção de quem visita a cidade, por exemplo, queremos contribuir para que esse tipo de atitude e o trânsito com respeito ao próximo se tornem cada vez mais difundidos”, finaliza.

 

Sobre a Cabify

 

 

A Cabify é uma empresa de tecnologia legalmente estabelecida pela qual os usuários podem solicitar um motorista particular em qualquer dia da semana, 24 horas por dia, por meio de um smartphone ou diretamente no site. Presente em diversas cidades na Espanha e México, e nas principais capitais da América Latina, a Cabify foi selecionada pela Apple como uma das melhores aplicações em 2012 na categoria Inovação. A Cabify foi fundada em 2011 e iniciou suas operações na Espanha. Com foco inicial em transporte corporativo, a startup atraiu o interesse de importantes investidores do Vale do Silício. Devido a aceitação do mercado e sucesso inicial, a Cabify recebeu outros investimentos (fundos americanos e belga) que foram direcionados ao plano de expansão da empresa em países na América Latina. Em 2014, fechou uma rodada Series A liderado pela Seaya Ventures e, recentemente, no segundo semestre de 2015, houve outra rodada de investimentos (Series B, liderada pela Rakuten) que tem como foco a expansão da startup em diversas cidades na América Latina e na Península Ibérica. Desde o início das suas operações a Cabify já captou mais de USD 140 MM.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017