..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Estudo mostra que a romã pode ajudar contra o envelhecimento

A fruta, que é muito usada para tratar dor de garganta, também tem ação antioxidante

Vinícius Andrade - Redação Publicação:02/10/2017 18:47

Estudos recentes realizados na Suíça mostram que uma substância derivada da romã pode ser forte aliada no combate ao envelhecimento. Camundongos que consumiram a urolithin A tiveram, em média, a resistência melhorada em 42%, segundo pesquisadores da Escola Politécnica Federal de Lausanne. A substância é produzida no organismo quando os compostos conhecidos como elagitaninos, encontrados nas romãs, são decompostos por bactérias que vivem no intestino.

 

De acordo com a nutricionista Fernanda Drummond, professora da PUC Minas, os estudos suíços sugerem que a urolithin A pode retardar o envelhecimento, mas ainda não é possível afirmar que a substância provoca o mesmo efeito em humanos. Segundo ela, outros alimentos podem desencadear a produção desse elemento, como morangos, amoras, framboesas, nozes e avelã. "A boa notícia é que temos uma substância natural com potencial bastante promissor para ser utilizada na formulação de novos medicamentos anti-idade", destaca a especialista.

O estudo suíço descobriu que a romã possui um efeito anti-idade, pelo menos nos testes feitos com cobaias (Pixabay)
O estudo suíço descobriu que a romã possui um efeito anti-idade, pelo menos nos testes feitos com cobaias
 

Se o retardo do envelhecimento ainda é um benefício que está sendo testado, a romã oferece outras vantagens cientificamente comprovadas, entre elas, a melhora da memória e da função cognitiva; a prevenção de câncer e do diabetes; o controle do colesterol e da pressão sanguínea; além de propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes, antibacterianas e antivirais. Segundo a nutricionista, a romã ainda é fonte de fibras, que auxiliam no funcionamento intestinal e na saciedade, e de vitaminas A, E e C, que, além de apresentarem atividade antioxidante, são importantes para a pele (na síntese do colágeno), para processos de cicatrização e para a visão.

 

Ajuda o coração

 

Fernanda Drummond lembra que os problemas cardíacos estão relacionados a uma alimentação desequilibrada associada ao sedentarismo e ingestão de bebidas alcoólicas em excesso. De acordo com a professora da PUC Minas, diversos estudos mostram que a ingestão da polpa e do suco de romã pode auxiliar na prevenção ou no tratamento dos fatores de risco para o coração, como pressão alta e nível elevado de colesterol.

 

"Apesar de exercer todo esse efeito protetor à saúde do coração, é importante ter em mente que somente o consumo regular de romã não é capaz de evitar o aparecimento de doenças. Para ter um coração saudável, faz-se necessário seguir hábitos de vida saudáveis, o que inclui uma alimentação equilibrada e a prática regular de atividade física", reforça a especialista.

 

E a dor de garganta?

 

Uma das receitas mais populares para curar dor de garganta é o gargarejo com o chá da casca de romã. Mas, será que a fruta possui essa propriedade? Segundo a professora da PUC Minas, a casca  é rica em compostos anti-inflamatórios e antibacterianos.

 

Para fazer o gargarejo ou o chá da romã, deve-se adicionar as cascas na água fervente e esperar 15 minutos. "Essa prática deve ser sempre acompanhada por um médico e nem sempre dispensará o uso de antibióticos", ressalta a especialista.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 59 | novembro de 2017