..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Diferenciar fome de vontade de comer ajuda até a evitar transtornos alimentares

Muitas pessoas se rendem a um dos mais famosos pecados capitais: a gula

Da redação com Assessorias - Redação Publicação:05/02/2018 16:54

 

Quem nunca sentiu uma vontade de comer algo, mesmo depois de uma refeição? Pois é, esta sensação faz parte até dos pecados capitais e costuma ser chamada de gula. Muito além do desejo, é importante estar atento aos sinais enviados pelo corpo. Não diferenciar a fome e saciedade da vontade de comer pode levar até ao surgimento de transtornos alimentares.

 

De acordo com a nutricionista Marcela Tardioli, consultora da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados, saber diferenciar sensações como a fome, apetite e saciedade é crucial na hora de manter o autocontrole. A especialista esclarece que a fome é a necessidade fisiológica de comer e não está relacionada a alimentos específicos. Já o apetite é o desejo de comer algo específico, sendo muito sensível ao sabor dos alimentos. Por sua vez, a saciedade pode estar relacionada ao momento de parar de comer e seus sinais aparecem já quando pequenas quantidades de nutrientes são absorvidos em nosso corpo. Prestar atenção ao comer ajuda a identificar os indícios de saciedade.

 

"É importante comer com atenção plena. Ou seja, durante as refeições é essencial estarmos atentos aos sabores, cores, texturas e aromas dos alimentos. É necessário ter um momento calmo, tranquilo, com foco na ação da vez: o comer", comenta Marcela Tardioli.


Você consegue resistir às 'tentações'? Especialista esclarece o perigo que reside na confusão feita por muitas pessoas entre a fome e a vontade de comer 
 (pixabay)
Você consegue resistir às "tentações"? Especialista esclarece o perigo que reside na confusão feita por muitas pessoas entre a fome e a vontade de comer
 

A desregulação do controle da fome e da saciedade pode ser uma das explicações para os transtornos alimentares. Estes são entendidos pela ciência como doenças psiquiátricas com características de alterações no comportamento alimentar, controle de peso e forma corporal.

 

A nutricionista esclarece esses problemas:

 

Anorexia nervosa: perda intencional de peso com emagrecimento intenso, abaixo do Índice de Massa Corporal (IMC) ideal para a idade e altura

 

Bulimia nervosa: passa por um ciclo de restrição de alimentos, compulsão e compensação, podendo ser associada à ingestão de laxantes, diuréticos, indução de vômitos, entre outros

 

Para conseguir manter a sintonia entre as sensações do corpo, a comida e a mente a especialista esclarece que, antes de comer, é preciso deixar os problemas de lado, relaxar e apreciar a refeição. "Diminua as ideias de magreza e corpo ideal, aceita a sua forma física e a sua beleza natural. Use as roupas que te fazem sentir bem. Se admire ao espelho e não deixe que a beleza de outra pessoa traga aspectos negativos para forma que enxerga o seu próprio corpo. Quanto mais prazer você leva para as refeições, melhor será a sua relação com a comida", diz Marcela.

 

A nutricionista lembra ainda que é essencial ter um cardápio balanceado e variado, com todos os alimentos e grupos que são benéficos para a saúde, como legumes, verduras, frutas, pães, massas e carnes.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 60 | dezembro de 2017