..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Exposição e lançamento de livro marcam festejos dos 160 anos de Planaltina

Programação comemorativa é multicultural, extensa e vai até o fim do mês. Fique atento

Agência Brasília - Redação Publicação:14/08/2019 14:33Atualização:14/08/2019 14:41

A cidade de Planaltina nasceu em 19 de agosto de 1859 como Distrito de Mestre D’armas - em homenagem a um armeiro que vivia na região. Pertencia a Formosa (GO). Em 1917, foi batizada com o nome atual.

 

No mês em que comemora 160 anos, a cidade mais antiga do Distrito Federal terá uma série de eventos. Na sexta-feira, 16, haverá exposição no Museu de Planaltina de fotos antigas da cidade, de eventos da região, de materiais de festas tradicionais, de roupas antigas e outros elementos culturais que foram sendo guardados e documentados ao longo desses anos.

 

Também será lançado o livro do professor, pesquisador e historiador Robson Eleutério. A obra História de Planaltina em documentos é resultado da seleção de fontes documentais e orais, reunidas pelo autor ao longo da última década.

Em 19 de agosto - quando se comemora oficialmente o aniversário da região fundada em 1859 - foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal o Decreto nº 36.679, que cria o Conselho de Patrimônio Cultural de Planaltina. O órgão tem por objetivo elaborar e aperfeiçoar ações, legislações e políticas públicas que promovam, integrem e preservem o patrimônio histórico, artístico e cultural do lugar.  

A praça Salviano Monteiro Guimarães, conhecida

como Praça do Museu, no Centro Histórico. Ao fundo o Museu Histórico e Artístico de Planaltina, edificação construída há mais de 100 anos. (Tony Winston/Agência Brasília)
Em 19 de agosto - quando se comemora oficialmente o aniversário da região fundada em 1859 - foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal o Decreto nº 36.679, que cria o Conselho de Patrimônio Cultural de Planaltina. O órgão tem por objetivo elaborar e aperfeiçoar ações, legislações e políticas públicas que promovam, integrem e preservem o patrimônio histórico, artístico e cultural do lugar.

A praça Salviano Monteiro Guimarães, conhecida como Praça do Museu, no Centro Histórico. Ao fundo o Museu Histórico e Artístico de Planaltina, edificação construída há mais de 100 anos.
 

Nela, o autor remonta ao contexto histórico do Mestre d’Armas, ainda no período colonial da história do Brasil, se estendendo até o surgimento de novos bairros na cidade, na última década do século XX.

 

O livro está dividido em oito capítulos e inclui 160 documentos antigos, fotos, mapas e depoimentos, essenciais para a historiografia da região.

 

Além da exposição e do lançamento do livro, haverá – a partir das 19h -uma roda de conversa, aberta ao público, para contar histórias que aconteceram ao longo desses 160 anos.

 (Arte/Agência Brasília)
 

* Com informações da Administração Regional de Planaltina


COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 71 - ESPECIAL SUSTENTABILIDADE