• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

No Poder »

O pianista e o cantor

Denise Rothenburg - Colunista Publicação:30/10/2012 12:56Atualização:30/10/2012 15:51
 (Carlos Vieira e Arquivo D.A. Press)
No governo Lula, as festas do poder eram embaladas pela voz do então ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, interpretando Lupicínio Rodrigues e Roberto Carlos. Com Dilma Rousseff no comando, quem ocupará esse lugar é o ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota. Mais tímido, Patriota restringe suas apresentações a públicos menores. Já tocou, por exemplo, para a ex-ministra da Cultura Ana de Hollanda e outras poucas autoridades. Patriota gosta de tocar quando chega em casa, depois de uma jornada exaustiva de trabalho. Seu repertório inclui MPB, em especial, Chico Buarque, blues, jazz e Beatles! Na verdade, o piano é a minha forma de relaxamento, diz ele. A presidente Dilma Rousseff comentou com assessores que vai chamá-lo para um concerto palaciano.

Jogos de Nova Iork

 A presidente Dilma Rousseff gostou tanto da liberdade de andar nas ruas de Nova York, ao abrir a Assembleia Geral da ONU em 2011, que este ano repetiu a dose. O que mais a diverte é despistar os jornalistas e curtir o passeio sem a presença de fotógrafos. No ano passado, ela contou os dribles que deu nos repórteres: 4 x 1. Este ano, não foram tantos. Afinal, não ficou a semana inteira na cidade.

 (Monique Renne/CB/D.A Press)

 (Daniel Ferreira/CB/D.A Press)

Aquecimento

Depois do desempenho do PSB nas eleições municipais, quem se movimenta em busca de uma candidatura ao GDF é o senador Rodrigo Rollemberg. Afinal, se o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, decidir concorrer ao Planalto em 2014, terá que ter um palanque na capital da República. No GDF, há quem acredite que as recentes críticas de Rollemberg ao GDF foram um ensaio nessa direção.

Quem já foi rei

O ex-governador Joaquim Roriz tem sido procurado por vários políticos da cidade em busca de apoio a projetos eleitorais. Afinal, os votos que ele conquistou no DF ao longo de sua carreira representam um legado que ainda não tem destino certo num futuro próximo.

Olho vivo I

O julgamento do mensalão causou um fenômeno curioso na cidade. Advogados estrelados estão preocupados com as perspectivas de levar calote de clientes condenados.  A conferir.

Olho vivo II

Dois senhores conversavam num domingo de manhã na sauna “preferencialmente feminina” do Iate Clube de Brasília. De repente, entra uma moça e um deles adverte: “Fala baixo! Você está em Brasília. Aqui, até a sauna tem ouvidos”.

 (Breno Fortes/CB/D.A Press)

Os planos de Agnelo

Sem precisar se preocupar muito com as eleições municipais, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, dedica-se a preparar as marcas de sua gestão para apresentar ao eleitor no futuro próximo. Ele tem um arquivo de imagens da situação em que encontrou o DF quando assumiu o governo, inclusive postos de saúde e hospitais, para comparar com o cenário atual. Além da Saúde, ele deseja jogar luz sobre as ações na área de Transporte. Assim, daqueles serviços que mais chamam a atenção do eleitor hoje – saúde, transporte e segurança –, Agnelo pretende contemplar, pelo menos, dois. A questão da segurança, por conta da longa greve da Polícia Civil e suas consequências, ainda está em aberto nesse tripé.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017