..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eles são top na passarela: acessórios e roupas para cachorros acabam se tornando moda

Com aumento no número de eventos do segmento pet em Brasília, cachorrinhos se transformaram em modelos e influenciadores

Paloma Oliveto - Publicação:21/09/2018 18:27Atualização:21/09/2018 18:49

Por onde passam, eles arrancam suspiros. A maioria tem até rede social, onde os “fãs” podem interagir. Graciosos e bons de pose, cachorrinhos de Brasília posam para lojas e desfilam nas passarelas, deixando muito humano aspirante a modelo no chinelo. Embora a cidade ainda não tenha agências especializadas em “pet models”, parece que por aqui o talento é nato. Com truques simples, como bolinhas e petiscos, os tutores garantem que conseguem fazer com que os melhores amigos desempenhem a tarefa com esmero, antes de correrem para rolar na grama ou perseguir uma bolinha.

 

A carreira da shitzu Mel e da spitz Cloe começou naturalmente. Elas têm uma conta no instagram (@mel.cloe) com 25,4 mil seguidores, onde a tutora, a militar Thayná Barbosa, de 28 anos, posta fotos da dupla se divertindo pela cidade, sempre estilosa, seja com roupinhas ou apenas acessórios. Como adquire muitos produtos para as cachorrinhas, Thayná também costuma publicar, no stories do aplicativo, vídeos onde mostra e avalia brinquedos, artigos de higiene, petiscos, roupas.

A shitzu Mel e a spitz Cloe são modelos mesmo: sempre estilosas, elas influenciam uma legião de seguidores nas redes sociais (Arquivo pessoal)
A shitzu Mel e a spitz Cloe são modelos mesmo: sempre estilosas, elas influenciam uma legião de seguidores nas redes sociais
 

A graça da dupla, que parece ter nascido para as câmeras, chamou a atenção de uma loja de Vitória, no Espírito Santo. Mel e Cloe foram convidadas para modelar para a fabricante de bandanas coloridas e personalizadas que, hoje, representam em várias postagens no Instagram. Thayná garante que não precisa recorrer a truques para fazer as cachorrinhas posarem. “Elas curtem e ficam super à vontade. Por incrível que pareça, não preciso de truques. É só colocar na posição e falar ‘fica’. Elas permanecem na posição até eu parar de tirar as fotos ou até eu dizer muito bem”, conta.

 

O buldogue Bacon, de 1 ano e 6 meses, é novinho, mas já pode ser considerado um veterano nas passarelas. Ele começou com apenas 5 meses e, desde então, participou de cinco desfiles, incluindo um durante o evento de decoração Casa Cor Brasília. Bacon também representou a grife de roupas pet Oh, Dog! duas vezes, ocasiões muito marcantes para o tutor, o advogado Filipe Damasceno Farias, de 36 anos. “Havia vários ‘aumigos’ dele participando também. O Bacon é um cachorrinho muito dócil e obediente, adora conhecer pessoas e fazer amizades com outros cães. Ele adora desfilar e faz poses para a galera”, diz. Embora ainda não seja modelo fotográfico, provavelmente não vai demorar muito para o buldogue francês começar a posar para marcas. No Instagram, onde é seguido por 2,1 mil pessoas, o “blogueirinho” (bacon_bull) arrasa nas poses, seja usando fantasias ou apenas gravatas e bandanas.

O tutor Filipe Farias com seu buldogue Bacon, de 1 ano e 6 meses: apesar de ser ainda novinho, Bacon começou a desfilar aos 5 meses e pode ser considerado um veterano nas passarelas (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
O tutor Filipe Farias com seu buldogue Bacon, de 1 ano e 6 meses: apesar de ser ainda novinho, Bacon começou a desfilar aos 5 meses e pode ser considerado um veterano nas passarelas
 

Foi por curtição da tutora, a jornalista Adriana Fortes, de 40 anos, que o maltês Luke Skywalker começou a posar para fotos. Ela gosta de vesti-lo com roupas e acessórios variados (que são tirados logo depois das sessões) para fotografá-lo e filmá-lo. “Comecei a tirar fotos dele desde o dia em que ele veio pra casa. O “pai” tinha recém-comprado uma câmera, então virou o modelo de teste. E ele desde cedo entendeu que, se ficasse quietinho, ganhava petisco”, revela Adriana. “Ele também entende quando todo mundo em volta diz que ele está lindo e o paparicam. Ele gosta demais.” Para não ficar sozinho em casa, Luke frequenta, desde novinho, uma creche canina, a Pookie Pet, no Sudoeste.

 

O talento do maltês e a criatividade de Adriana chamaram a atenção da proprietária, Paola Abarca, que o convidou para modelar para o daycare nas redes sociais. Todas as semanas, há um post na conta @lukeskywalker_thedog, mostrando o dia a dia dele na escolinha. “Eu queria fazer esse trabalho de divulgação com algum cachorro que já fosse cliente, que já gostasse da Pookie. O Luke está aqui há bastante tempo e, além disso, as postagens dele são muito criativas”, conta Paola.

O maltês Luke Skywalker pode ser visto em vários totens publicitários espalhados por Brasília: ele é a estrela do comercial da caderneta de poupança de um grande banco (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press )
O maltês Luke Skywalker pode ser visto em vários totens publicitários espalhados por Brasília: ele é a estrela do comercial da caderneta de poupança de um grande banco
 

Pelas ruas da cidade, Luke também pode ser visto no comercial da caderneta de poupança de um grande banco. Foi a primeira participação do maltês em uma campanha publicitária desse porte e, segundo Adriana, ele tirou de letra. “Eu acompanhei toda a produção e sei que ele se divertiu muito. Nesse dia, brinquei e corri muito com ele antes. Na hora das fotos, já tinha gasto toda a energia e ele não deu trabalho algum. Foi elogiado por toda a equipe”, orgulha-se a tutora. As fotos de Luke estão em vários totens publicitários espalhados por Brasília. “Adoro passar pelos lugares e ver a carinha dele ou quando me contam que o viram. Já me mandaram até foto do lado da propaganda.”

 

A publicitária Marise Monteiro também se orgulha do sucesso que a shitzu Chanel faz por onde passa. A cadelinha já é uma espécie de celebridade nos shoppings de Brasília, onde costuma passear no carrinho, sempre enfeitada. Em 2015, ela recebeu o primeiro convite para um desfile da grife Oh, Dog! “Desde então, a Chanel vem arrasando. Ela nasceu para isso! Se fosse uma modelo, com certeza seria a Gisele Bündchen”, afirma Marise.

A shitzu Chanel da publicitária Marise Monteiro já desfilou para um grife de roupas pet: 'Desde então, a Chanel vem arrasando. Ela nasceu para isso! Se fosse uma modelo, com certeza seria a Gisele Bündchen', diz Marise
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
A shitzu Chanel da publicitária Marise Monteiro já desfilou para um grife de roupas pet: "Desde então, a Chanel vem arrasando. Ela nasceu para isso! Se fosse uma modelo, com certeza seria a Gisele Bündchen", diz Marise
 

A cachorrinha parece concordar e desfila como uma top model profissional. “Eu nem sabia que ela faria tudo isso tão bem. Ela posa para as fotos, faz cara de diva e curte a passarela como ninguém. Eu sei que ela está feliz”, diz. Dos muitos desfiles dos quis Chanel já participou, um em Águas Claras é o preferido da tutora. “Ela desfilou com um vestido tão maravilhoso da linha Tantanouit, de penas com cristais, que quase morri de alegria ao vê-la naquele luxo todo! Nós amamos fazer parte desse universo fashion. Dá para ver na carinha da Chanel que ela nasceu para a passarela”, garante Marise.

 

A shitzu Brisa também está na “profissão” certa. A tutora, a estudante de medicina veterinária Tainá Wolff Bomtempo conta que a cachorrinha adora usar roupas e acessórios. “Ela adora quando chegamos com uma roupa nova ou enfeite. Fica toda feliz querendo usar”, diz. Por causa do talento nato, Brisa acabou se tornando modelo da loja da mãe de Tainá, a petshop Auau. Na conta com 23,3 mil seguidores (@brisa.chico.wolff), Brisa faz propaganda do jeito que mais gosta: usando muitas roupinhas e acessórios. A estratégia publicitária não podia ser melhor, revela Daniela Wolff, sócia da petshop. “Tudo que ela usa e é postado, as pessoas procuram na loja para comprar. Desde o carrinho pet, até mesmo os laços”, diz.

A modelo pet Brisa tem mais de 23 mil seguidores no Instagram: tudo o que ela usa logo se transforma em um sucesso
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press )
A modelo pet Brisa tem mais de 23 mil seguidores no Instagram: tudo o que ela usa logo se transforma em um sucesso
 

Para os tutores que desejam fazer de seus pets modelos, o especialista em comportamento animal Vilmar José de Oliveira, da Funcional Dog, explica que nada pode ser forçado: “Não pode ser nada estressante. É preciso cuidar do bem-estar do animal”. Para garantir que isso aconteça, ele recomenda que os tutores sempre acompanhem as sessões de fotos e os desfiles. Outra dica de Vilmar, que tem quase três décadas de experiência na área, é lançar mão de estratégias que tirem o estresse do animal.

O especialista em comportamento animal, Vilmar de Oliveira, com os cachorrinhos Bolt e Mel, diz que não se deve forçar os bichinhos a fazer o que não querem: 'Não pode ser nada estressante. É preciso cuidar do bem-estar deles'
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press )
O especialista em comportamento animal, Vilmar de Oliveira, com os cachorrinhos Bolt e Mel, diz que não se deve forçar os bichinhos a fazer o que não querem: "Não pode ser nada estressante. É preciso cuidar do bem-estar deles"
 

Ele já treinou até mesmo um cão sem experiência prévia para atuar em um curta-metragem rodado em Brasília. O jack russell mostrou-se muito carismático e ganhou rapidamente a simpatia dos atores e da equipe de filmagem. Porém, como havia muitas pessoas nos sets, foi preciso desenvolver uma abordagem que o deixasse seguro e focado. Vilmar percebeu que massagear o animal antes de ele entrar em cena deixava o cãozinho pronto para atuar. Nos dois dias de gravação, Pingo também ganhou petiscos e brinquedos para não “errar nas falas”.

 

O bem-estar de Luke Skywalker é prioridade para a tutora. “O Luke é minha fantástica fábrica de imaginação. Adoro os detalhes das fotos, o cenário, o figurino, a luz. Tudo é pensado. O que mais gosto é saber que tem os dois lados. O de ficar arrumadinho e quietinho pra foto e o lado de se sujar e correr solto. Ele não é 24 horas do dia um cachorro modelo. Ele é cachorro também. Brinca, suja-se, rola na grama”, diz Adriana.

Brisa com sua tutora, a estudante Tainá Bomtempo: um guarda-roupas com muitos acessórios só para a cachorrinha
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Brisa com sua tutora, a estudante Tainá Bomtempo: um guarda-roupas com muitos acessórios só para a cachorrinha
 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 67 | outubro