• (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Comportamento »

Realidade fantástica

O Chapéu Seletor diria que você pertence à Grifinória, Sonserina, Corvinal ou Lufa-Lufa? Que chalé semideus o abrigaria no Acampamento Meio-Sangue? Qual casa de Westeros deve dominar o trono de ferro? Entendeu quase nada? Não se preocupe. Procure o adolescente mais próximo que goste de literatura e peça uma tradução

Cecília Garcia - Redação Publicação:30/10/2012 15:30Atualização:30/10/2012 15:57
Encontro de membros do Clube do Livro-DF no Parque da Cidade: eles não se contentam em ler histórias e guardar os livros na estante; querem discutir e interagir, ser personagens também! ( Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press)
Encontro de membros do Clube do Livro-DF no Parque da Cidade: eles não se contentam em ler histórias e guardar os livros na estante; querem discutir e interagir, ser personagens também!

Não importa o sol forte das 13h, nem a poeira e secura de Brasília. Adolescentes e algumas crianças podiam ser vistas, em pleno domingo, chegando aos poucos no Castelinho do Parque da Cidade. Grupos de cinco ou seis amigos, algumas duplas, alguns sozinhos, mas todos armados. Escudos de tampa de cesto de roupas, espadas de espuma, lanças de papelão. Essas eram as armas para a batalha que viria a seguir.
Divididos em chalés semideus de acordo com seus pais, ou mães, tais como Afrodite, Zeus e Apolo, os jovens aguardavam ansiosamente o início da disputa. Por volta das 15h, cerca de 100 adolescentes já ocupavam o campo de batalha. Gregos contra romanos. Uma batalha épica de pique-bandeirinha, ou melhor, de caça bandeira, estava prestes a começar.

Essa foi apenas mais uma atividade prática do Clube do Livro-DF, que em meados de setembro recriou o caça bandeira descrito na série de livros Percy Jackson e os Olimpianos. As ações do Clube são direcionadas aos adolescentes da capital com uma grande carga de leitura acumulada e que não se contentam mais em apenas ler histórias e guardar os livros na estante. Esses jovens querem discutir e interagir o máximo possível com os personagens e situações que lhes são apresentadas nas páginas dos textos.


Heldevam Campos descobriu o Clube no
 Facebook e diz que encontrou 
 amigos para conversar sobre seus 
livros favoritos: 'E as atividades 
práticas são pura diversão', conta (Minervino Junior/Encontro/DA Press)
Heldevam Campos descobriu o Clube no
Facebook e diz que encontrou
amigos para conversar sobre seus
livros favoritos: "E as atividades
práticas são pura diversão", conta

Essa vontade leva jovens de 7 a 22 anos de idade a se reunirem duas vezes por mês com integrantes do Clube do Livro-DF. Como todos os grupos de leitura, em um dos encontros é realizado o tradicional debate sobre os livros, que tem lugar no auditório de alguma livraria da cidade. As obras discutidas são basicamente de literatura fantástica. Prato cheio para que a imaginação crie asas, ganhe vida e passe a fazer parte do cotidiano desses adolescentes. Mas só o debate não é o suficiente. Gincana, teatro, quiz e outras atividades – sempre relacionadas ao livro tema – animam esses eventos.
A segunda reunião do mês acontece no Parque da Cidade. É nesse espaço que as histórias ganham vida. Assim, é possível entrar no Torneio Tribruxo e até participar de um piquenique com o Chapeleiro Maluco, depende do livro do mês. O presidente do grupo, Diego Batista, explica que a disseminação da leitura é o objetivo dos eventos. “Mas as relações de amizade entre as pessoas com o mesmo gosto para leitura também é algo que buscamos”, afirma. “Sempre procuramos fazer os membros se imaginarem dentro da própria história.”

 

 

 

 

João Pedro Sates lê três ou quatro livros por mês. Do grupo recebeu a carta com o convite 
para um Campeonato de Quadribol, reproduzindo uma parte da história de Harry Potter  ( Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press)
João Pedro Sates lê três ou quatro livros por mês. Do grupo recebeu a carta com o convite para um Campeonato de Quadribol, reproduzindo uma parte da história de Harry Potter

E isso foi o que aconteceu a João Pedro Sates. O adolescente de 17 anos foi surpreendido em julho deste ano ao chegar em casa e encontrar uma correspondência endereçada a ele dizendo: “Prezado senhor João Pedro, temos o prazer de informar que vossa senhoria foi aceita na Escola de Magia e Bruxaria Hogwarts. Atenciosamente, Minerva McGonagall, diretora substituta.” A carta era um convite para o 1º Campeonato de Quadribol realizado pelo grupo, reproduzindo uma parte da história de Harry Potter.


João gosta mais das atividades práticas do grupo. “São mais legais porque podemos interagir com as histórias dos livros”, conta. Sua preferida é justamente o caça bandeiras do Percy Jackson. Mas isso não diminui sua sede de leitura. Justo pelo contrário: o rapaz lê três ou quatro livros por mês. Há quatro meses frequentando as atividades do Clube, o fã de Senhor dos Anéis encontrou nas reuniões uma forma de juntar o útil ao agradável.

Já Heldevam Campos, de 15 anos, prefere os debates. O adolescente descobriu em março as atividades do Clube. Numa busca no Facebook (rede social por onde as reuniões são organizadas), encontrou no grupo um lugar em que poderia conversar sobre seus livros favoritos. “As palestras são mais tranquilas. Dá para conhecer mais gente, discutir sobre os livros com calma. Ah, mas isso não tira a diversão das atividades práticas.”

O médico Marcelo Benites, com os filhos Daniel, Bianca e Felipe, integram o Clube do Livro-DF: os quatro lêem os mesmos livros e não perdem nenhuma reunião (Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press)
O médico Marcelo Benites, com os filhos Daniel, Bianca e Felipe, integram o Clube do Livro-DF: os quatro lêem os mesmos livros e não perdem nenhuma reunião

Dragões de éter, Harry Potter, As crônicas de Nárnia, Desventuras em série... Heldevam já tinha lido de tudo. Tudo menos as Crônicas de gelo e fogo, série mais conhecida pelo primeiro título Guerra dos tronos – mas isso foi solucionado em um dos eventos. “Eu nem queria ir ao debate sobre esse livro. Ainda não tinha lido e fiquei com medo de acabar sabendo alguma parte importante da história”, conta. Mesmo assim resolveu ir e, de quebra, foi sorteado e ganhou a coleção de cinco livros da série.

Em meio aos adolescente integrantes do Clube, uma família chama a atenção. Bianca Benites, de 13 anos, junto com os irmãos Daniel, de 12, e Felipe, de 7, ingressaram no grupo de leitura no início do ano e não perdem uma reunião. Mas eles não vão sozinhos aos encontros. Sem a vergonha típica dos adolescentes, os três estão sempre com o pai, Marcelo Benites. Para acompanhar os filhos, o médico lê os mesmos livros que eles. Por causa disso, sabe até o significado do número 42 (“O sentido da vida, do universo e de tudo mais”, de acordo com o Guia do mochileiro das galáxias). “Eu sou aquilo que na minha época se chamava CDF, o nerd de hoje”, brinca.

 (Reprodução)

Livros básicos para ler e fazer parte desse universo

Desventuras em série
Mau começo é o primeiro volume de uma série em que Lemony Snicket conta as desventuras dos irmãos Baudelaire. Violet, Klaus e Sunny são encantadores, mas são os mais infelizes do mundo. (Editora Companhia das Letras)

As crônicas de Nárnia
Viagens ao fim do mundo, criaturas fantásticas e batalhas épicas entre o bem e o mal – o que mais um leitor poderia querer de um livro? Poderia ser suficiente, mas há outras surpresas nessas crônicas. (Editora Martins Fontes)

Harry Potter
Ele é um garoto cujos pais, feiticeiros, foram assassinados por um poderosíssimo bruxo quando ele ainda era um bebê. Quando fez 11 anos, ele deslizou por um buraco sem fundo, que o conduziu a um mundo mágico. (Editora Rocco)

Jogos Vorazes
A nação de Panem se ergueu após a destruição dos Estados Unidos. A cada ano, os 12 distritos que a compõem são forçados a enviar um menino e uma menina entre 12 e 18 anos para participar dos Jogos Vorazes. (Editora Rocco)

Crônicas de gelo e fogo
Em A Guerra dos tronos, o primeiro livro da aclamada série
As crônicas de gelo e fogo, George R. R. Martin  cria uma verdadeira obra de arte, trazendo o melhor que o gênero pode oferecer. (Editora Leya)

Guia do mochileiro das galáxias
Famosa série escrita por Douglas Adams, considerada um dos maiores clássicos da literatura de ficção científica, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect. (Editora Sextante)

Percy Jackson
O autor conjuga lendas da mitologia grega com aventuras no século 21. Nelas, os deuses do Olimpo ainda se apaixonam por mortais e geram filhos metade deuses, metade humanos, como os heróis da Grécia antiga. (Editora Intrínseca)

Senhor dos anéis
Numa cidadezinha indolente do Condado, um jovem Hobbit é encarregado de uma tarefa. Deve empreender uma perigosa viagem através da Terra-média até as Fendas da Perdição e lá destruir o Anel do Poder. (Editora Martins Fontes)

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017