• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Perfil »

Vendedor de sonhos

Há 22 anos em Brasília, o cearense César Serra tornou-se o cerimonialista mais requisitado pelas noivas da cidade. Presença discreta em festas milionárias ou em recepções íntimas, ele ensina:"Menos é mais!"

Leilane Menezes - Colunista Publicação:30/10/2012 16:39Atualização:30/10/2012 16:58
César já organizou 2.500 casamentos: 'Cada noiva é uma emoção' (Minervino Junior/Encontro/DA Press)
César já organizou 2.500 casamentos: "Cada noiva é uma emoção"

Como o maestro à frente da orquestra, o cerimonialista organiza casamentos. Em lugar de músicos, estão os detalhes que precisam compor a sinfonia final: a decoração harmoniosa, a escolha do menu, a trilha sonora, o bufê. É preciso mais de um ano para planejar as seis horas de um único dia. O pequeno e raro tempo em que a vida parecerá perfeita. A comida terá o melhor tempero, a bebida estará gelada e abundante. No salão, os convidados estarão se divertindo. Em torno dele, um homem discreto, de baixa estatura e olhos miúdos, porém atentos, assiste à cena como se ela fizesse parte de um filme romântico.

É ele, entretanto, o responsável pela direção desse espetáculo real. O cerimonialista César Serra, de 46 anos, é o nome por trás de boa parte dos casamentos mais comentados de Brasília, onde mora há 22 anos. César viaja por todo o país para atender clientes, e até para o exterior, quando os noivos desejam casar-se em castelos na Itália ou em Nova York, por exemplo. “O cerimonial jamais pode aparecer mais que a noiva. Seria deselegante. Nossa função é fazer com que tudo seja perfeito, provocar sensações e emoção, sem que ninguém saiba que tem alguém orquestrando tudo”, explica.

César diz não tratar o amor como mercadoria. Demonstra respeito e até fascinação pelo sentimento. “Cada noiva é uma emoção. Um pai que leva a filha ao altar é sempre diferente do anterior. Existe verdade naquele momento e é impossível manter-se alheio. Tenho o privilégio de trabalhar com felicidade, e não com a dor. Sou um mercador de sonhos”, afirma.

As 42 imagens de Santo Antônio espalhadas entre o escritório e a casa de César indicam que, para ele, casamento é assunto sério. As esculturas em tamanhos variados são também indícios da religiosidade que o acompanha desde a infância, no Ceará, onde o pai era cerimonialista de empresas públicas. César o acompanhava em todos os eventos. Gostava de saber como cada momento era planejado. “As crianças saíam para brincar e eu ficava grudado no meu pai porque achava o trabalho dele bonito. Adorava ver como ele coordenava tudo.”

Ainda no Ceará, César passou a organizar os casamentos de amigas. Quando veio para Brasília, tinha objetivo estabelecido: trabalhar no cerimonial do Palácio do Itamaraty. “Naquele tempo, Brasília recebia muitos chefes de Estado, estendia-se o tapete vermelho, tínhamos grandes jantares com toda pompa”, conta.

César fez parte da equipe que elaborou a recepção de personalidades como Nelson Mandela, príncipe Charles e princesa Diana e muitos outros famosos. Com a experiência, aprendeu a maior lição: receber oferecendo sempre o melhor. “Cada detalhe é uma prova de cuidado e carinho com os convidados. Aprendi até caligrafia, ao lado do Rubinho, o calígrafo que fazia os cardápios do Itamaraty à mão. Receber bem é uma arte”, ensina.

César entre Priscila e Pedro  (Tainá Frota / Chá das Duas Photo & Design)
César entre Priscila e Pedro

Após o fim do estágio no Itamaraty, César abriu a própria loja de noivas, na Asa Sul. Anos depois, mudou-se para o Lago Sul, na QI 11, onde atende atualmente. Em mais de duas décadas, organizou 2.500 casamentos. Há fotos de muitos deles em seu escritório. César trabalha cercado de felicidade emoldurada. A consultoria, entretanto, não cabe em todos os bolsos. São cerca de R$ 15 mil pela assessoria como cerimonial. Ele não revela o casamento mais caro que produziu – é discreto e afirma que seria falta de ética. Mas dá a entender que algumas das cerimônias custaram milhões.

Para muitos noivos, o investimento paga um trabalho perfeito. “Cheguei ao César por indicação de amigas. Tivemos empatia na hora. Ele transmite segurança. O diferencial dele é a discrição. Você olha para os lados e tudo está perfeito, parece até que não há ninguém por trás, mas há”, conta a psicóloga Fabiana Goulart, que se casou em 30 de junho deste ano com o empresário Firás Massouh.

O último 28 de julho será lembrado pela arquiteta Priscila Botelho. Nessa data, ela se casou com o também arquiteto Pedro Carvalho sob os olhares e cuidados de César. “Nos meses que antecederam o casamento, ele me tranquilizou muito. Quando você fecha contrato com um profissional assim, assina a garantia de que tudo sairá como planejado. Com casamento, não se pode errar”, avaliou Priscila. Depois dos preparativos, ela e César tornaram-se amigos. Priscila passou a ajudar a ONG Vida Positiva, que cuida de crianças portadoras de HIV, da qual o cerimonialista é um dos padrinhos.

César é o preferido das filhas de políticos e empresários, além de ser cortejado pela classe média. Está sempre entre pessoas influentes. Em março deste ano, ao lado do homem com quem vive há sete anos, foi padrinho no casamento da enteada do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes. Caminhou rumo ao altar de mãos dadas com o marido, o procurador da Fazenda Júlio César Faria.

Ao contrário do que se poderia imaginar, César e Júlio não fizeram uma grande festa de casamento quando decidiram morar juntos, apenas um jantar para 25 pessoas. A celebração pomposa deve ocorrer em 2013, apenas para 100 convidados. “Quero pensar muito bem em como será. Organizando casamentos, aprendi que menos é mais. Luxo é  estar cercado de pessoas que realmente amam você”, avalia o cerimonialista.

Cena do casamento de Fabiana Goulart e Firás Massouh, em junho deste ano: 'César transmite segurança', relata a noiva (Alexander Muradas / Divulgação)
Cena do casamento de Fabiana Goulart e Firás Massouh, em junho deste ano: "César transmite segurança", relata a noiva

Anualmente, César organiza o evento Luxo de Festa, que leva o mesmo nome de sua empresa, e reúne fornecedores de serviços relacionados a casamentos. Há um ano, além de empresário, César tornou-se uma espécie de fada madrinha. Escolhe, a cada edição, um casal para ser presenteado com um casamento totalmente gratuito. São pessoas que não poderiam pagar pelo serviço. A cada sorteio, centenas de homens e mulheres enviam seus relatos para César com a esperança de vencer. “Dar uma festa como essa a um casal foi a maneira que encontrei de agradecer a Deus por tudo que tenho. É um jeito de dizer que nada é impossível e que o importante mesmo é ver um sonho tomando forma”, explica.

César já presenteou dois casais. O primeiro, em maio, quando a educadora física Graziella Camilo da Cunha se casou com Leonardo de Oliveira, no Recanto das Águas. “É como se estivesse sonhando. Demorei para acreditar. Foi o melhor presente das nossas vidas”, disse Graziella à época do casamento. Os dois ganharam ainda lua de mel no Caribe, bancada por uma agência parceira.

O próximo casamento será em abril de 2013, com serviços oferecidos por algumas das 150 empresas parceiras do cerimonial. A psicóloga Márcia Karinne Nery da Silva se casará com o programador Alberi Lemos. “César é um anjo. É raro  alguém que se importa em fazer pessoas, mesmo as desconhecidas, felizes”, diz Márcia. Se a festa fosse paga, custaria R$ 150 mil.

Os casais são escolhidos por profissionais da área. A história de vida dos noivos é levada em consideração. Márcia e Alberi disputaram com outros 100 casais. Eles não podiam contar com a ajuda financeira dos pais, que morreram há anos. Solidariedade é algo que César classifica como “a verdadeira atitude de luxo”. Quando fala em cifras, ele desconversa. Sonhos não vêm com etiqueta de preço.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017