• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Roteiro »

Balda em movimento

Cada vez mais, os brasilienses buscam alternativas para fazer festas privadas e exclusivas. Embarcamos no novo modelo de diversão que circula pela cidade para um test-drive: afinal, como é dançar, comer, beber e conversar a bordo de um ônibus-boate?

Jéssica Germano - Redação Publicação:01/11/2012 12:04Atualização:01/11/2012 11:16
Além do DJ, a boate conta com seis funcionários para receber os convidados
 (Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press)
Além do DJ, a boate conta com seis funcionários para receber os convidados

O ar-condicionado gelado e a iluminação, digna de qualquer boate, dão ao ambiente um ar de modernidade que se completa com detalhes vintage. Sim, a nova modalidade de diversão que circula pela cidade envolve mobilidade. O nome remete ao apelido que os brasilienses deram aos ônibus na capital. Chama-se Bauate o “baú adaptado para baladas”. Em 40 m², reúne bar, mesa de som com DJ, pista de dança, pole dance e luzes, muitas luzes.

A ideia talvez passasse despercebida em alguma cidade no estilo Las Vegas, acostumada ao trânsito contínuo das limusines que transportam festas e diversão. Em Brasília, o projeto é novidade. Nos primeiros meses de circulação, abrigou festas corporativas, despedidas de solteiro e até formaturas.

A fim de prolongar a comemoração do casamento, Mariana Bragança e Fabio Costa esticaram para a boate itinerante. Os noivos não queriam que a celebração acabasse durante o dia, e isso deu origem à ideia de embarcar com os convidados. Ao entrar no ônibus, a noiva não escondeu a surpresa. “É muito mais do que estávamos procurando”, disse, sem disfarçar a animação.

Visto de fora, o Bauate talvez não dê a ideia do que acontece lá dentro. Mas chama a atenção por onde passa. “Não tem quem não pare quando ele passa”, relata o motorista Renato Lima. “As pessoas chegam a fazer sinal para o ônibus parar”, completa o gerente de marketing da atração, Bruno Meireles.

 (Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press)


Lá dentro, o diferencial começa na decoração. O retrô está nas paredes acolchoadas, no tom avermelhado dos banheiros, cheios de espelhos e iluminação sensorial. Depois, vem o quê de exclusividade. A festa é fechada, com lista feita pelo cliente, e dura 3h, em média.

No início, as pessoas estranham. A pista de dança começa tímida. O coordenador do projeto, Gustavo Oliveira, conta que, após 1h30, os convidados estão totalmente à vontade no ambiente móvel. “É a mesma coisa de entrar em uma boate. Não tem como ficar parado.” Nem o ônibus fica. Trafega a 25 km/h, com paradas estratégicas, ao gosto do freguês. Geralmente, inclui pontos turísticos, da capital, como a Ponte JK e o Congresso Nacional, além de boates e bares conhecidos.

No percurso, uma equipe de sete pessoas encarrega-se do serviço. Bebidas à vontade impõem o desafio extra de não derramá-las. Até para os sóbrios é difícil – o que requer uma atenção a todo instante do assessor de limpeza, Samuel Alves. Mesmo assim, ele garante que as vantagens da festa sob rodas são maiores: “Se em outras baladas tem briga, aqui não.”

A mobilidade e a flexibilidade para planejar a festa são outras vantagens apontadas pelo analista de sistemas Luiz Paz, que escolheu o Bauate como comemoração para o seu aniversário de 40 anos. “Você pode fazer o que quiser, não fica engessado a um modelo. Hoje, sou eu quem manda na festa”, conta.

Nossos test-drive

Boa estrutura, com efeitos interessantes de som e iluminação


Impressão de maior duração do evento, talvez em razão a baixa velocidade do ônibus

Alguns dizem que o movimento potencializa o efeito da bebida. (Esse quesito não foi testado pela reportagem)
   
É preciso ficar atento aos movimentos do ônibus e o excesso de preocupação pode influenciar na diversão da noite
   
A ideia é acomodar 80 pessoas a bordo, mas com 50 já dá a impressão de lotação, com certa dificuldade para se movimentar do bar ao banheiro ou à pista de dança
   
Clima agradável no interior do veículo. O ar-condicionado funciona, mas existem áreas onde o calor se concentra
   
Não é recomendável misturar pessoas desconhecidas na festa, devido ao espaço pequeno
   
Possibilidade de decoração interna e externa a gosto do cliente
   
O ideal, para uma boa noitada, é uma lista fechada, só com amigos

Serviço

Pacotes: Quatro tipos de pacote, do light ao supertop. O preço varia em função da qualidade e variedade de bebidas servidas a bordo. O custo médio, com bebidas nacionais, é de R$ 4 mil. A opção mais luxuosa pode chegar a R$ 37 mil – neste caso, uma garrafa de champagne pode chegar ao valor R$ 4,2 mil no mercado.

Capacidade: 80 pessoas

Contato: (61) 3244-9890 / atendimento@bauate.com.br.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017