• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cidades I Serviço »

Pé na estrada!

Preparado para encarar quilômetros de asfalto nas viagens de fim de ano? Antes de assumir o volante, alguns cuidados básicos são indispensáveis: faça a revisão do carro e confira as condições das rodovias

Guilherme Goulart - Redação Publicação:17/12/2012 14:03Atualização:17/12/2012 14:30

A enfermeira Yacara Pereira, o marido e a filha: assustada com o preço das passagens aéreas, a família planeja viajar de carro até o Sul de Minas Gerais  (Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press)
A enfermeira Yacara Pereira, o marido e a filha: assustada com o preço das passagens aéreas, a família planeja viajar de carro até o Sul de Minas Gerais

Tão importante quanto o planejamento de uma viagem, as questões de segurança são também indispensáveis para um passeio tranquilo. E, por elas, passam a situação das rodovias. No caso do brasiliense, pelo menos cinco vias federais cortam o DF e levam, principalmente, a Pirenópolis, Alto Paraíso, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e ao Ceará. Com tanta opção de destino para quem mora bem ao centro do país, privilégio maior seria se todas as pistas estivessem em excelentes condições de tráfego.

Mas não é essa a nossa realidade. Relatório divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) revela que todos os caminhos sob a responsabilidade do governo federal no DF e nos arredores apresentam ao menos um trecho considerado ruim ou regular (veja o mapa na página a seguir). Mesmo assim, não é preciso desanimar ou repensar a programação. O estado geral está melhor do que há alguns anos, quando buracos e falta de sinalização colocavam em risco a vida de quem se aventurava nas rodovias da região.

Hoje, muitas delas estão duplicadas, como é o caso da BR-060, saída para Goiânia, e da BR-070, que corta o município goiano de Águas Lindas até alcançar Pirenópolis, uma das visitas preferidas do brasiliense. Dados do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) confirmam que as BRs 020, 040, 060, 070, 450, 080 e 251 passaram por reformas recentes. Desde 2009, cerca de R$ 211,2 milhões foram investidos.

No caso da BR-070, surpreende a transformação, pelo menos até o início do período de chuvas. As crateras, que antes celebravam aniversários, perderam lugar para o asfalto liso, pintado e marcado por sinalização do tipo olho de gato. Aumentou, e bastante, a segurança dos condutores. E também a dos pedestres, que, ao longo de Águas Lindas, ganharam passarelas. A duplicação da rodovia segue até o distrito de Girassol, onde volta a pista simples. Ainda assim, não faltam placas refletoras de luz dos faróis e acostamento. Segundo o Dnit, a reforma da via no trecho que corta a capital custou R$ 3,6 milhões.

Outra estrada federal em melhor situação é a BR-040, rota para Minas Gerais e Rio de Janeiro. As boas condições de tráfego encorajam o empresário Eber Rossi de Freitas a usá-la com frequência quase quinzenal. Por essa estrada, ele chega a Araguari (MG), onde passará o Natal com a família. “Está ótima. No trecho do Distrito Federal, tiraram as lombadas e colocaram barreiras eletrônicas. Isso ajudou muito. Até Cristalina, não tem do que reclamar, é excelente”, elogia. A crítica de Eber fica por conta da duplicação ainda inexistente em alguns pontos. “É preciso duplicar (a pista) entre Luziânia e Catalão. Isso aumentaria a segurança, sem dúvida”, sugere.

A mesma pista, além da extensão pela BR-050, será percorrida pela enfermeira Yacara Pereira, o marido e a filha do casal, de 2 anos. Assustada com o preço das passagens aéreas, a família optou em viajar de carro até o Sul de Minas Gerais para curtir as festas de fim de ano com os parentes. A empreitada rodoviária não acontece desde que a caçula nasceu. “Estamos preocupados com as condições das estradas. Estávamos acostumados a fazer esse tipo de viagem, mas, agora, vamos ter de nos informar melhor. Lembro que tinha uma parte sempre ruim perto de Cristalina. Espero que tenha melhorado”, diz Yacara.

A Superintendência da Polícia Rodoviária Federal em Brasília avalia a BR-040 como em bom estado de conservação nos trechos que cortam o DF e Goiás. Mas a corporação alerta que, após Luziânia e até a divisa com Minas Gerais, há carência de sinalização horizontal (marcações, pinturas e símbolos feitos no próprio asfalto). Nesse caso, a corporação chama a atenção para a necessidade de mais cuidado por parte dos motoristas, principalmente em relação às ultrapassagens. Segundo o Dnit, a BR-040 no Distrito Federal recebeu investimentos de R$ 3,5 milhões.

O empresário Eber Rossi de Freitas elogia a BR-040: boas condições de tráfego o estimulam a frequentá-la a cada 15 dias (Monique Renne/CB/DA Press)
O empresário Eber Rossi de Freitas elogia a BR-040: boas condições de tráfego o estimulam a frequentá-la a cada 15 dias

O servidor público federal Marcelo Martins Proença se planeja desde agora para encarar as pistas brasileiras. A partir de 20 de dezembro, ele percorrerá, em um mês, vias de cinco estados – Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais –, além do Distrito Federal. “A opção pela estrada é em função do preço alto das passagens aéreas e da liberdade de fazer o roteiro que eu quiser, quando eu quiser”, explica.

Antes de assumir o volante, Marcelo não se preocupa apenas com o básico. Faz a revisão do carro e consulta a informações oficiais sobre as condições das vias. Seu primeiro destino será Cascavel, a partir da BR-040. “Saio de Brasília e sigo via Cristalina. Depois, passo por São Paulo antes de chegar ao Paraná. Ainda vou para o litoral catarinense e passarei pelo Rio e por Belo Horizonte. Dificilmente mudo o roteiro, mas não começo uma viagem sem antes olhar o site do Dnit. O carro já está revisado, com pneus e freios novos”, revela.

Acostumado com estradas, o servidor público evita dirigir à noite em trechos ruins. Ele também não esconde a preferência por rodovias administradas por consórcios. “A sensação não é de segurança. Prefiro mil vezes pagar pedágio”, afirma. A prudência e o planejamento de Marcelo podem servir de exemplo aos demais motoristas, além de determinantes para evitar tragédias nas estradas. Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal, 80% dos acidentes são causados por falhas humanas. Fica o alerta.

Principais causas de acidentes

 

80% (erro humano)

 

20% (falhas na via ou no veículo)

Telefones úteis

 

Emergência, Polícia Rodoviária Federal:  191

 Posto da BR-040 (Santa Maria):
 (61) 3395-9333/3395-9336

 Posto da BR-040 (Cristalina):
 3504-0023

 Posto da BR-020 (Formosa):
 (61) 3503-5019/3631-6472

 Posto de Alvorada do Norte:
 (62) 3429-0002

 Posto da BR-060 (sentido Goiânia):
 (61) 3395-9342


ATENÇÃO AO VOLANTE

 

- Planeje-se. Conheça previamente o itinerário da viagem;

- Evite dirigir em trechos de áreas rurais e durante a noite;

- Se possível, prefira seguir viagem nos horários de menor movimentação;

- Verifique as condições dos pneus, do sistema de iluminação
e dos equipamentos de segurança obrigatórios do veículo. Faça uma revisão antes de pegar a estrada;

- Em caso de chuva, reduza a velocidade e aumente a distância entre os veículos;

- Realize uma parada de 15 minutos a cada duas horas de viagem.
Ajuda a relaxar;

- Não exceda o limite de velocidade regulamentado na sinalização da via;

- Não realize ultrapassagens forçadas ou em locais proibidos;

- Jamais assuma o volante após ter consumido bebidas alcoólicas.
É proibido por lei e você coloca em risco a vida de todos os envolvidos
no tráfego;

- Em situações de emergência, ligue 191. A chamada é gratuita.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017