• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Decoração | Quarto de hóspedes »

A arte de receber

Recepcionar um convidado é mais do que acomodá-lo num ambiente confortável. É preciso pensar nos detalhes, como iluminação para leitura e espaço para guardar malas e objetos pessoais

Vanessa Aquino - Redação Publicação:20/12/2012 16:57
Receber um hóspede em casa é uma arte que não está restrita somente à acomodação. É preciso surpreender o visitante com mimos, conforto e demonstrações de que ele é, de fato, bem-vindo. O quarto de hóspedes representa o espaço de intimidade do convidado na casa e deve ser versátil, prático e garantir conforto durante todo o período de estadia. A palavra anfitrião remete à mitologia grega e significa aquele que recebe em casa. Para cumprir bem esse papel, é preciso entender os desejos e as necessidades do hóspede.

Os detalhes dizem muito sobre a satisfação em receber. Por isso, alguns itens não podem faltar, como boa luminária, toalhas e lençóis limpos e bem passados, despertador e, no banheiro, kits de higiene. Além disso, um bom espaço no armário com cabides e gavetas. Até a localização do quarto de hóspedes na casa deve ser levada em consideração. "Deve estar em um lugar que facilite o acesso do convidado às áreas de convivência da casa", lembra a arquiteta e designer de interiores Yeda Garcia.

A orientação é reforçada pelo colega Humberto Macedo. "O quarto deve estar localizado no contexto da casa, mas não na área de intimidade, para garantir a liberdade do hóspede de ir e vir. Por exemplo, se a casa tem dois pisos e os quartos ficam na parte de cima, opto, normalmente, por colocar o quarto de hóspedes no piso de baixo, para que o visitante se sinta livre para circular pela casa sem incomodar", diz o arquiteto.

Sofisticação e glamour

As cores claras e o lustre de cristal ganham destaque no quarto de hóspedes projetado pelo arquiteto e designer de interiores Miguel Gustavo. Para ele, a prioridade deve ser o bem-estar do visitante. “Colchões especiais e roupas de cama aconchegantes e bem macias garantem o conforto”, sugere. A marca do ambiente é a cama centralizada, com cabeceira acolchoada, que deixa o espaço sofisticado. “Cores claras e tons pastéis são os mais indicados. Uma iluminação cênica impactante faz com que o projeto seja marcante”, esclarece o arquiteto.

O aconchego da arte

Cores quentes, obras de arte e peças de antiquário marcam os quartos de hóspedes da casa dos arquitetos Jeanitto Gentilini e Humberto Macedo. Para garantir o conforto do hóspede, eles deixam sempre um criado ao lado da cama e uma cadeira ou poltrona. “Colocamos sempre uma flor natural no quarto e gostamos de perfumar o ambiente, mas com parcimônia”, lembra Humberto. Nos quartos, a arte ganha destaque: em um deles, esculturas de anjos do artista pernambucano Nicola; no outro, bonecas do Vale do Jequitinhonha (MG).

Moderno e impessoal

Sóbrio, o ambiente planejado pela arquiteta e designer de interiores Yeda Garcia é marcado pela elegância. Os tons neutros dos lençóis e colchas, além do revestimento em madeira na parede, dão ao espaço a impessoalidade necessária a um quarto de hóspedes. “A iluminação sobre a cama pode cansar o hóspede. Melhor destacar que há iluminação em pontos como o armário, por exemplo, para que a pessoa visualize bem os objetos”, acrescenta. No banheiro, kits de higiene e flores sugerem um gesto de delicadeza com o visitante.

Conforto e praticidade

Para o arquiteto Gui Rodrigues, é importante criar ambientes aconchegantes e com espaço para as necessidades do hóspede, como um lugar para guardar as malas, armário e, se possível, banheiro exclusivo. “O destaque do espaço é o uso de painel com criados embutidos e armários planejados. O banheiro foi pensado em composição com o quarto e com a cartela de cores”, descreve o profissional, que também chama a atenção para os tons terrosos, que, junto com a iluminação suave, proporcionam aconchego.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017