• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

No poder | Denise Rothenburg »

O colecionador

Denise Rothenburg - Colunista Publicação:19/02/2013 16:56Atualização:19/02/2013 17:10

 (Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
 

Em seis anos de mandato, o senador Jarbas Vasconcelos, do PMDB pernambucano, tem um título inédito na política. É um dos três maiores colecionadores de arte popular do país. Seu gabinete é como um museu de acesso restrito. Ali, ele exibe algumas preciosidades de Brennand, Ivonaldo, Samico, Bajado, Ismael Caldas, Virgulino, Manoel Eudócio e vários artistas reconhecidos, que representam bem o Nordeste brasileiro.

Todas as peças foram trazidas aos poucos para Brasília. As únicas que ele não desloca são as de mestre Vitalino, expostas em sua casa em Recife. Lá ele tem 1.400 peças. Aqui, a coleção já está próxima à casa da centena. Não tem uma sala do gabinete que não seja decorada com arte nordestina. Os visitantes é é que saem no lucro por poder apreciar mais essas obras, além daquelas famosas expostas na Casa.

Vice também é pai

 (Alexandro Auler/D.A Press)
Com dificuldades de se dedicar à famíla em janeiro, por causa da eleição para presidente da Câmara e do Senado, o vice-presidente Michel Temer decidiu aproveitar o carnaval para descansar em Miami com a esposa, Marcela, e o filho, carinhosamente apelidado de Michelzinho. Sim. A família dele também deixa uns dólares por lá e aproveita os preços mais em conta, como toda a classe A e B brasileira. Se brincar, é capaz de os brasilienses terem visto a família Temer ou do ex-procurador Nelson Marquezelli pela Ocean Drive. É outro que seguiu o mesmo destino.

Pensando bem...
 (Ed Alves/CB/D.A Press)

Não pense você que todos os políticos tomaram o caminho de Miami no carnaval. O deputado Osmar Terra (PMDB-RS), por exemplo, ficou em Brasília. Descansando com a família para voltar ao trabalho já na quarta-feira. Aliás, dizem por aí que o carnaval brasiliense deveria ter outro marketing. Tem gente querendo sugerir algo do tipo: “Você detesta folia? Reclama de ruas cheias e daqueles trios elétricos ou bandas? Então Brasília é o lugar ideal. Sem barulho, sem transtornos. O seu sossego merece.” Pensando bem, até que não seria má ideia.

Por falar em brasilienses...
 (Minervino Júnior / Encontro / DA Press)

Vários moradores da cidade encontraram o governador Agnelo Queiroz na Itália, em janeiro. Ele foi flagrado em Veneza, assistindo ao concerto de uma orquestra de câmara interpretando os clássicos de Vivaldi. Os maldosos dizem que o governador relaxou tanto que dormiu. Outros, que admiram seu trabalho, garantem que ele apenas fechou os olhos por alguns instantes para apreciar melhor a música.

A conta, por favor!

 (Beto Oliveira/Agência Câmara)
O deputado Fábio Ramalho (PV-MG) transformou seu apartamento em Brasília em um ponto de encontro das excelências. Ali, a sala de visitas pode ser comparada ao salão de um restaurante. No dia da posse de Henrique Eduardo Alves foi lá que deputados e senadores se reuniram para homenagear o novo presidente da Câmara.

Silhueta

É comum, na casa de Fábio Ramalho, um deputado falar ao amigo que liga convidando para um restaurante tradicional: “Não vou porque estou comendo de graça na casa do Fabinho”. O problema é a comida maravilhosa, impossível resistir: costelinha, feijão, arroz, mandioquinha frita na hora e... uma leitoa. Tudo isso no jantar. Depois as excelências reclamam que é a rotina de Brasília não favorece as dietas.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017