• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Veículos I Comportamento »

Manual feminino

Nível do óleo, correia dentada, rodízio de pneus... Se você conhece os termos, mas não é familiarizada a eles, Encontro Brasília resolve a equação dominada pelos homens e mostra que mecânica também pode ser assunto de mulher!

Jéssica Germano - Redação Publicação:29/04/2013 14:35Atualização:29/04/2013 15:57

Fernanda Lima não entende tudo de carro, mas se preocupa em aprender o básico:'Você pode ter um seguro para trocar o seu pneu, mas e se ele estourar na rodovia, em uma emergência?' (Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
Fernanda Lima não entende tudo de
carro, mas se preocupa em aprender o
básico:"Você pode ter um seguro
para trocar o seu pneu, mas e se ele
estourar na rodovia, em uma
emergência?"
O número impressiona. Por ano, uma média de 25 mil mulheres tornam-se aptas a dirigir no Distrito Federal, de acordo com dados do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran/DF). Mas, quando se trata de mecânica, o potencial feminino parece se estreitar entre calibragem e gasolina. Nas páginas a seguir, você confere dicas de como entender o funcionamento do seu veículo e práticas de manutenção correta, sem deixar brechas na conta da oficina. O manual e o kit de emergência do seu carro podem passar a ser tão importantes quanto a sapatilha extra no porta-malas e o combo de batom, pó e blush na nécessaire.


“Vem de infância, né? Desde criança você vê o menino brincando com o carrinho e a mulherada, só com a boneca”, diz Claudia Grandi. Empresária e administradora da oficina do marido, ela, porém, traçou um caminho diferente da maioria e buscou informação e formação no assunto. Hoje, trocar pneu de carro de passeio é fichinha para ela. O gosto vem pela adrenalina de ter de se virar, mexer em grandes aros e emendar fios para cruzar a linha de chegada em competições de jeep, das quais participa todos os anos. Em uma delas, com 10 dias de duração, compõe a única dupla 100% feminina da prova.


A independência em mecânica, todavia, só veio depois de um longo
período de desinteresse, que culminou em alguns danos, como fundir o motor de um carro duas vezes, por falta de água. Hoje, Cláudia aprendeu o poder das luzes de emergência, próximas ao volante, e tornou-se conselheira. “A dica é olhar sempre o painel, não só o espelho”, brinca, referindo-se ao item mais familiar das mulheres em um automóvel.

A empreendedora Agda Oliver montou uma loja unindo os dois mundos: graxa e salto alto (Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
A empreendedora Agda Oliver montou uma loja unindo os dois mundos: graxa e salto alto

Em tempos de praticidade, com seguradoras tendo inclusive pacotes específicos para mulheres, a comodidade é uma alternativa tentadora. “Você tem um seguro para trocar o seu pneu, mas e se ele estourar na rodovia, em uma emergência?” A indagação da gerente de relacionamentos Fernanda Lima – reconhecidamente leiga em mecânica – é pertinente e bastante comum. Foi com o intuito de tirar essa nuvem de dúvidas sobre carros e fazer com que o público feminino entendesse o bê-á-bá de uma oficina que Agda Oliver montou uma loja unindo os dois mundos: graxa e salto alto. Há três anos, ela coordena a Meu Mecânico, especializada em assistência automotiva, onde ministra também, uma vez por mês, palestras educativas para mulheres.

Claudia Grandi, empresária e administradora da oficina do marido, dá dicas: 'Olhar sempre para o painel, não só para o espelho', brinca (Minervino Júnior / Encontro / DA Press)
Claudia Grandi, empresária e administradora da oficina do marido, dá dicas: "Olhar sempre para o painel, não só para o espelho", brinca

Além disso, a pós-graduanda em marketing e vendas presenteia suas clientes, a cada serviço, com massagens, limpezas de pele e pacotes em academia. “Conversar com mulher é mais fácil, sinto mais abertura”, comenta, garantindo que não é difícil aprender sobre mecânica e dominar os itens básicos de um veículo. “Quando descobre o que é a máquina de um carro, você fica encantada, é um mecanismo muito interessante”, derrete-se, com direito a unha feita em tom de vermelho e sombra degradê, compondo o look junto ao uniforme da oficina. E o recado fica bem dado no slogan fixado no local: “Mulher, agora quem leva seu carro ao mecânico é você”.

 (Divulgação)

DICAS

 

Saiba como prevenir problemas com o seu carro e como agir em caso
de imprevistos, com dicas da empresária-mecânica Agda Oliver:

 

1. Vela
 “Faz parte da injeção eletrônica. Quando o carro estiver falhando ou sem querer pegar, pode ser sintoma para a troca de vela”, adianta Agda. Essas precisam ser trocadas a cada 35 mil km a fim de evitar panes. 

 

2. Água no radiador
O nível deve ser verificado junto com a observação do óleo, semanalmente. A quantidade não pode estar nem abaixo nem acima dos níveis que o reservatório indica. “Se não estiver no nível correto, pode até fundir o motor”, alerta.

 

3. Lavagem do motor
Não é indicada com frequência. “Só se realmente houver algum vazamento ou caso o mecânico sugira lavar”, esclarece. Se houver necessidade, o ideal é procurar uma oficina especializada nesse
tipo de serviço. 

 

4. Óleo
“Dentro do motor, é tudo ferro com ferro. Por isso o carro precisa de lubrificação, para não danificar essas peças. E o óleo tem essa função”, diz. Normalmente é trocado a cada 5 mil km rodados, mas é importante verificar qual óleo é indicado para seu veículo.

 

5. Correia dentada
É ela que permite a transmissão da força do motor para as rodas e para o comando de válvulas. Se quebrar, ela trava o motor e o carro não funciona. Troque a cada 40 mil km. 

 

6. Luzes do painel
“Há aquelas luzes muito importantes que, quando ascendem, você tem de parar imediatamente. E há aquelas que você pode continuar andando e procurar uma oficina depois”, pondera Agda. Pelo manual dá para conhecer a maioria dos alertas e ficar atento se há algo errado com o seu carro.

 

7. Água nos para-brisas
Em períodos de chuva, é aconselhado abastecer toda semana. Um detergente específico para carros, com intuito de evitar ressecamento das palhetas, também é indicado. No tempo mais seco, o preenchimento, segundo a empresária-mecânica, vai de acordo com a frequência de uso de cada motorista.

 

8. Palheta
Responsáveis pela nitidez e visão do motorista durante a chuva, os limpadores devem ser trocados uma vez por ano, independentemente
da marca, pois o tempo e exposição ao sol resseca a palheta. 

 

9. Pneus
Devem ser calibrados uma vez por semana, com os pneus ainda frios, e toda vez que for viajar. Vazios ou mal calibrados, podem comprometer manobras rápidas ou freadas e contribuem para o consumo excessivo de combustível.

 

10. Troca dos pneus
Lidar com chave de roda, macaco e estepe requer mais jeito e prática do que força. A sugestão é carregar junto ao kit de emergência um par de luvas (para evitar grandes sujeiras) e um cano de ferro para funcionar como extensão da chave de roda, facilitando a retirada dos parafusos.

 

11. Rodízio
A troca de posição dos pneus é necessária para uma maior duração do produto e deve ser feita a cada seis meses ou 5 mil km rodados. “É indicado para que os pneus se gastem por igual. Sem o rodízio, os da frente desgastam mais rápido, já que o peso do motor está todo na frente do automóvel”, explica a empresária.

 

12. Lanternas

“É normal queimar, assim como a nossa lâmpada de casa. Queimou, é só trocar.” Sem possibilidade de prevenção, as luzes e os faróis devem apenas receber atenção frequente, para verificar se estão funcionando normalmente.

 

13. Alinhamento e balanceamento
O balanceamento é responsável pelo equilíbrio do pneu e da roda por meio de contrapesos. Já o alinhamento é a regulagem da posição das rodas, garantindo a estabilidade e a segurança ao dirigir.
Manutenções são indicadas a cada 10 mil km rodados ou a cada seis meses. Antes disso, somente se a direção apresentar sinais de tremedeira ou estiver puxando.

 

14. Equipamentos de emergência
Certifique-se da presença, em bom estado, do kit composto por extintor, estepe, triângulo, macaco e chave de roda. O pneu extra também deve ter seu estado conferido frequentemente, sendo calibrado de seis em seis meses. 

 

Revisão
O automóvel deve ser levado à oficina ao menos duas vezes ao ano e antes de viagens, para passar por checape total e prevenir futuros problemas. “Independentemente da idade do veículo, se ele é novo ou usado”, enfatiza.

 

Leia o seu manual
É o primeiro passo para entender melhor a mecânica que rege
o automóvel. “É uma coisa que a gente realmente não faz.
E o manual explica muita coisa”, aconselha Agda. No livro há todas as informações necessárias para o bom funcionamento do seu veículo, inclusive dados específicos do carro.

 

*Importante consultar o manual do veículo,
que pode ter alterações de acordo com o modelo

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017