• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cidade I Dica »

A natureza ajuda quem cedo madruga

Todos os dias, um número considerável de pessoas chega às 6h ao Parque Nacional de Brasília para frequentar as trilhas ou desfrutar das águas cristalinas das piscinas. Saiba o que tanto atrai os chamados "madrugadores" do Água Mineral

Rodrigo Craveiro - Redação Publicação:11/07/2013 18:16Atualização:11/07/2013 19:21

 (Raimundo Sampaio)
 

Manhã gelada de junho. Os termômetros marcam 13 graus. Uma réstia da luz solar teima em atravessar a mata de galeria pantanosa do Parque Nacional de Brasília. São 6h30 e os pássaros começam uma sinfonia que se mistura ao barulho de água corrente e ao som festivo dos macacos-prego. A umidade parece tornar o frio ainda mais intenso, mas não o suficiente para impedir que um grupo de brasilienses troque o aconchego da cama por uma caminhada em meio à natureza e por algumas braçadas na piscina de águas cristalinas – que tornam óbvio o nome popular do parque, Água Mineral.


Assim que a madrugada se vai, eles vão chegando aos poucos e se reúnem no platô da piscina Pedreira. Depois do alongamento, andam apressadamente pela trilha da Capivara e pela trilha Cristal Água ou praticam tai chi chuan na ilha da Meditação, construída no meio de um pequeno lago. Da intensa convivência nascem laços de amizade, e quem frequenta o parque garante que vale cada esforço, em nome da saúde.

Frequentador desde os 8 anos de idade: o professor de educação física Alex Luzardo diz que o que mais o atrai ao Água Mineral é a piscina de água corrente	 (Raimundo Sampaio)
Frequentador desde os 8 anos de idade: o professor de educação física Alex Luzardo diz que o que mais o atrai ao Água Mineral é a piscina de água corrente

A técnica de enfermagem Antonieta Carvalho Bastos é um exemplo. Faça chuva ou faça sol, lá está ela, sempre animada. Todos os dias, ela sai de casa às 5h30, na Asa Norte, e corre ou pedala até a Água Mineral. São aproximadamente 8 km em um ritual que se repete há cerca de 10 anos. “O parque traz saúde para nós. Pegar esse sol da manhã faz bem… Estou aqui de segunda a segunda”, diz.


Antonieta Carvalho sai de casa às 5h30 e vai ao parque todos os dias: 'Pegar esse sol da manhã me faz muito bem' (Raimundo Sampaio)
Antonieta Carvalho sai de casa às
5h30 e vai ao parque todos os dias:
"Pegar esse sol da manhã
me faz muito bem"
Laurez Cerqueira, jornalista, também é frequentador assíduo do parque. “Às vezes a gente nada inclusive com chuva. A transparência da água é incrível. De manhã, você pode até bebê-la, porque entre as 3h e as 4h ela é renovada pela força das nascentes”, conta, demonstrando a satisfação com os exercícios físicos que pratica no local e com o cargo de vice-presidente da Associação dos Amigos do Parque Nacional de Brasília.


Presidente da associação, a também jornalista Júnia Lara começou a frequentar a Água Mineral na década de 1980 e, hoje, costuma visitar o local de duas a três vezes por semana. “A primeira coisa que faço é a caminhada, uns 4,5 km. Depois, os exercícios de alongamento, antes de nadar. É preciso ter coragem”, brinca. “É um espaço privilegiado, perto da cidade.Depois que você sai dessa água, fica pronto para o dia”, comenta Júnia.


'A primeira coisa que faço é a caminhada, uns 4,5 km. Depois me alongo antes de nadar', conta Júnia Lara (Raimundo Sampaio)
"A primeira coisa que faço é a caminhada,
uns 4,5 km. Depois me alongo antes
de nadar", conta Júnia Lara
Depois de nadar 6 mil metros, o professor de educação física Alex Luzardo faz uma pausa para um bate-papo e conta que desde os 8 anos frequenta o parque. “O que mais me atrai é a piscina de água corrente. Estou me preparando para a travessia do lago Vilarrica, no Chile, e às 6h já estou dentro d’água, treinando.”


Para alguns, a Água Mineral é uma opção à “frieza” das academias. “Não suporto aquele ambiente fechado. Eu fazia academia por obrigação e aqui acho bem melhor, é gostoso. Além disso, é caminho para o meu trabalho”, conta Andréia Pimenta Ambrozevicius, funcionária pública. Ela e os cerca de 200 “madrugadores do parque” pagam uma taxa mensal de R$ 65 para terem acesso ao local entre 6h e 8h. Os outros usuários (que pagam por dia R$ 6,50 pelo acesso) só podem entrar depois das 8h.Os interessados devem procurar a administração do parque para se cadastrar e passar a frequentá-lo antes das 8h. Outras informações pelo telefone (61) 3233-6897.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NO MEIO DA CIDADE

 (Raimundo Sampaio)

O Parque da Água Mineral tem duas trilhas, a da Capivara (1,5 km) e a da Cristal Água (4 km); e duas piscinas, a Areal e a Pedreira (em junho, a Areal estava interditada para reforma).


Nas trilhas do parque, é possível se deparar com animais como antas, capivaras e macacos (foto). Já houve registro de pessoas que viram lobo-guará, onça-parda e onça-pintada dentro do perímetro do parque, que cobre uma área de 43 mil hectares.
“É um dos maiores parques urbanos do mundo. Temos uma grande variedade de animais, muitos deles ameaçados de extinção, como o tatu-bola, o tamanduá-bandeira e o morceguinho-do-cerrado”, conta Paulo Henrique, chefe do Parque Nacional de Brasília. 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 57 | Setembro de 2017