• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cidades I Trânsito »

Mudanças na paisagem

Em pelo menos cinco pontos da cidade há obras viárias. Algumas novas; outras já bem conhecidas de quem, cada vez mais, perde tempo no trânsito

Cecília Garcia - Redação Publicação:19/07/2013 14:40Atualização:19/07/2013 15:00

A duplicação da Estrada Parque Aeroporto recebe recursos do PAC Copa: intenção do governo federal é garantir a mobilidade urbana para o Mundial (Minervino Júnior/Encontro/DA Press)
A duplicação da Estrada Parque Aeroporto recebe recursos do PAC Copa: intenção do governo federal é garantir a mobilidade urbana para o Mundial
 

Para quem não mora no Plano Piloto, sair de casa em horário de pico e conseguir chegar a tempo para algum compromisso se tornou uma questão de sorte. Entre 7h e 9h, na pausa do almoço ou na hora de voltar para casa após o trabalho, o caos do trânsito da cidade atinge o seu auge. Além do aumento natural do fluxo de carros em direção à região central da cidade, as obras viárias passaram a fazer parte de um transtorno diário a que o brasiliense é submetido todos os dias, mesmo que o intuito seja melhorar o fluxo no futuro.


Relacionados ou não à Copa do Mundo de 2014, alguns projetos de mobilidade urbana saíram do papel. Um deles, sob a responsabilidade do Departamento de Estradas e Rodagem local, é a duplicação da DF-047, mais conhecida como Estrada Parque Aeroporto (Epar). Única obra do departamento ligada ao Mundial de futebol, está prevista no PAC Copa, criado pelo governo federal para executar melhorias da infraestrutura relacionada à Copa do Mundo. “Estamos criando vias marginais para segregar o trânsito entre quem está realmente indo para o aeroporto e quem não tem nada a ver com o trânsito local”, explica o presidente do DER-DF, Fauzi Nacfur Júnior.

Fauzi Nacfur Júnior, presidente do DER no DF, garante: obras de acesso ao aeroporto devem estar prontas até dezembro (Minervino Júnior/Encontro/DA Press)
Fauzi Nacfur Júnior, presidente do DER no DF, garante: obras de acesso ao aeroporto devem estar prontas até dezembro

Em execução há seis meses, a obra também contará com a construção de um túnel que passará por debaixo do antigo balão do aeroporto. “Esse é um ponto de entroncamento que realmente causava transtorno para quem queria ir ao aeroporto e voltar”, comenta Fauzi. Com a construção do acesso, haverá uma ligação direta, economizando tempo de viagem. Além dessas duas modificações, a criação das marginais e do túnel, a Epar vai ganhar uma faixa em cada sentido. O projeto completo, que teve investimento em torno de R$ 58 milhões, tem de ser concluído até o Mundial, no ano que vem.


Outro projeto que está sendo tocado pelo DER é o Expresso DF. Trata-se da construção de corredores exclusivos para ônibus especiais. A primeira fase, já em andamento, é o Bus Rapid Transit (BRT) eixo sul. Saindo de terminais no Gama e Santa Maria, ligando as duas cidades ao Plano Piloto, a nova via terá 35 km de extensão e 15 estações. A previsão é de que o novo modelo de transporte atenda 220 mil pessoas por dia, reduzindo o tempo de viagem em 30 minutos. “Chegamos à conclusão de que qualquer obra viária será temporária. Há uma melhora durante um ou dois anos; depois, piora.

Por isso, temos que investir no transporte coletivo”, defende o presidente do órgão. Até dezembro deste ano, de acordo com Fauzi, a obra deve ser concluída. “Essa é uma fase inicial de melhoria de trânsito”, promete.

Obras do VLT no fim da W3 Sul: paralisadas, devem ser retomadas em breve e ficarão sob a gestão do metrô (Minervino Júnior/Encontro/DA Press)
Obras do VLT no fim da W3 Sul: paralisadas, devem ser retomadas em breve e ficarão sob a gestão do metrô

O arquiteto Carlos Cristo é um dos poucos privilegiados que, mesmo precisando usar a via que passa próxima ao aeroporto, não sofre com os transtornos do trânsito. Morador do Park Way, ele tem a sorte de só precisar ir ao Plano Piloto para trabalhar fora dos horários de pico. Outro meio que encontrou para fugir da situação foi almoçar em locais próximos ao trabalho. Mesmo assim, o impacto no tráfego é sentido por sua família.

“Meu filho, agora, leva o dobro do tempo para sair de casa e chegar à faculdade”, conta. Algo que Carlos acha bastante negativo é ser morador de uma zona que sofre com as mudanças no trânsito e não ter sido ouvido por ninguém do governo. Em compensação, como ponto positivo, o arquiteto aprova a tentativa de desenvolver o transporte coletivo.

Secretário adjunto de Obras, Maurício Canovas: 6 mil km da malha viária do DF serão recapeados até maio de 2014 (Minervino Júnior/Encontro/DA Press)
Secretário adjunto de Obras, Maurício Canovas: 6 mil km da malha viária do DF serão recapeados até maio de 2014

Um projeto que está paralisado desde 2011 é o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Suspensa pela justiça por uma série de irregularidades na licitação, a obra agora foi retomada e está sob responsabilidade da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô).


O primeiro trecho estudado para a retomada do projeto é o que ligará o aeroporto ao final da Asa Norte, atravessando toda a extensão da W3 Sul. Inicialmente, apenas a ligação do aeroporto à Asa Sul está com o anteprojeto concluído. A previsão do órgão é de que neste mês sejam contratados os projetos básicos, executivos e da obra. Ivelise Longhi, presidente do Metrô-DF, ressalta que o VLT, que atenderá a 140 mil usuários por dia, terá como um de seus destinos o Terminal da Asa Sul. “Assim, teremos a possibilidade de integração entre o VLT, BRT e metrô.”

Obras do BRT custarão R$ 533 milhões: viaduto no acesso ao Gama (Minervino Júnior/Encontro/DA Press)
Obras do BRT custarão R$ 533 milhões: viaduto no acesso ao Gama

Para retomar as obras do novo meio de transporte, houve um financiamento de parte do valor total do projeto de R$ 300 milhões, por parte da Caixa Econômica Federal. O restante dos valores não pode ser divulgado, já que se trata de um Regime Diferenciado de Licitação, que licitará o projeto pelo menor preço. Para o projeto ser concluído, é preciso 24 meses, contados a partir da assinatura do contrato de licitação pela empresa vencedora. “Por isso, a previsão de conclusão da obra é até o início de 2016. Mas tudo a depender das licitações”, ressalta Ivelise.


Ainda há vestígios da primeira tentativa de implantar o VLT na cidade. O caos no trânsito ocasionado entre o final da W3 Sul e o Setor Policial é provocado pelo esqueleto de um viaduto que nunca foi concluído. Por meio de acordo com o Metrô-DF, a Secretaria de Obras será a responsável por retomar e finalizar esse projeto. A expectativa é de que seja terminada até o início da Copa do Mundo, no ano que vem.

Uma das estações do BRT, no Park Way: serão criados corredores exclusivos de ônibus, ligando o Gama e Santa Maria ao Plano Piloto
Uma das estações do BRT, no Park Way: serão criados corredores exclusivos de ônibus, ligando o Gama e Santa Maria ao Plano Piloto

Outros projetos em andamento na parte viária, de responsabilidade da secretaria, tratam do recapeamento de 6 mil km da malha viária do DF. Alguns trechos já foram recuperados, como os eixinhos e a L4 Sul. Agora, está em andamento a reforma da região central da cidade, englobando Plano Piloto, Sudoeste e Octogonal. A fase foi iniciada com a substituição do asfalto na pista de contorno do Parque da Cidade. A etapa completa custará R$ 154 milhões e tem previsão de conclusão para maio de 2014.

O arquiteto Carlos Cristo, nas obras na EPIA: trajeto para o trabalho fora dos horários de pico para evitar os engarrafamentos
O arquiteto Carlos Cristo, nas obras na EPIA: trajeto para o trabalho fora dos horários de pico para evitar os engarrafamentos

Quem passa pelo Trecho 2 do Setor de Clubes Esportivos Sul pode ver mais uma das obras em andamento que estão sob a responsabilidade da Secretaria de Obras. De acordo com o secretário adjunto, Maurício Canovas, a duplicação de 2,4 km dessa via está prevista desde a criação da Ponte JK. “Essa pista já tem acúmulo de carros, está causando engarrafamentos. Por isso a necessidade de aumentar sua capacidade”, explica. Cerca de R$ 2 milhões serão aplicados na via, que deverá ficar pronta até setembro deste ano.

Obras de duplicação do Setor de Clubes Sul devem ficar prontas em setembro: elas estavam previstas desde a construção da Ponte JK
Obras de duplicação do Setor de Clubes Sul devem ficar prontas em setembro: elas estavam previstas desde a construção da Ponte JK
 

 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017