• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

FITNESS | TENDÊNCIA »

Treinos personalizados

A procura por estúdios de personal trainers tem aquecido a demanda no DF. E os alunos, que buscam praticidade, conforto, comodidade e privacidade, agradecem

Fred Bottrel - Colunista Publicação:06/03/2014 10:58Atualização:06/03/2014 11:44

'O ponto principal é a praticidade. Tempo é o que mais falta na vida da gente, hoje em dia', defende a servidora pública Ana Paula Sampaio (Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
"O ponto principal é a
praticidade. Tempo é o que
mais falta na vida da gente,
hoje em dia", defende a servidora
pública Ana Paula Sampaio
No fim da tarde, não é só o trânsito na EPTG, Epia e Eixo Monumental que testa a paciência dos brasilienses todos os dias. O tráfego também é intenso entre o leg press, o supino reto e a mesa flexora, nas principais academias da cidade. Para fugir desse fluxo, a advogada Juliana Porto e o empresário Edson Dias Chaves abrem os bolsos para uma solução personalizada de treinamento. Gente como eles alimenta a demanda pelo serviço de estúdios de personal trainers, que atendem de dois a três alunos por vez, em espaços reduzidos. A oferta, em resposta, aumentou 22% no ano passado, segundo o Conselho Regional de Educação Física do Distrito Federal (CREDF).


O número de estabelecimentos que oferecem os aparelhos para musculação e os cuidados atenciosos de um profissional focado em grupos menores ainda é pequeno na comparação com as tradicionais academias de ginásticas entupidas de gente – hoje há, em todo o DF, 61 estúdios pequenos, contra 570 academias. Mas, como mostram os números do CRE, a tendência de crescimento é caminho sem volta.


Assim como a opção por esse tipo de serviço, ao menos segundo o administrador Welison Sampaio, que malha com o personal Alexandre Pereira, do estúdio MyFit, há dois anos: “Entrei para me dar ânimo, pensei que a presença de um profissional cobrando fosse auxiliar nesse início. Depois eu não consegui mais parar, porque acabei tomando gosto. A minha ideia era só conquistar disciplina, mas, pelo conforto e pela comodidade da personalização do serviço, não deixo mais”, conta. O professor Pereira acredita que o estúdio propicia espécie de ciclo virtuoso, nas vantagens para alunos e professores. Os profissionais de educação física encontram ambiente menos desgastante e estressante no trabalho em estúdio, atendendo quantidade de alunos bem menor por jornada de trabalho, de acordo com ele. A melhor remuneração é a cereja do bolo. “Já os alunos encontram um serviço de qualidade por um preço justo, com professores motivados e satisfeitos que conduzirão o treino da maneira mais segura e efetiva na busca dos resultados”, define.

O professor Carlos Lima aderiu à tendência considerada pelo Conselho Regional de Educação Física do Distrito Federal: 22% de aumento dos estúdios de personal trainer em 2013 (Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
O professor Carlos Lima aderiu à tendência considerada pelo Conselho Regional de Educação Física do Distrito Federal: 22% de aumento dos estúdios de personal trainer em 2013

'Queria só conquistar disciplina, mas, pelo conforto e pela comodidade, não deixo mais', diz Welison Sampaio, que malha com personal há dois anos (Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
"Queria só conquistar disciplina,
mas, pelo conforto e pela comodidade,
não deixo mais", diz Welison Sampaio,
que malha com personal há dois anos
Outro profissional que aderiu à tendência, Carlos Lima explica como funciona: “Cada aula é montada de acordo com o objetivo do aluno; dependendo, são montadas estações, para um treino mais dinâmico, ou cada aparelho ou situação de movimento é montada individualmente para um treino mais lento, o importante é sempre respeitar os princípios do exercício físico”.


A estudante Ligia Lopes tinha objetivo claro quando procurou um personal em estúdio: encarar um monstro conhecido como “barra”. Para passar no famigerado Teste de Aptidão Física no concurso da Polícia Militar, ela contou com a ajuda de Carlos. “Tinha de ficar parada 10 segundos na pegada pronada (com as mãos viradas para fora)”. Só isso? “Tudo isso! É o terror da mulherada. Treinei por quatro meses”, lembra-se. No começo, ela nunca havia passado perto da barra. Hoje, esnoba: “Agora é fichinha”. Em tempo: ela passou no concurso.


Reinventar o treino em ambientes que variam entre 20 e 80 m² tira suor dos treinadores, mas nada fica de fora, se o trabalho for benfeito, de acordo com Alexandre Pereira: “O professor não perde o acompanhamento próximo de nenhum aluno. Os treinos podem ter duração de 30 minutos ou de uma hora e conseguimos trabalhar a parte muscular, cardiorrespiratória e o alongamento, considerando a quantidade de vezes por semana que o aluno irá frequentar”. Os treinos são alterados periodicamente, respeitando as individualidades, particularidades e limitações de cada aluno. Essa variação de estímulo, além de ser fundamental para os resultados, evita que o treinamento fique maçante e enjoativo.

Em dia com o corpo e com o bolso: Juliana Porto diz que, treinando pilates e personal com Alexandre Pereira, ela economiza cerca de R$ 300 (Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
Em dia com o corpo e com o bolso: Juliana Porto diz que, treinando pilates e personal com Alexandre Pereira, ela economiza cerca de R$ 300

Os resultados são perceptíveis para Edson Chaves: 'Em academias tradicionais, eu ficava quatro horas lá dentro e tinha menos eficiência do que hoje, quando malho uma hora, três vezes por semana' (Bruno Pimentel / Encontro / DA Press)
Os resultados são perceptíveis para
Edson Chaves: "Em academias tradicionais,
eu ficava quatro horas lá
dentro e tinha menos eficiência do
que hoje, quando malho uma
hora, três vezes por semana"
“O ponto principal é a praticidade, tempo é o que mais falta na vida da gente, hoje em dia”, pontua a servidora pública Ana Paula Sampaio. Ela diz que consegue malhar mais rápido, com o serviço personalizado. “Com hora para chegar e hora para sair, o treino fica otimizado dentro da rotina. E com o acompanhamento do professor, você treina mais forte e não dá para enrolar, né?” O empresário Edson Chaves, aluno da Academia da Coluna, garante que os resultados são perceptíveis: “Quando malhava em academia tradicional, eu ia todos os dias, ficava quatro horas lá dentro e tinha menos eficiência do que hoje; vou ao estúdio três vezes por semana e nunca fico mais de uma hora”.


E para quem acha que o serviço dedicado e exclusivo é sinônimo de rombo orçamentário, há quem ache isso tudo muito relativo. Juliana Porto, advogada, destaca a economia que faz: “Em 2009, eu gastava mensalmente com personal e academia quase R$ 1 mil. Hoje eu faço pilates três vezes por semana 1h de personal para musculação, tudo no mesmo espaço e pago mais ou menos R$ 700”.
Nesse quesito, os empresários que investem no ramo se dão bem, de acordo com Carlos Lima: “O investimento inicial é mais acessível; em média com R$ 70 mil é possível montar um estúdio que atenda de forma completa as necessidades dos clientes”. Para a montagem de uma academia completa, o orçamento esbarra em vultosos R$ 1 milhão.


Segundo Sabrina Camargos, outra vantagem dos estúdios é a relação aluno-professor: 'O nível de intimidade com o profissional leva embora a timidez'
 (Bruno Pimentel / Encontro / DA Press)
Segundo Sabrina Camargos,
outra vantagem dos estúdios é a
relação aluno-professor: "O nível
de intimidade com o profissional
leva embora a timidez"
Outros ganhos não podem ser mensurados com tanta exatidão. A paz de escapar do climão-foto-no-espelho-azaração-suplemento fisgou a empresária Evanete Santos: “A questão da privacidade é fundamental, porque quando vou para a academia vou com uma única finalidade, que é malhar e pronto. É uma hora? Então é uma hora de exercícios”.


A treinadora de Evanete, Sabrina Camargos ressalta que o estúdio é de fato ambiente mais reservado e focado. “Diferente das academias, os alunos no estúdio não estão preocupados com desfile de moda, melhor tênis, ou melhor malha... Tenho uma aluna que me diz que toda roupa que vai ficando velha vai entrando para gaveta das roupas de malhar. Geralmente podem estar mais a vontade, o foco é estar em atividade. O nível de intimidade com o profissional já leva embora a timidez.” Com tamanha concentração, não há escapatória, ela ressalta: “É treinar ou treinar”.


Para Evanete Santos, a privacidade é fundamental: 'Quando vou para a academia, vou com a finalidade de malhar e pronto' (Bruno Pimentel / Encontro / DA Press)
Para Evanete Santos, a privacidade
é fundamental: "Quando vou
para a academia, vou com a
finalidade de malhar e pronto"
Por isso, atenção, casais, para a inusitada história que rolou com o personal Carlos Lima. Ele treinava um casal de namorados que compartilhava treinos. A dupla chegou um dia, após um desentendimento sem trocar palavra. “Ficou um clima pesado durante a sessão. Como estava incomodado com aquela situação, resolvi arriscar. Elaborei ali na hora situações de movimentos e exercícios em que seria necessário contato físico, contato visual, um dependia do outro para executar o exercício, e para cumprir a tarefa foram obrigados a interagir. Até que passou a raiva e o mal-estar e, envolvidos pelas tarefas já estavam se dando bem novamente. Depois vieram me falar: além, de tudo ainda realizei uma terapia de casal”. Atualmente eles estão noivos.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017