..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Gastrô | Mercado »

Incríveis ovos de Páscoa

Chegada a época mais doce do ano, chocolaterias e confeiteiras não abandonam os ovos tradicionais, mas criam combinações tão surpreendentes que vão ficar na memória de quem os provar

Jéssica Germano - Redação Publicação:15/04/2014 15:05Atualização:15/04/2014 15:34

O ovo de Páscoa da Tribeca.NY vem recheado de pipoca gourmet: 'As pessoas querem o diferente', acredita a inventora Mariana Rodrigues (Fotos: Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
O ovo de Páscoa da Tribeca.NY
vem recheado de pipoca gourmet:
"As pessoas querem o diferente",
acredita a inventora Mariana Rodrigues
“Quando abri a loja, eu queria causar um encantamento nas pessoas. E a Páscoa remete a isso: é linda, colorida, cheirosa.” A relação de carinho da chocolatier Eliane Valladão com esta época do ano não vem só pela associação óbvia. “Nós já começamos na Páscoa”, conta. A inauguração da Cacahuá aconteceu há seis anos, exatamente três semanas antes da data cristã, achocolatada pelos franceses. Desde então, foram as ideias e o aperfeiçoamento cada vez mais nítido nos sabores que deram norte para as produções que recheiam de sabor a Semana Santa.


Indo além do branco, preto e crocante, não só a Cacahuá, mas outras marcas da cidade apostam na combinação de suas especialidades junto ao chocolate enformado e trazem ovos de Páscoa que certamente valerão a troca dos clássicos brindes. Com novidades a cada ano, Eliane Valladão mantém os seus queridinhos: o de chocolate belga recheado com noz pecan e caramelo encabeça a lista de mais de 20 criações – e arrebata novos fãs a cada combinação inusitada. Caso do Ovo Hamú, com recheio da casca de cardamomo (planta difundida na culinária do Oriente Médio), café e creme de leite fresco (R$ 69), e do Tiramisú, que envolve com chocolate meio amargo a clássica sobremesa italiana de queijo mascarpone e café (R$ 59). O primeiro veio em homenagem à colega no ramo comercial Fátima Hamú, que até o início do ano liderava o árabe Lagash. Com o fechamento de um dos restaurantes mais tradicionais da cidade, Eliane quis registrar a admiração pela chef e desejar bons fluidos à nova fase do negócio que segue como empório. “A construção foi um pouco tensa, mas o resultado ficou melhor do que imaginávamos”, assume sobre a mistura de especiaria com fruto, que resultou em sintonia perfeita.

Para homenagear a chef Fátima Hamú, do extinto Lagash, Eliane Valladão desenvolveu um ovo com recheio da casca de cardamomo, café e creme de leite fresco (Fotos: Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
Para homenagear a chef Fátima Hamú, do extinto Lagash, Eliane Valladão desenvolveu um ovo com recheio da casca de cardamomo, café e creme de leite fresco

'As pessoas já terminam a Páscoa perguntando se no ano que vem vai ter de novo', conta a chef doceira Carol Ludwig, da Puro Brigadeiria (Fotos: Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
"As pessoas já terminam a Páscoa perguntando
se no ano que vem vai ter de novo",
conta a chef doceira Carol Ludwig,
da Puro Brigadeiria
Sobre a banda de ovo recheada com a sobremesa mais pedida pelos clientes da Cacahuá, a justificativa foi mais simples, com um quê de passional. “Nós somos loucos por esse tiramisú”, declara, incluindo a equipe da chocolateria. “Nele, não houve uma surpresa.” Assim como todas as produções originadas do cacau da casa, a casca do ovo é feita com chocolate belga e, por uma questão de viabilidade para receber o tiramisú, é a única receita a levar uma pequena dose de conservante. “Nesse, priorizamos o recheio”, justifica Eliane, explicando também porque nunca enjoou do cheiro doce que sente na fábrica diariamente. “Trabalhamos com chocolate sem gordura hidrogenada, sem conservantes e quase sem açúcar”, itens característicos na alteração do olfato do ingrediente.


Pelas mãos da chef doceira Carol Ludwig, foi também o queridinho da Puro Brigadeiria que liderou os recheios de ovos temáticos. Indiscutivelmente o brigadeiro mais pedido da marca – que agora voltou a trabalhar somente com encomendas –, o crème brûlée aparece em uma cama de chocolate meio amargo belga, recheado com o doce que recebe a crocância do maçarico no meio e em cima. Pelo segundo ano na lista de produtos para a Páscoa, a combinação repete o sucesso do docinho. “Não conseguimos parar de fazê-lo”, comenta. “As pessoas já terminam a Páscoa perguntando se no ano que vem vai ter de novo”.


Febre na cidade, os macarons viraram recheio de ovo de Páscoa: o doce combina com qualquer sabor (Fotos: Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
Febre na cidade, os macarons viraram
recheio de ovo de Páscoa: o
doce combina com
qualquer sabor
Com a filosofia de que, para ter sucesso, é preciso estar sempre inovando, Carol foi além da opção de casca de chocolate importado recheada por qualquer um dos brigadeiros da Puro, à escolha do cliente (R$ 89). Em uma banda de ovo, próximo ao tamanho 20 dos industriais, as duas novas receitas para a Páscoa de 2014 mesclam camadas e têm cara mais de sobremesa gourmet (R$ 99). Na primeira, o brigadeiro de frutas vermelhas se alterna com o tradicional e vem acrescido de morangos, amoras e framboesa, in natura, e granulado belga por cima. No Nuvem de Limão, é o brigadeiro do fruto azedo, acomodado em uma banda de chocolate branco, que acompanha um merengue decorado com physalis. “Não tem mais como fazermos ovo de Páscoa sem ser com brigadeiro”, frisa Carol, como quem justifica as criações que têm tudo para agradar tanto quanto o inspirado na receita doce eternizada por Amélie Poulain.


Para a confeiteira Alessandra Bicalho, da Doce Maison, as pessoas estão optando por qualidade, inclusive para escolher o ovo de Páscoa (Fotos: Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
Para a confeiteira Alessandra Bicalho,
da Doce Maison, as pessoas estão optando
por qualidade, inclusive para escolher
o ovo de Páscoa
Pipoca com algum ingrediente que não sal ou açúcar caramelizado já espantaria. Se no combo entrasse chocolate importado, cappuccino ou especiarias seria de duas uma: repulsão completa ou juramento de amor. Foi apostando na segunda reação que Mariana Rodrigues criou, há um ano, a Tribeca.NY, marca com 25 sabores de pipoca gourmet, e acertou. Com loja física inaugurada no fim de fevereiro em Águas Claras, o negócio conquistou clientela fiel – que frequentemente sai do Plano Piloto para comprar os saquinhos de receitas mágicas – e promete continuar crescendo. “As pessoas querem o diferente”, observa, destacando a decisão de investir em inovação com qualidade.


Foi assim com datas marcantes do calendário. “No fim do ano nós criamos a bola de Natal para pôr na árvore, recheada com pipoca. Com a chegada da Páscoa, nós pensamos: por que não o brinde do ovo ser a pipoca?.” Em parceria com uma doceira, Mariana recebe ovos artesanais de chocolate belga rendados, e prepara o recheio inusitado, com opção de personalização em 20 sabores. “Em vez de ser o chocolate com crocante na massa, a pipoca é que vai dar a crocância”, tenta descrever a composição, com dificuldades de se aproximar da surpresa final no paladar. As combinações, mescladas com cinco sabores de casca (chocolate ao leite, meio amargo, branco, limão, caramelo e morango) e recheios como, Ovomaltine, Ouro Branco, paçoca, Twix e amora crispy (de R$ 20 a R$ 40), dão uma ideia do que esperar. Em versão de 13 centímetros, a garantia da sintonia entre ingrediente belga e milho estourado vem da própria criadora. “Quem gosta de pipoca, vai ficar apaixonado”, afirma a doceira, que não esconde fazer parte da parcela.


Combinações inusitadas: um dos sucessos da Cacahuá é o ovo Tiramisú, com chocolate meio amargo, queijo mascarpone e café (Fotos: Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
Combinações inusitadas: um dos sucessos
da Cacahuá é o ovo Tiramisú, com
chocolate meio amargo, queijo
mascarpone e café

Para a confeiteira Alessandra Bicalho, um ensinamento da culinária açucarada resume bem a oferta de ovos diferentes: “Você pode usar uma base e fazer dela mais de 30 tipos de doce. É muita coisa”. No comando, ao lado da irmã Ariane Reis, da Doce Maison, elas dão as boas-vindas à segunda Páscoa da loja, acreditando no poder de uma receita curinga com incrementos. Depois de apostarem em uma trilogia de miniovos recheados com brigadeiros tipo belga de colher (R$ 55), este ano a marca investiu também no doce que há algum tempo seduziu os brasilienses. “Está uma febre: desde o meio do ano passado, o macaron está com uma saída muito boa”. A decisão, então, ficou gastronomicamente fácil. “Esse doce, por si só, combina com qualquer sabor”, cita a neutralidade da farinha de amêndoas, ingrediente básico da receita com textura de suspiro.


Na loja da 213 Sul, o ovo de macaron (R$ 29) pode vir tanto em linha de chocolate nacional quanto belga. Na segunda opção, a variedade cresce para chocolate ao leite, branco, meio amargo ou versão diet (R$ 68). O recheio fica por conta de seis dos doces franceses com formato de biscoito que, por encomenda, podem vir em qualquer um dos sabores feitos na casa, mas ganham destaque na versão de frutas vermelhas e trufa ao leite. Com expectativa do mesmo sucesso que o ano passado, as irmãs confeiteiras se respaldam em um fator que tem aquecido o comércio de produtos artesanais e exclusivos na cidade: “As pessoas estão optando por qualidade”, comenta Alessandra também sobre a Páscoa, com aval de Ariane.

 (Fotos: Raimundo Sampaio / Encontro / DA Press)
 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017