..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

ESPECIAL ANIVERSÁRIO | MODA »

O local tem seu valor

Carolina Samorano - Redação Publicação:30/04/2014 13:19Atualização:30/04/2014 14:21

Pode até não parecer, mas nem só das marcas instaladas nos principais shoppings é feita a moda na capital. Os melhores segredos da cidade se escondem pelas quadras, subsolos, bairros mais distantes ou mesmo por ateliês reservados, de clientela selecionada, em endereços nobres. No mês das homenagens ao aniversário de Brasília, convidamos mulheres modernas e de gosto afiado para provarem que já não faz mais sentido repetir à exaustão o velho clichê de que não existe boa moda na capital.

Elas têm estilo próprio, gostam e consomem moda. Conhecem as principais grifes daqui e de fora. Algumas colecionam peças à altura de closets de celebridades. Mas são também fiéis admiradoras de marcas legítimas da capital. A convite de Encontro Brasília, elas montaram produções com peças-chave de suas marcas preferidas da cidade. Da moda jovem, de vestidos curtos estampados a delicados trabalhos em seda, você vai ver que em nada o made in Brasília deve às grandes grifes do cenário fashion nacional.

Vestido: So Cute 
Sapato e bolsa: Acervo pessoal
Vestido: So Cute
Sapato e bolsa: Acervo pessoal
A marca:
Karoliny Buhcol, de apenas 24 anos, é o nome por trás da marca de moda jovem que tem conquistado meninas moderninhas da cidade. Karoliny se formou em direito, mas sempre teve na moda sua verdadeira paixão. Criou a So Cute há cinco anos: a ideia era vender para amigas. Por causa das redes sociais, viu os negócios crescerem e passou a levar seus vestidos e saias românticos para feiras. A primeira loja nasceu há dois anos, no Sudoeste. Há um ano, abriu a segunda, em Taguatinga. Embora admita que faça suas criações pensando no público jovem, Karoliny diz que as vendas são ecléticas: as criações ganharam o coração de mulheres de todos os estilos e idades.

A modelo:
A administradora e autora do blog Mundo Lillac (www.mundolillac.com), Elaine Bruno, de 30 anos, conheceu a marca há três anos, pela internet, quando as peças ainda eram vendidas na garagem da casa da estilista. Nunca mais deixou de consumir. “Gosto porque, embora as peças tenham essa cara de menininha, são versáteis. Posso jogar uma jaqueta ou blazer e ir trabalhar, por exemplo”, diz. Fã de moda, Elaine acredita que o mercado de Brasília ainda tem muito o que mostrar. “Diz-se muito que Brasília não tem público, mas quem mete a cara,
abre a própria loja e mostra para as pessoas, na internet, por exemplo, consegue
se dar bem”, acredita.


Macaquinho: Setedezessete 
Sapato, bolsa e óculos: Acervo pessoal
Macaquinho: Setedezessete
Sapato, bolsa e óculos: Acervo pessoal
A marca:
A Setedezessete, das primas Bruna e Luiza Resende, nasceu em 2010 apostando em uma moda jovem, com a cara de suas criadoras, investindo em peças femininas e casuais, seguindo as tendências apresentadas nas passarelas. Funcionou. Com quase quatro anos de mercado, a marca conquistou uma horda
de meninas antenadas com a moda. No ano passado, abriu uma loja no Lago Sul. Os macaquinhos estampados ou em renda e os vestidos curtos são o ponto forte da grife.

A modelo:
Amanda Guerra define-se como “advogada apaixonada por moda”. Coleciona sapatos, bolsas e carteiras das mais estreladas grifes internacionais, que traz de viagens. Para as roupas, aprendeu a apreciar e consumir a moda feita por aqui. A criadora da Setedezessete era sua amiga nos tempos de colégio. Amanda a redescobriu anos depois pela internet. “Quanto mais eu ia, mais queria voltar”, conta. Como é adepta da praticidade das peças únicas, como vestidos e macaquinhos, foi fácil se identificar com o estilo da marca. “A moda de Brasília tem qualidade porque as pessoas aqui gostam de se vestir bem. Tanto que vemos que o mercado tem se especializado mais”, comenta.








Vestido: Romildo Nascimento 
Open boot: Belluno
Vestido: Romildo Nascimento
Open boot: Belluno
A marca:
Romildo é um dos nomes mais conhecidos da moda brasiliense. Atendente em uma farmácia, teve seu talento para a moda descoberto em 2006, no concurso de novos talentos do Capital Fashion Week. De onde veio, a Ceilândia, continua até hoje — e de lá não tem planos de sair. Em 2010 encantou o estilista japonês Kenzo Takada, quando ele esteve em Brasília para conhecer os talentos da cidade. Comprou uma camisa da coleção de Romildo. Depois, em 2012, foi finalista de um reality show para revelar novos nomes da moda no programa da Xuxa. Ficou em segundo lugar e vem colhendo frutos da participação. Hoje diz
que não tem do que reclamar do mercado de Brasília: a marca tem crescido e os negócios vão para lá de bem.

A modelo:

A servidora pública Fernanda Neves, de 38 anos, conheceu Romildo Nascimento no seu primeiro desfile, em 2006, quando foi descoberto pelo Capital Fashion Week. Foi fisgada pelo estilo do pernambucano e pela versatilidade das peças. “Foi uma amiga que me falou do trabalho dele e eu fui ver o desfile. Nunca mais parei de comprar”, diz. Fernanda gosta de moda, acompanha as tendências como pode, mas confessa que, entre os talentos da capital, é fiel ao trabalho do estilista. “Agora estou de olho na coleção masculina dele. Amei as camisas”, ri.






Saia, blusa e bolsa: Tutuia 
Sandália: Belluno
Saia, blusa e bolsa: Tutuia
Sandália: Belluno
A marca:
A Tutuia, da estilista Fernanda Alves, é recente em Brasília: o ateliê, no Guará, existe desde 2011. Mesmo assim, seu trabalho com couro tem chamado atenção por aí. São vestidos, saias e camisetas de corte aparentemente simples, mas com caimento impecável e cores vivas, como pink e verde. Tudo bastante atemporal, ainda que muito moderno. As bolsas também são queridinhas entre as clientes do ateliê, além de acessórios como as bijuterias feitas em couro, madeira e acrílico.

A modelo:
A apresentadora do YouTube (www.youtube.com/producoesr2oficial) Helen Morais, de 26 anos, considera-se “bem ligada” em moda. Fica de olho nas tendências, novidades e marcas. Tem com a estilista da Tutuia uma relação quase familiar: Fernanda Alves é amiga de infância da cunhada. Depois que conheceu a marca, no entanto, virou consumidora ávida. “Sempre que ela lança coisa nova fico querendo tudo”, conta. Consumidora da moda local, Helen acredita que os estilistas daqui vêm finalmente conquistando seu espaço. “Todo mundo pode ter seu lugarzinho ao sol. O mercado está em ascensão. Acho legal valorizarmos o que é feito no quadrado”, diz.








Short e camisa: Letícia Gonzaga 
Sandália: Acervo pessoal
Short e camisa: Letícia Gonzaga
Sandália: Acervo pessoal
A marca:
Embora tenha caído definitivamente no gosto das brasilienses há pouco tempo, a marca tem já mais de 20 anos no mercado de Brasília. Até dois anos atrás, no entanto, dedicava-se a confeccionar roupas para outras marcas da cidade. Desde que assumiu sua própria etiqueta, Letícia Gonzaga tem arrebanhado bem-nascidas e mulheres antenadas da cidade. Apesar de ser conhecida pela camisaria em seda — a empresária diz que 80% do que está pendurado nas araras é feito da fibra  —, o ateliê tem também boas peças em renda e alfaiataria. Antes vendendo só no ateliê da grife, na 506 Sul, a marca abriu recentemente uma loja temporária na 211 Sul. Com a produção crescente, a marca tem conseguido investir em estamparia exclusiva. A coleção de inverno traz referências da Escócia.


A modelo:
A psicóloga Ana Luiza Favato, de 37 anos, já é conhecida das fashionistas da cidade. Ela está por trás do blog que leva o seu nome (www.analuizafavato.com). Seus looks viraram referência de estilo pela internet. Por meio do trabalho que conheceu Letícia Gonzaga. “Ela me convidou para conhecer a marca e me surpreendi com o trabalho. Gosto muito do corte, das camisas, e acho que ela está se saindo muito bem com as estampas também”, enumera. Virar fã de uma marca 100% made in Brasília fez com que ela derrubasse até os próprios preconceitos. “Nós, que somos da cidade, não acreditamos muito que vamos encontrar coisas assim aqui. Eu fiquei encantada”, conclui.




FICHA TÉCNICA:

Fotos: Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press Produção: Gisele Santos Cabelo e maquiagem: Néli Moreira, Cleidiane Bernardo, Karana Costa, Maryane Santos e Madalena Marcolino, da equipe Helio Diff (Amanda Guerra, Elaine Bruno, Fernanda Neves e Helen Morais); e Lídia Carvalho e Douglas Amorim, da equipe Red Hair & Make Up (Ana Luiza Favato)

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017