..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Coluna »

No poder | Denise Rothenburg

Denise Rothenburg - Colunista Publicação:23/09/2014 11:33Atualização:23/09/2014 11:56
Tempo de campanha
  
No debate entre os candidatos a governador do DF realizado pela TV Brasília e pelo Correio Braziliense, Luiz Pitiman não perdeu tempo. Mal o talentoso maquiador Duda Braga se aproximou para deixar o tom da pele compatível com a luz do estúdio, Pitiman sacou um cartão do bolso com o seu número: 'Preciso do seu voto, sou o candidato à verdadeira mudança' e por aí foi. 'Guarde este cartão. Com ele você terá acesso direto ao Buriti para conversar com o futuro govenador', completou. Duda guardou o cartão. Pitiman foi o único a lhe pedir diretamente o voto. (Breno Fortes / CB / DA Press)
Tempo de campanha


No debate entre os candidatos a governador do DF realizado pela TV Brasília e pelo Correio Braziliense, Luiz Pitiman não perdeu tempo. Mal o talentoso maquiador Duda Braga se aproximou para deixar o tom da pele compatível com a luz do estúdio, Pitiman sacou um cartão do bolso com o seu número: "Preciso do seu voto, sou o candidato à verdadeira mudança" e por aí foi. "Guarde este cartão. Com ele você terá acesso direto ao Buriti para conversar com o futuro govenador", completou. Duda guardou o cartão. Pitiman foi o único a lhe pedir diretamente o voto.

 (Iano Andrade / CB/ DA Press)
Histórias de Eduardo

O ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, falecido em 13 de agosto, tinha uma simpatia enorme por Brasília. Sempre reunia amigos, muitos jornalistas inclusive, para almoços ou jantares, onde as conversas corriam soltas, sem se preocupar muito com as mesas ao lado.

Certa vez, num restaurante, uma senhora se levantou da mesa onde almoçava sozinha e abordou o grupo, indignada com a forma divertida como todos ali falavam de política – aliás, uma marca da personalidade de Eduardo, tratar da política com bom humor.

Educadamente, ele pediu à senhora que se retirasse: “Olha, por favor, nós estamos numa conversa aqui à base de água e café. A senhora já tomou uma garrafa de vinho, que nós vimos, então, por favor, deixe-nos terminar a nossa conversa”. A mulher saiu pedindo desculpas e sem esconder a indignação. Ah, um detalhe que poucos lembraram: ele também era firme quando necessário. Um quadro jovem da política que certamente fará muita falta.


 (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

 

E o Zé, hein?

José Dirceu tem aproveitado as vantagens que o regime semiaberto lhe permite. Alguns pais ficaram estarrecidos ao vê-lo na escola de educação infantil da filha, dia desses. Sinal de que, aos poucos, o ex-ministro vai tentando retomar o convívio social.

 

 

 


O perigo das placas 
Com os últimos dias de campanha eleitoral, as placas de candidatos vão aumentando à beira das vias públicas. Em Brasília, São Paulo e Belém, alguns colocam os cartazes no meio da rua, aumentando os riscos de acidentes. Atenção, candidatos e cabos eleitorais: muita calma nessa hora! Quem não conseguiu o voto até agora não será com a placa no meio da rua, 
atrapalhando o trânsito, que vai conseguir. (Gustavo Moreno / CB / DA Press)
O perigo das placas

Com os últimos dias de campanha eleitoral, as placas de candidatos vão aumentando à beira das vias públicas. Em Brasília, São Paulo e Belém, alguns colocam os cartazes no meio da rua, aumentando os riscos de acidentes. Atenção, candidatos e cabos eleitorais: muita calma nessa hora! Quem não conseguiu o voto até agora não será com a placa no meio da rua, atrapalhando o trânsito, que vai conseguir.

 

 (Paulo Whitaker / Divulgação)
 

                                                            Remédios & receitas I

Em tempo de campanha, aqueles que adoram política ficam tentando ajudar seus candidatos. Aécio Neves, por exemplo, vem sendo aconselhado a colocar Marina Silva e Dilma Rousseff juntas no quesito tomada de decisão. Ou seja, demoram tanto que terminam atravancando o desenvolvimento do país. O problema é que essa tomada vem tarde demais.

                                                              Remédios & Receitas II

No caso de Dilma Rousseff, os conselhos são ir para a rua o mais rápido possível. Nos últimos dias, chegou ao ponto de marcar compromissos em cima da hora. Ela não sabia nem mesmo se manteria a viagem a Nova York para participar da abertura da Assembleia Geral da ONU.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017