..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Negócios | Estética »

O mercado do bem-estar

Brasília está entre as quatro capitais mais promissoras para o setor de spas. Além da preocupação estética, o que atrai a clientela é a necessidade de aliviar as tensões do dia a dia

Kelly Almeida - Redação Manoela Alcântara - Redação Publicação:23/10/2014 14:05Atualização:24/10/2014 16:09

Helena Mazzaro, 
frequentadora do Nuwa 
Spa, diz que massagem 
não é futilidade: 'Faz 
parte da minha vida. 
É uma válvula de escape 
para os dias estressantes' (Bruno Pimentel/Encontro/DA Press)
Helena Mazzaro, frequentadora do Nuwa Spa, diz que massagem não é futilidade: "Faz parte da minha vida. É uma válvula de escape para os dias estressantes"
A busca da população por bem-estar, relaxamento, terapias corporais ou tratamentos estéticos faz o mercado de spas no Brasil ter uma perspectiva de crescimento constante até a próxima década. Fugir do estresse do trânsito, do trabalho ou até mesmo ter um auxílio em tratamentos de doenças como a depressão têm levado milhares de pessoas a esse tipo de estabelecimento. A maioria do público é jovem, segundo levantamento da Associação Brasileira de Clínicas e spas (ABC SPAs). São adultos com idades entre 25 e 45 anos, que chegam a gastar R$ 2 mil em um só dia de terapias corporais. O investimento no bem-estar movimenta R$ 370 milhões por ano no Brasil.


Em todo o país, existem mil spas. Brasília figura entra as quatro cidades com maior procura. Embora tenha somente 30 estabelecimentos do tipo, é um dos mercados considerados promissores pelos especialistas no setor. São Paulo é o grande centro nacional dos SPAs, mas Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília também têm sido grandes balizadoras desse mercado. Nesses locais, os clientes podem encontrar equipamentos de última geração e conhecer as novidades em procedimentos de ponta.


A capital brasileira segue uma tendência nacional de mercado. A maioria das empresas é de pequeno e médio porte, com faturamento mensal entre R$ 20 mil e R$ 40 mil. Investir em profissionais qualificados, em técnicas novas e na decoração são os principais diferenciais das empresas que começam a ir além da média nacional. “Esse mercado cresce em um ritmo bom, mas não como ocorreu entre 2009 e 2012, especialmente pela desaceleração econômica. Apostamos no próximo ano”, ressalta Gustavo Albanesi, presidente do conselho da ABC Spas.


Por indicação médica, a bancária Patrícia de Castro procurou o spa: 'Melhorou meu sono e proporcionou autoconhecimento do meu corpo' (Bruno Pimentel/Encontro/DA Press)
Por indicação médica, a bancária
Patrícia de Castro procurou o spa:
"Melhorou meu sono e proporcionou
autoconhecimento do meu corpo"
Enquanto o setor hoteleiro trabalha com taxa de ocupação de 60% por dia para se manter aberto, os spas precisam ter, todos os dias, pelo menos 30% das salas em pleno funcionamento. “Muitos abriram, mas, com a crise econômica, não conseguiram segurar. Os que conseguem passar por esse momento serão beneficiados no futuro”, explica Albanesi.


De acordo com o presidente, as principais dificuldades enfrentadas no segmento são a falta de mão-de -obra qualificada e a rotina ainda pouco frequente das pessoas em spas. “É preciso trabalhar de forma qualificada para atender o cliente com certo padrão e fidelizá-lo”, explica. Albanesi é dono da rede Buddha Spa e atua no segmento desde 2001. Hoje, são 18 estabelecimentos em vários estados, o que torna a rede a maior do país. “Ainda acho que esse mercado está em fase de desenvolvimento. Houve, sim, uma evolução, mas há muito o que crescer ainda”, conclui.


Ciente da necessidade do mercado de serviços de qualidade, Pedro Pinto Vasco e a esposa, Gizelle Monteiro, decidiram aumentar os investimentos no setor. Proprietários da marca Spa & Cia há quase dois anos, tinham duas unidades no DF com o nome: uma no Shopping Pier 21 e outra no Condomínio Living Park Sul. Resolveram alterar a marca dos estabelecimentos para facilitar o início de uma rede de franquias. Transformaram os espaços existentes em Eliá Spa. Abriram ainda uma nova unidade no Terraço Shopping e já têm outros contratos em vista.
O objetivo é abrir spas em lugares diferentes para atender públicos nos mais diversos ambientes. “Vamos ter um spa em um condomínio, dentro de uma academia, em um shopping e já estamos fechando um contrato com um hotel-fazenda, com outro conceito, o de programas de emagrecimento”, revela o sócio majoritário da rede Eliá, Pedro Pinto Vasco.


Estela Boner, dona do Nuwa Spa, tem 1,5 mil clientes por mês: 'Sou eu que escolho o som, os aromas. Cuido de tudo' (Bruno Pimentel/Encontro/DA Press)
Estela Boner, dona do Nuwa Spa,
tem 1,5 mil clientes por mês: "Sou
eu que escolho o som, os aromas.
Cuido de tudo"
Segundo ele, a área de relaxamento tem ganhado força no DF. Hoje, os dois spas recebem 1,1 mil clientes por mês. A expectativa é de que, com a unidade do Terraço Shopping, dentro de uma academia, mais 300 pessoas frequentem a rede por mês. Um dos serviços mais vendidos é a massagem ayurvédica. “Esse boom que está acontecendo agora ocorreu nos Estados Unidos na década de 1980. Na Europa, no início do ano 2000. Aqui no Brasil ainda está se desenvolvendo e vai abrir muito mais”, diz. Com a nova identidade visual, a rede se adequa à origem do nome. Eliá é uma palavra em grego que significa oliva. “Tem a ver com o azeite e com a nova linha de produtos que vamos introduzir. Teremos ainda rituais exclusivos, inspirados em técnicas do Marrocos, da Tunísia. Os produtos da região do mar Mediterrâneo também estarão dentro do novo estilo”, conta.


Cliente do novo espaço, localizado no Pier 21, a advogada e professora Betina Gunther não abre mão de ir ao spa duas vezes por semana. Em um dia, opta pelo relaxamento; no outro, por tratamentos estéticos. “É qualidade de vida, nós nos sentimos melhor. Antes, tinha muita dor nas costas, devido à tensão do dia a dia. Melhorei muito, não vivo sem o spa. Já a drenagem ajuda a desinchar, reduz a celulite”, diz.


A advogada tem uma tática para não pesar no bolso. “Geralmente, faço dois planos, que duram dois meses. Quando acaba uma prestação, já faço outra. O resultado é como o de um tratamento mesmo, vem com o tempo e a assiduidade”, enfatiza Betina, que não hesita em indicar as massagens para amigos e familiares. “Sempre com o retorno de satisfação”, garante.
Há três anos no mercado brasiliense, a empresária e fisioterapeuta Fernanda Gomes da Silva percebe maior procura pelo mercado de relaxamento. Para conseguir atender à demanda, ela precisou abrir um novo espaço em 2013. Inovou. Iniciou uma proposta para atender noivas. “Cada vez mais, as pessoas despertam a consciência de que precisam cuidar do corpo e da mente. A procura aumentou consideravelmente de uns oito anos para cá”, afirma.


 (Raimundo Sampaio / Fonte: Dados do 1º Relatório Estatístico do Mercado Brasileiro de Spas, divulgado pela Associação Brasileira de Clínicas e Spas %u2013 ABC Spas em 2013)
Especialista na área de relaxamento, Fernanda conta que a massagem como tratamento para doenças como depressão, estresse e insônia tem impulsionado o setor. “As pessoas chegam aqui com indicação médica e, realmente, veem resultado. Os profissionais da psiquiatria e psicologia têm optado por esse modelo de tratamento”, completa. Há ainda a procura por reabilitação e melhoria postural.


Foi um atestado médico que levou a bancária Patrícia de Castro Passos ao spa. A psicóloga indicou como terapia alternativa. Desde março, ela frequenta o Aquamarine Day Spa, uma vez por semana. “Todo mundo precisa disso. Melhorou meu sono e proporcionou o autoconhecimento sobre meu corpo. Antes, perdia até quatro horas de sono por noite”, afirma.


A administradora Helena Mazzaro Peres descobriu a paixão por massagem há dois anos, quando conheceu a técnica com o pai, um frequentador. Hoje, ela vai ao spa ao menos uma vez por mês. Arrisca-se a testar novos relaxamentos, mas o preferido é a ayurvédica. “Para mim, não é futilidade. A massagem faz parte da minha vida. É uma válvula de escape para o estresse. Desligo-me de tudo, relaxo, paro de sentir dores no corpo”, conta.


A fisioterapeuta Fernanda Gomes, do Aquamarine Day Spa, percebe  aumento na procura por relaxamento: 
'Cada vez mais, as pessoas despertam a consciência de que precisam cuidar do corpo e da mente' (Bruno Pimentel/Encontro/DA Press)
A fisioterapeuta Fernanda Gomes, do Aquamarine Day Spa, percebe aumento na procura por relaxamento: "Cada vez mais, as pessoas despertam a consciência de que precisam cuidar do corpo e da mente"
Sempre que viaja, Helena procura um local onde possa testar novas técnicas. “Meu hobby é conhecer as massagens. A todo país que vou, faço uma para entender a técnica usada no local. O próximo destino é a Ásia. Estou animada para conhecer as técnicas usadas lá. Claro que não troco o profissional que faz as minhas massagens hoje, mas é bom conhecer como as pessoas trabalham em outros lugares”, complementa. E por se sentir bem recebendo massagens, a administradora não pensa duas vezes quando tem de dar um presente. “Sempre que tenho oportunidade, presenteio para as minhas amigas. Até venho com elas depois do trabalho. Fazemos a massagem, depois pegamos uma sauna. Saimos outras pessoas”, garante.


A empresária Estela Boner é uma das responsáveis por fazer Helena Peres se encantar com as técnicas. Dona do Nuwa Spa, com quatro espaços no DF, Estela é formada em análise de sistemas. Decidiu abrir a primeira loja com o objetivo de cuidar das pessoas. Para isso, paralelo aos estudos da Universidade de Brasília (UnB), lia muito sobre alimentação saudável, meditação e técnicas de massagens. “Fiquei um ano pensando e planejando tudo, até que abri a primeira loja em 2007. Sempre gostei de receber as pessoas de que gosto e trouxe isso para os spas. Receber um toque tem vários reflexos, tira o que não é bom e nutre a pessoa de boas energias”, conta a empresária, que também faz massagens nos clientes.


O Nuwa tem 45 funcionários e atende aproximadamente 1,5 mil clientes por mês. O nome foi escolhido depois de Estela ler um livro . “Vi a palavra e achei interessante. Significa uma deusa da mitologia chinesa. Fiquei com aquilo na cabeça e decidi que seria o nome do spa”, conta. O sucesso do Nuwa é tanto que, recentemente, a maior loja mudou para o Royal Tulip, com vista para o lago Paranoá.


O investimento com a mudança foi feito para agradar à clientela brasiliense e oferecer mais conforto. “Em sete anos, o mercado dos spas mudou muito, cresceu. O brasileiro não tinha muita tradição de frequentar. Hoje, a procura é boa, tem muitos eventos voltados para essa área. Também gosto de estar sempre aprendendo e me especializando. Aqui, sou eu que escolho o som, os aromas. Cuido de tudo”, explica Estela.

 

 

MASSAGENS MAIS PROCURADAS


Ayurvédica

A técnica foi desenvolvida na Índia há mais de 5 mil anos. Consiste numa massagem profunda de toda a massa muscular, com manobras de tração e alongamentos, estimulação de pontos e orgãos vitais, reequilibrando totalmente o corpo, as emoções e a mente. Ajuda a alinhar a coluna vertebral, corrigindo a postura corporal, aumenta a capacidade respiratória, estimula a circulação sanguínea e linfática. Nela, são usados óleos vegetais e essenciais, preparados com ervas medicinais.


Shiatsu

A técnica é japonesa e tem raízes na medicina tradicional chinesa. Atua por meio de pressões realizadas nos pontos meridianos de acupuntura, com polegares, dedos, palmas das mãos, cotovelos e pés, equilibrando e aumentando o fluxo energético do organismo. É eficaz no tratamento de dores musculares e relaxamento corporal.


Com ervas quentes

É inspirada nas tradições tailandesa e indiana, com o uso de ervas medicinais
e aromáticas e óleos vegetais, preparados em pequenos pacotinhos, aquecidos
e aplicados em manobras ritmadas e suaves. Com propriedades relaxante, desintoxicante e terapêutica, a técnica alivia dores musculares, inflamações
e desintoxica, sendo um rico complemento aos demais tratamentos corporais.

 
Drenagem linfática

A técnica estimula a circulação linfática, promovendo a eliminação dos líquidos
e resíduos metabólicos do organismo, com manobras suaves e ritmadas nas vias linfáticas. É muito recomendada para o pré e o pós-operatório de cirurgias plásticas. Também estimula e regeneração dos tecidos e tem aplicação no tratamento da celulite e gorduras localizadas, devido à eliminação de líquidos, além de relaxar.

 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017