..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Retratos da Cidade | Leilane Menezes »

Brilho natalino

Leilane Menezes - Colunista Publicação:19/12/2014 17:00Atualização:19/12/2014 17:25

 (Bruno Pimentel)
 

Brilho natalino

 

A decoração de Natal da 315 Norte é famosa e premiada. Os moradores dos 528 apartamentos da quadra contribuíram com taxa extra de condomínio para iluminar os jardins em frente aos blocos. Neste ano, foram investidos cerca de R$ 10 mil em luzes, instalação e mão de obra especializada de um artista plástico. “Talvez essa seja a única quadra em que todos os moradores contribuem, sem nenhuma inadimplência. A 315 Norte é muito especial e por isso conseguimos fazer esse trabalho todo ano, desde 2007”, diz o prefeito da quadra, Pedro Caixeta. A visitação é tradicional e cresce a cada dezembro. Até quem não vive nessa vizinhança costuma aparecer para se encantar com o capricho dos enfeites. 

 

 

 

 (Raimundo Sampaio)

Comunidade ecológica

 

No sistema agroflorestal, diversas plantas trabalham em cooperação. Esse modelo parece ter inspirado o comportamento dos moradores da 206 Norte, que se uniram em torno de um projeto ambiental criativo e inovador. Eles construíram viveiro, horta e um espaço denominado SAF, que reproduz as condições típicas do sistema agroflorestal. A iniciativa ganhou nome de Re-ação e deseja despertar a consciência ambiental, além de promover a interação social. Há mutirões de plantação, oficinas de técnicas agrícolas e educativas. O desafio agora é multiplicar essa experiência em outras quadras, tornando a ideia modelo de agricultura urbana. Para isso, a iniciativa contacom financiamento coletivo. Informações: catarse.me/projetoreacao.

 

 

 (Raimundo Sampaio)
 

Só para cães

 

Depois de conquistar uma área cercada especialmente para cachorros brincarem livremente no Parque da Cidade, o projeto, que ganhou o nome de Parcão, começa a se expandir. Há planos de construí-lo nos parques de Águas Claras e do Sudoeste. Enquanto a negociação com o governo não evolui, já existe mobilização das vizinhanças em algumas quadras da Asa Sul e do Sudoeste. Na SQSW 101, perto do Bloco H, os moradores construíram um Parcão. São 300 m2 protegidos por alambrados, com bebedouro canino e bancos para os donos. “Um espaço assim é importante para a socialização dos animais. Eles ficam mais calmos e incomodam menos os vizinhos”, afirma o idealizador do projeto, Bruno Tempesta. Quem tiver interesse pode dispor de cópia do projeto base do Parcão para reproduzi-lo. Informações:facebook.com/parcaodistritofederal?fref=ts

 

 

 

 (Bruno Pimentel)
 

Décadas de incerteza 

 

A Quituart viveu grandes expectativas em 2014. A história do galpão localizado no canteiro central do Lago Norte, na altura da QI 9, com mais de 25 anos de existência, começou quando moradores do bairro se uniram em uma associação para criar um espaço de comércio e lazer voltado para a vizinhança. Ali, vendem-se comidas típicas de vários lugares do mundo, biscoitos, sobremesas e artesanato. O grupo transformou-se em cooperativa. Neste ano, a Justiça ameaçou fechar as portas da Quituart, mas o governo local reagiu, com promessas de regularizar a situação do terreno. A feira mantém-se provisoriamente, enquanto não há autorização para construir a sede definitiva, em um lote ao lado do atual lugar de funcionamento. Cerca de 65 feirantes trabalham na feira coberta, que funciona de quinta a domingo. 

 

 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017