..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Gastrô | Sobremesas »

Delicioso grand finale

Tradicionais ou em leituras contemporâneas, as sobremesas de fim de ano merecem destaque. Chefs da cidade apresentam suas criações

Jéssica Germano - Redação Publicação:23/12/2014 20:00Atualização:23/12/2014 13:26

Torta de nozes, do Sua Cozinha - Take Out: versão abrasileirada da pecan pie (Vinícius Santa Rosa/Encontro/D.A Press)
Torta de nozes, do Sua Cozinha - Take Out: versão abrasileirada da pecan pie
Do perfume da canela na rabanada à torta que chega à mesa ainda quentinha, as sobremesas das ceias comemorativas são tão importantes quanto o peru, a farofa e as frutas secas. Se a ideia é dedicar-se aos pratos principais ou reduzir o trabalho na hora de receber em casa, quatro confeiteiros de mão cheia da cidade mostram o que prepararam para as datas festivas deste ano, e que estarão disponíveis para encomendas.


Marcella Pinho, da Mãe & Filha, apresenta o Choconaked: entre os recheios, tiramisù e crême brûlèe (Vinícius Santa Rosa/Encontro/D.A)
Marcella Pinho, da Mãe & Filha, apresenta
o Choconaked: entre os recheios, tiramisù
e crême brûlèe
Conhecidas pela receita de um dos melhores brigadeiros da cidade, as irmãs Flávia, Fernanda e Amanda Labecca mantêm a tradição do Labecca Café + Bistrô de trabalhar com chocolate no fim do ano. O espaço para novidades, porém, sempre surge. Foi o caso do brigatone, criação de Amanda para 2014. O quitute é uma bolinha de chocotone (versão do panetone que não leva frutas, mas gotas de chocolate) envolta por brigadeiro de chocolate belga ao leite. A confeiteira assume que a receita surpreende, mas é simples. “Juntamos dois queridos”, conta, lembrando que um é o docinho preferido dos brasileiros e o outro é o mais tradicional do Natal.


O cuidado com o preparo vem da família, de descendência italiana e árabe, que sempre privilegia alimentos frescos e artesanais, acredita Amanda. “Fazer aquela receita e servir é um jeito de demonstrar o carinho pelas outras pessoas.” Como um símbolo do afeto, surgiu o brigatone decorado, que será vendido por unidade ou cento (R$ 4 e R$ 3,50, respectivamente).


Desde que inauguraram a Rappel, na 210 Norte, os proprietários abrem o cardápio de doces para encomendas nos dias 24 e 31 de dezembro. “Este é o 18º Natal que nós fazemos”, contabiliza Bruno Rappel. Carro-chefe nessas ocasiões, a rabanada assada, embebida em leite condensado, faz sucesso desde que foi criada, há nove anos. “Ela não é tão gordurosa quanto a tradicional”, compara o chef, que responde mais pelas receitas salgadas servidas na casa, enquanto o irmão, Mauro, cuida das ideias açucaradas. “O pão é a gente que faz também”, completa. A sobremesa é vendida a R$ 50, o quilo.


Brigatone, da confeitaria Labecca: a mistura da iguaria tradicional com o delicioso brigadeiro da marca (Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press)
Brigatone, da confeitaria Labecca: a mistura da iguaria tradicional com o delicioso brigadeiro da marca
Rabanada assada com leite condensado, es-pecialidade de Bruno Rappel: servida pela última vez neste ano (Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press)
Rabanada assada com leite condensado, es-
pecialidade de Bruno Rappel: servida pela
última vez neste ano
Os fãs da casa devem aproveitar o Natal e réveillon deste ano. Responsável também por duas cadeiras no curso de gastronomia do Iesb, Bruno acredita que é chegado um momento de descanso para a marca. Assim, a partir de 1º de janeiro, a Rappel encerra suas atividades depois de quase 20 anos.
Um dos fortes representantes da confeitaria norte-americana no cerrado, Alexandre Albanese estreia entre os chefs que oferecem ceias de fim de ano com o Sua Cozinha Take-Out – lojinha gourmet com cara de empório que vende produtos congelados. Na parte dos doces, além dos clássicos cheesecake e apple pie, o chef aposta em uma torta de nozes, versão abrasileirada da pecan pie. “É uma torta de sabor não muito doce e que fica muito boa para ser servida morna com sorvete de creme”, recomenda Albanese.


Com opção de dois pacotes de ceia completa para o Natal, ele relaciona a facilidade das encomendas às demandas comuns das últimas semanas de dezembro. “É para a pessoa evitar aquela correria do dia”, sugere. Para até oito pessoas, a torta doce congelada também será vendida a pronta entrega na loja, até o dia 23, enquanto durar o estoque.


Amanda Labecca apresesenta o Brigatone: qualidade de ingrediente para o doce artesanal (Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press)
Amanda Labecca apresesenta o Brigatone:
qualidade de ingrediente para o doce
artesanal
Mesmo sendo um clássico, não são todos que caem nas graças do panetone. Parte desse grupo, a cake designer Marcella Pinho optou por criar uma receita própria no Mãe & Filha Ateliê, cortando os itens de que não gostava na iguaria (leiam-se frutas cristalizadas e excesso de essência). Artesanal e com recheio de qualquer um dos mais de 20 brigadeiros gourmets feitos pela marca (bem-casado, churros, tiramisà e crème brûlée estão na lista), os minipanetones são os produtos mais vendidos nesta época. “No ano passado, nós vendemos 230 unidades”, lembra a confeiteira.


Há três anos trabalhando com encomendas para Natal e réveillon, a novidade deste ano, entretanto, ficou por conta de uma releitura que ela deu ao formato tradicional. Apresentado como um naked cake, o chocotone vem recheado com doce de leite e coberto por uma calda de chocolate belga meio amargo, morangos e granulado 70% amargo. Com 1,5 kg, a criação custa R$ 118 e também pode sofrer adaptações, de acordo com a escolha do cliente.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017