..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Gente da Capital | Zuleika de Souza »

Uma joia em Brasília

Zuleika de Souza - Publicação:23/12/2014 17:00Atualização:23/12/2014 13:26

 

 (Zuleika de Souza)

Uma joia em Brasília

 

Antônio Henrique cresceu vendo a mãe, a joalheira Miriam Paiva, lidando com ouro e pedras. Bem jovem, partiu para Amsterdã, onde estudou artes e fez mestrado em direção teatral. Paralelamente, nutria o espírito em viagens à Índia. Foi um curso no Instituto Zadkine, de design técnico de joias, que o levou de volta à vocação familiar. Em Brasília, montou uma loja no Gilberto Salomão. Suas joias exclusivas enlouquecem as mulheres. Para homens, desenha anéis e pulseiras incríveis. Estrangeiros, celebridades, como Ana Maria Braga, e atrizes do eixo Rio-São Paulo usam suas peças. Adriana Birolli exibiu-as recentemente na novela Império. Colecionador de arte, Abinave, como também é conhecido, sofre influência da arte étnica e da arquitetura de Brasília. “A joia é a tradução da essência de cada pessoa”, define.

 

 

 (Zuleika de Souza)

Retrato da boa forma

 

A brasiliense Michelle Calmon começou a trabalhar ainda menina, aos 14 anos, em lojas de moda. Tornou-se empresária do ramo. Hoje, tem uma franquia da VR no Iguatemi, mas divide seu tempo entre o negócio antigo e o café Nolita, aberto em julho. Outra paixão é a malhação, a qual se dedica pelo menos duas horas por dia. Ela está adorando fazer o muay thai. Agrega a luta às orientações nutricionais de Clayton Camargos, que a fez ficar superesculpida, a ponto de virar personagem do calendário que o médico lançou com os clientes que obtiveram os melhores resultados.

 

 

 

 (Zuleika de Souza)

Clipando

 

Sanagê Cardoso era bancário quando descobriu, dobrando clipes nos momentos de descanso, o talento para a escultura. Para documentar as obras, foi estudar fotografia. Passou a trabalhar como fotógrafo no próprio banco. Quando a fotografia digital chegou, afastou-se das câmeras e foi fazer um curso de metalurgia. Quando estava perto de se aposentar, decidiu estudar artes plásticas. Com a formatura, aposentou-se e abriu um ateliê no Lago Sul. Dedicado apenas à escultura, encantou arquitetos. Na última Casa Cor, havia 40 peças de sua autoria, entre esculturas, telas e painéis. Na Morar Mais por Menos, entre as 20 obras, chamava a atenção a que estava no jardim de inverno projetado por Viníciuz Vieira, Priscilla Maciel e Suzana Guimaraes.

 

 

 

 (Zuleika de Souza)

Ela não para 

 

Claudia El-Moor é formada em desenho industrial na UnB, fez especialização em design gráfico na Internacional School of Desing, na Itália, e estudou um ano no George Brown College, no Canadá. Desde 1997, é dona da Eye Design, onde desenvolve marcas e produtos. No portfólio de clientes, a atriz Adriana Nunes, de Os Melhores do Mundo, para quem concebeu o projeto gráfico de livro infantil, além de restaurantes, lojas, clínicas e tecnologia. Também faz trabalho voluntário. Desenhou o calendário Entretantas, que marcou o Outubro Rosa. Ajudou a aprovar a lei que finalmente vai reconhecer os designers. Neste mês, lança a Papelaio, marca de objetos utilitários com estampas fofas. As vendas serão on-line.

    

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 55 | Julho de 2017