..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

DEZ PERGUNTAS PARA | Carlos Maurício Prado »

Exercite seu cérebro

Engenheiro químico e importador da técnica Brain Gym para o Brasil explica os benefícios da ginástica cerebral para a longevidade e prevenção de doenças degenerativas

Glauciene Lara - Publicação:24/02/2016 15:00Atualização:29/02/2016 16:18

'Na ginástica, as atividades são saudáveis e não há nada que entre em conflito com a medicina' (André Violatti / Esp. Encontro / DA Press)
"Na ginástica, as atividades são saudáveis e não há nada que entre em conflito com a medicina"
Cientistas garantem que o bebê que vai viver 150 anos, com saúde, já nasceu. De fato, os avanços da medicina e da estética que permitem retardar o envelhecimento do corpo estão cada vez mais naturalizados no nosso cotidiano. A grande preocupação agora é com os efeitos do tempo no cérebro. Não por acaso, tem feito sucesso uma técnica chamada de ginástica cerebral – Brain Gym –, que reúne 32 exercícios, de um minuto cada um, e promete manter a saúde do cérebro e prevenir doenças.

Criada por Paul Dennison, PhD em educação pela Universidade do Sul da Califórnia, a técnica foi trazida para o Brasil pelo engenheiro químico Carlos Maurício Prado. Morador de São Paulo, ele esteve em Brasília e lotou as duas palestras que apresentou. Prado contou a Encontro Brasília que conheceu a técnica quando foi para os Estados Unidos fazer uma pós-graduação em química do cérebro, integrou-se à equipe de Dennison como voluntário e surpreendeu-se com os resultados dos exercícios. Na entrevista a seguir, além de explicar os benefícios da técnica, ele relaciona a saúde do cérebro às emoções e ao estilo de vida.

ENCONTRO: Por que “malhar” o cérebro?
CARLOS MAURÍCIO PRADO: O cérebro comanda todas as funções do corpo, é o órgão principal que temos. A intenção dos exercícios é que a pessoa possa, no dia a dia, manter o cérebro ativo. Se você o estimula, ele se desenvolve. Isso permite que o rendimento melhore. Caso contrário, a tendência é atrofiar. Estamos vivendo cada vez mais. As pessoas querem qualidade de vida, mas há três grandes inimigos da vida moderna: o estresse, a insônia e a depressão. Qualquer pessoa com quem você fale relata um desses problemas e quer saber como superá-los. Como manter nosso cérebro ativo, lúcido? Exercícios. E eles contribuem também para a prevenção de doenças como Parkinson e Alzheimer.


E:O senhor defende que, entre os 32 exercícios da Brain Gym, sete sejam feitos diariamente. Por quê?
CMP: Os sete exercícios da manhã são como uma manutenção técnico-preventiva. Gosto de comparar com uma viagem de carro. Antes de entrar na estrada, é elementar parar no posto, calibrar o pneu, limpar o para-brisa, revisar o óleo. São estruturas necessárias para o bom funcionamento.

E: Qual é a importância da água para o cérebro?
CMP: Ela é condutora de eletricidade, e o cérebro é um órgão elétrico, 70% do corpo é água. Quando bebemos água, a reação do cérebro é instantânea. Pode ser suco de laranja? Pode. Mas o suco vai funcionar como alimento, vai demorar um tempo para ser processado no tubo digestivo. Não é o mesmo que água, que tem efeito imediato. Acordou, beba água. O ideal são dois litros de água por dia, de hora em hora, sempre um pouquinho.


E: Por que a respiração deve ser abdominal?
CMP: O bebê, quando nasce, respira certo, com o diafragma – a barriga abaixa e levanta. Nós deveríamos ter essa respiração pelo resto da vida. O que a modifica é ansiedade, alimentação incorreta e a falta de exercício, porque o músculo fica flácido. Em pessoas muito ansiosas, é um círculo vicioso: a ansiedade leva a respirar errado e a respiração errada mantém a ansiedade. A pessoa não dorme direito, não se concentra, fica agressiva. Os orientais praticam ioga, tai chi chuan, têm hábitos saudáveis, de controle da respiração, que geram benefícios cerebrais. Aqui no Brasil, a doença que mais mata é a hipertensão. Há médicos que sugerem ao paciente meditar cinco minutos por dia. A meditação regula a respiração e mantém a pressão controlada.

E:Alguns exercícios são semelhantes aos de ioga e pilates. Esses métodos

CMP: “malham” corpo e cérebro ao mesmo tempo?
Sim. Quem faz caminhada, ioga e pilates está aprendendo a respirar. O dr. Dennison nasceu na Índia, mas se radicou nos EUA ainda jovem. Na bagagem, levou muitos elementos da cultura oriental que, mais tarde, ele estudou por meio da pesquisa cerebral aplicada, que usa aparelhagens científicas para fazer medições e comprovações. Há milênios, a humanidade pratica ginástica cerebral, não com esse nome, mas fazendo alguma ativação. Por exemplo, quando se está cansado, o exercício espontâneo de massagear a testa traz atenção e aumenta a circulação sanguínea.

E: Os benefícios da ginástica cerebral têm comprovação científica?
CMP: Ela já foi testada principalmente no Norte da Europa e nos países escandinavos, onde está amplamente difundida. São os países mais desenvolvidos em IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Na Alemanha, fizeram estudos sistemáticos com voluntários de 60 anos, divididos em dois grupos de 50 pessoas. O grupo inicial continuou com a mesma vida que levava. Os demais se reuniram todos os dias com um instrutor e fizeram uma caminhada de meia hora, movimentando mão direita com perna esquerda, mão esquerda com perna direita. Esse movimento trabalha o cérebro. Passados 30 dias, fizeram um teste cognitivo assim: “vou falar 10 palavras aleatórias e quero que você as repita para mim”. As pessoas que ficaram em casa falaram de duas a três. As que fizeram caminhada com os movimentos falaram entre sete e nove. Alguns médicos têm aceitação total. Outros ficam só no remédio. Na ginástica, as atividades são saudáveis e não há nada que entre em conflito com a medicina. Não somos contra remédios. A proposta não é deixar o tratamento, mas praticar tudo como complemento. Se estou doente, algum hábito incorreto me levou a um desequilíbrio. O remédio combate o efeito, não modifica a causa. Por isso, é interessante essa junção.

E: O que é verdade e o que é mito sobre o funcionamento do cérebro?
CMP: Um dos dogmas era de que os neurônios não podiam se renovar. Hoje já se estuda que eles se renovam, sim. Uma das características do cérebro é a plasticidade, ou seja, com estímulo, ele se transforma. A pessoa que segue sempre a mesma rotina usa sempre as mesmas “estradas” do cérebro. É mais inteligente quem tem mais conexões, que são as sinapses.

E: Também se diz que usamos muito pouco da nossa capacidade cerebral. É verdade?
CMP: Sim. Antigamente, falava-se em números, que o Einstein, por exemplo, usou 10% do cérebro. Isso varia de pessoa para pessoa. O cérebro não pode estar 100% ativo, porque seria como uma pane no sistema. A grande questão é se você tem uma área bloqueada, se não consegue fazer determinada tarefa, como medo de dirigir. Tem exercícios para ampliar a visão espacial, para estimular e fazer a pessoa desempenhar atividades que antes ela não conseguia. Todo mundo pode ser ambidestro, por exemplo. A maioria das pessoas é destra por imposição da sociedade. Se você entrega sempre o carrinho na mão direita, cria um condicionamento, que vai desenvolver muito um lado do cérebro e o outro não. São cuidados que se pode ter para o filho ter um desenvolvimento melhor. Os exercícios da ginástica cerebral que usam as duas mãos e os dois pés, em movimentos coordenados, reduzem esse desnível e ampliam a capacidade cerebral.

E: A saúde do cérebro é determinada pela genética ou pelo estilo de vida?
CMP: Eu, particularmente, não aceito só questões genéticas. Se seu pai é hipertenso, você será hipertenso? Não. Vai ser hipertenso se tiver os mesmos hábitos, comer a mesma comida, se for igualmente sedentário. O ser humano pode agir, interferir e modificar por completo esse quadro. Emoções negativas também influenciam bastante o cérebro, porque o cortisol corta os benefícios da serotonina e os neurotransmissores são inibidos. Trabalhar isso não só com remédios, mas também com a ginástica cerebral, é positivo, porque regula funcionamentos glandulares.

E: Como podemos resumir os exercícios que o senhor recomenda que sejam feitos rotineiramente?
CMP: Beber água ao acordar; praticar a respiração abdominal (pelo diafragma); massagear as orelhas; olhando para os dois lados, massagear o umbigo e o centro do peito, simultaneamente; estender os braços, cruzá-los à frente do corpo, entrelaçar as mãos e levá-las unidas em direção ao peito; massagear a testa; levar a mão direita à perna esquerda e a mão esquerda à perna direita; fazer os exercícios pela manhã, por um minuto cada um. No site http://www.ginasticacerebral.com/exercicios.htm tem a demonstração de como fazer todos.

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 58 | outubro de 2017