..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

SAÚDE | Beleza »

Bochechas definidas

Por questões estéticas ou de bem-estar, cirurgia que define melhor o contorno facial tem feito sucesso entre celebridades %u2013 e tem tudo para conquistar brasilienses também

Paloma Oliveto - Publicação:29/06/2016 15:24Atualização:29/06/2016 16:16
Algumas das beldades que se renderam à bichectomia: Angelina Jolie, Jennifer Aniston e Nicole Kidman passaram pela cirurgia (Reprodução/Internet )
Algumas das beldades que se renderam à bichectomia: Angelina Jolie, Jennifer Aniston e Nicole Kidman passaram pela cirurgia
Mesmo a mais magra das celebridades pode se sentir incomodada com o excesso de bochecha. Essa característica anatômica não tem qualquer relação com peso – portanto, para quem considera isso um problema, não adianta fazer dieta. Angelina Jolie, Jennifer Aniston e Nicole Kidman que o digam. Essas lindas mulheres já tiveram rosto mais rechonchudo e partiram para uma solução cirúrgica para definir melhor o contorno facial, a bichectomia.

Além da questão estética, quando aumentada, a estrutura que faz a bochecha parecer maior pode causar desconforto. Isso porque não é raro que o paciente acabe mordendo sem querer a parte interna da boca, deixando feridas frequentes. Nos Estados Unidos, a chamada bichectomia é comum há muitos anos. No Brasil, começou a se popularizar a partir de 2014. Pouca gente sabe, porém, que o procedimento pode ser realizado no consultório do dentista, com a mesma anestesia utilizada na retirada de um siso, por exemplo.

Quando a queixa é puramente a aparência, os cirurgiões-dentistas não podem intervir. A saída, nesse caso, é procurar um cirurgião plástico. Contudo, resoluções do Conselho Federal de Odontologia e do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial autorizam os odontólogos a realizar o procedimento nos casos estético-funcionais do aparelho mastigatório. Portanto, quando o dentista avalia que há comprometimento, como dificuldade para mastigar ou excesso de mordidas involuntárias, ele está autorizado a fazer a cirurgia, caso tenha formação para isso.

A cirurgiã-dentista Denise Hartmann ao lado de Laura Aiello, que, antes da bichectomia não gostava de ser fotografada: 'Com menos bochecha, parece que emagreci 20 quilos', conta a paciente (Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press)
A cirurgiã-dentista Denise Hartmann ao lado de Laura Aiello, que, antes da bichectomia não gostava de ser fotografada: "Com menos bochecha, parece que emagreci 20 quilos", conta a paciente
A cirurgiã-dentista Alessandra Ferreira, que tem habilitação para realizar a cirurgia, explica que todas as pessoas têm a bola de Bichat, uma gordura esférica localizada entre dois músculos da face, cuja função é facilitar a contração deles. Contudo, em alguns indivíduos, por motivos desconhecidos, essa estrutura é mais concentrada que o normal, o que acaba deixando o rosto rechonchudo. “Muitas vezes, nesses casos, a pessoa mastiga a boca, aquela parte fica lacerada. Ao longo do tempo, isso pode causar uma úlcera, pois a ferida fica sempre aberta”, conta.

A técnica para retirada do excesso de gordura da bola é simples. No consultório, o cirurgião-dentista faz a anestesia odontológica e, por dentro da boca, realiza a incisão de 1 a 2 centímetros. “Na hora que corta, a gordura já pula. Então, é só tirar o excesso”, conta Alessandra. Em seguida, fecha-se com pontos comuns (os absorvíveis não são indicados, pois pode haver infecção, já que a boca é um celeiro de micróbios). Uma semana depois, o paciente volta e retira os pontos.
O pós-operatório é simples, semelhante ao da retirada do siso. Devem-se tomar anti-inflamatórios e medicamentos para dor, é preciso evitar alimentos quentes e o recomendado é repouso de três dias. Durante uma semana, o rosto pode ficar bastante inchado. Ao fim de 120 dias, é que se tem o resultado final. A cirurgia dura de 40 minutos a uma hora. O alerta comum é que é fundamental fazer o procedimento com um profissional habilitado, pois um erro pode lesionar nervos e deixar a face assimétrica, entre outras complicações.

Alessandra Ferreira tem habilitação para realizar a cirurgia: 'A técnica para retirada do excesso de gordura da bola de Bichat é bem simples', garante (Raimundo Sampaio/Encontro/DA Press)
Alessandra Ferreira tem habilitação para realizar a cirurgia: "A técnica para retirada do excesso de gordura da bola de Bichat é bem simples", garante
De acordo com a cirurgiã-dentista Denise Hartmann, que ministra os cursos sobre a técnica em Brasília, o excesso da bola de Bichat não faz falta. “Apenas o excesso de gordura é retirado durante o procedimento, então não há prejuízo funcional ou anatômico”, diz. Para quem se preocupa em ficar flácido após a cirurgia, ela tranquiliza: “O que dá a sustentação à pele é o colágeno, e não a gordura. Se fosse assim, idosos obesos não seriam flácidos”, exemplifica.

A secretária Laura Aiello sempre sofreu com o excesso de bochecha. Além da dificuldade para mastigar, ficava incomodada com a aparência do rosto. “Eu não gostava de sair em fotografias e nunca fazia selfies”, conta. Em setembro do ano passado, resolveu fazer o procedimento. “Eu já tinha visto alguns resultados e sabia que ficava bom, mas não quis criar expectativas”, diz. Quando, dois meses depois da cirurgia, ela percebeu que a bochecha cheinha deu lugar a traços bem definidos, passou a se sentir muito melhor. “Agora faço muitas selfies”, conta, rindo. “Quem não me via há muito tempo achou que eu emagreci uns 20 quilos”, comenta.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 59 | novembro de 2017