..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

GASTRÔ | Mercado »

Marmitas saudáveis

Comida congelada não é sinônimo de grandes quantidades de conservantes e poucas porções de qualidade e sabor: empresas de Brasília investem em um filão de mercado cujo número de adeptos só aumenta

Juliana Fernandes - Publicação:04/08/2016 09:45Atualização:04/08/2016 10:09
Quem não quer se alimentar bem, dar conta de todas as atividades do dia a dia, trabalhar, ir à academia, namorar, ter vida social e, ainda, emagrecer? Ufa! São tantas as cobranças que a vida moderna impõe que acaba se tornando comum as pessoas se descuidarem da própria saúde, principalmente da alimentação, por falta de tempo.

Na vida corrida dos dias de hoje, cozinhar as próprias refeições - cuidando da quantidade de sal, gordura e, ainda, escolhendo os alimentos adequados - tem ficado em segundo plano. Percebendo essa dificuldade, empresários oferecem em Brasília opções de alimentação saudável e prática. Proliferam-se na cidade estabelecimentos que, por preços razoáveis, oferecem comidas prontas e congeladas, preparadas priorizando, acima de tudo, a saúde do cliente.

Em alta: Rodrigo Gaspar, proprietário 
da Nutrifresh, está prestes a inaugurar 
sua terceira loja em Brasília e deve abrir 
outras quatro ainda neste ano (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro)
Em alta: Rodrigo Gaspar, proprietário
da Nutrifresh, está prestes a inaugurar
sua terceira loja em Brasília e deve abrir
outras quatro ainda neste ano
Um desses estabelecimentos é a Nutrifresh, idealizada pelo empreendedor Rodrigo Gaspar. No mercado já há oito anos, a rede está prestes a inaugurar sua terceira loja, na Asa Sul, e deve abrir mais quatro ainda neste ano. De acordo com Rodrigo, o mercado tem crescido pela necessidade de praticidade e por ser cada vez menor o número pessoas com empregadas domésticas. "A cultura de você fazer a sua própria comida em casa vem mudando muito. Hoje é mais raro ter uma secretária do lar, pelo custo e pelas condições trabalhistas impostas", explica.

A Nutrifresh oferece refeições balanceadas, com pouco sal e gordura, para almoço e jantar, com um preço médio de 20 reais. O campeão de vendas é o peixe com molho de limão, mas é possível escolher entre pratos vegetarianos, low carb, sem lactose e sem glúten. O perfil de clientes é bastante variado. Entre os mais fiéis está dona Zilta Marinho, que trabalha o dia todo e estuda à noite. Ela conta que, antes de conhecer a Nutrifresh, precisava ir correndo em casa para fazer comida, ou então passar boa parte do fim de semana na cozinha, para deixar tudo preparado para os dias de trabalho. "Apesar de saber cozinhar, esse não é o meu programa favorito", diz. Hoje, ela leva as refeições para o trabalho e, quando chega em casa, tem sempre uma opção pronta. Gasta apenas cinco minutos para descongelar no micro-ondas.

Por trabalhar o dia todo e estudar 
à noite, Zilta Marinho compra marmitas 
congeladas e só tem o trabalho de 
aquecer por 5 minutos no micro-ondas: 
'Sai mais barato', diz  (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Por trabalhar o dia todo e estudar
à noite, Zilta Marinho compra marmitas
congeladas e só tem o trabalho de
aquecer por 5 minutos no micro-ondas:
"Sai mais barato", diz
Colocando na ponta do lápis, dona Zilta ainda percebe a vantagem financeira. "Para mim, sai mais barato. Além disso, não tem perdas, não preciso comprar o que não vou consumir", pontua. Bem-humorada, ela tem apenas uma reclamação: "Sempre pergunto 'cadê a sobremesa?'", brinca. E Rodrigo Gaspar não perde tempo: diz que os doces já estão sendo testados para ser colocados à venda.

Para quem tem como foco o emagrecimento, a notícia também é boa. Há uma boa variedade de opções em cardápios das chamadas "marmitas saudáveis": filé ao gorgonzola, lagarto com purê de abóbora, escondidinho de frango com batata-doce e berinjela recheada são bons exemplos. Parece o menu de um bom restaurante, mas são pratos oferecidos em uma dieta elaborada pela Sabor Light. A empresa nasceu em 2006, criada pela nutricionista Giulia Fragomeni. Ela percebia em seu consultório a dificuldade de seus pacientes seguirem as prescrições que ela receitava. Por outro lado, também sentia falta de saber se o preparo dos alimentos pelo paciente era adequado e se ele estava seguindo à risca o recomendado. Foi sucesso imediato: "Quando as pessoas descobriram que tinha a dieta aliada à comida, as indicações se multiplicaram", conta. No início, trabalhavam Giulia no consultório e sua mãe na cozinha. Passados 10 anos, a Sabor Light já conta com 15 funcionários.
A nutricionista Giulia Fragomeni percebia em seu consultório a dificuldade de seus pacientes seguirem as prescrições que ela receitava: criou a Sabor Light e passou a vender comida congelada saudável (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
A nutricionista Giulia Fragomeni percebia em seu consultório a dificuldade de seus pacientes seguirem as prescrições que ela receitava: criou a Sabor Light e passou a vender comida congelada saudável

Atualmente, os clientes podem optar por somente comprar os potinhos com a comida congelada, ou por ter também o acompanhamento semanal com a nutricionista. Nos encontros, são estabelecidas as metas e definidas quais serão as refeições. Pelo pacote mensal, é possível comprar as seis refeições principais do dia, do café da manhã à ceia.

Quando o representante de vendas Fábio Figueiredo soube do serviço, não pensou duas vezes. Seu objetivo era perder 20 kg. Em cinco meses, conseguiu perder 22 kg. Para ele, esse foi o melhor método de emagrecimento já feito. Fábio chegou a fazer cirurgia bariátrica, mas acabou recuperando todo o peso perdido. Com a Sabor Light, ele conseguiu, de fato, mudar seus hábitos alimentares. Hoje, mesmo passado quase um ano do fim da dieta, ele se diz satisfeito com o novo corpo.

Fábio conta que, no começo, sentia uma espécie de "vazio", devido à quantidade reduzida de comida. Mas logo se habituou, quando começou a ver a velocidade com que emagreceu.  Só no primeiro mês foram quatro quilos. "É questão de costume. Se comer na hora certa, você não sente fome", relata.

Há boas opções de serviço também para aqueles que buscam alternativas mais práticas por conta da saúde. A nutricionista Andressa Mendes diz que precisou dar uma atenção especial à alimentação durante a gravidez. Sua glicose começou a se alterar e ela corria o risco de ter diabetes gestacional. Para evitar comer besteiras na hora do lanche no trabalho, recorreu à Frugt. A marca oferece um serviço de delivery de frutas no qual o cliente paga uma assinatura mensal e recebe, diariamente, três porções de fruta. Pode-se escolher qual período prefere receber a alimentação, se pela manhã ou pela tarde, e o local. As frutas chegam higienizadas e porcionadas.

Quando aderiu ao serviço, Andressa percebeu logo uma diferença na pele e no funcionamento do intestino. Permaneceu com a Frugt até o parto, quando tirou a licença-maternidade. Quando voltou a trabalhar, a nutricionista tentou levar suas frutas de casa, mas percebeu que a eficiência não era a mesma. "Foi aí que eu vi como facilitava muito a vida. Na correria do dia a dia, eu não conseguia me organizar e vi que estava voltando para aquela rotina ruim", conta.
Andressa Coelho (ao centro), com quatro colegas de trabalho, recebe frutas higienizadas e porcionadas, prontas para comer: doses diárias de saúde (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Andressa Coelho (ao centro), com quatro colegas de trabalho, recebe frutas higienizadas e porcionadas, prontas para comer: doses diárias de saúde

A proprietária da Frugt, Keli Ferreira, conta que se surpreendeu com a grande demanda quando abriu a loja. O segredo do sucesso é a opção do pacote corporativo, no qual, por 855 reais por mês, cinco pessoas de um mesmo local de trabalho recebem as porções diárias de fruta. "Diminui o custo e nos dá mais retorno", conta a empresária, que comenta que o programa favorece também um ambiente de trabalho mais saudável.

Andressa conta que, aos poucos, algumas colegas foram notando o seu potinho de frutas e ficando curiosas. Quando perceberam a praticidade, decidiram aderir também. Hoje, já recebem o pacote corporativo, e a hora do lanche se transformou em mais do que um intervalo, mas também em uma dose diária de saúde. "É a hora que nos encontramos e, além de comer bem, aproveitamos para colocar o papo em dia", relata.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 59 | novembro de 2017