..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

SAÚDE | Medicamentos »

Benefícios para o sistema imunológico

Especialistas dão dicas de alimentação e explicam como o consumo de probióticos e certas vitaminas pode aumentar a resistência do organismo

Wal Sousa - Publicação:06/09/2016 11:40
Muito se comenta sobre as mudanças de temperatura que podemos vivenciar em Brasília ao longo de um só dia. Do frio ao calor, o fato é que essas diferenças tornam comum o enfraquecimento do sistema imunológico. Para fortalecer o organismo, recomenda-se sempre adotar uma alimentação balanceada e saudável. O que nem todo mundo sabe, no entanto, é que os benefícios podem ser potencializados pela ação de probióticos e suplementos vitamínicos.

Alimentos ricos em vitamina C e antioxidantes, como limão e frutas vermelhas, ajudam na manutenção do sistema imunológico prevenindo gripes, resfriados, crises de bronquite e asma. Especialistas indicam o uso de suplementos naturais como própolis, chlorella e spirulina (algas ricas em nutrientes), que aumentam a resistência física e promovem bem-estar. Assim como o consumo de gengibre, açafrão da terra e os probióticos. Para quem não tem familiaridade, explica-se: os probióticos são organismos vivos que se tornaram conhecidos por estimularem o bom funcionamento do intestino. Sabe-se que promovem inúmeras vantagens à saúde.

A nutricionista Hayanne Rolim, especialista em nutrição esportiva funcional, explica que os probióticos agem no intestino melhorando a qualidade da mucosa. Dessa forma, ajudam na diminuição da passagem de compostos e substâncias prejudiciais à saúde para a corrente sanguínea, prevenindo ou evitando quadros inflamatórios, infecções, alterações no metabolismo e doenças autoimunes.
Hayanne Rolim, especialista em nutrição esportiva funcional: 'Os probióticos agem no intestino melhorando a qualidade da mucosa' (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Hayanne Rolim, especialista em nutrição esportiva funcional: "Os probióticos agem no intestino melhorando a qualidade da mucosa"

Existem também os prebióticos, carboidratos não-digeríveis, que funcionam como alimento para esses microrganismos probióticos. Alguns alimentos como batata, inhame, mandioca, couve-flor, repolho e biomassa de banana verde são ricos em prebióticos. Quando consumidos, auxiliam o desenvolvimento da flora bacteriana do corpo humano, tornando-o resistente a diversas patologias. "Produzimos bactérias específicas da cavidade bucal, vias aéreas, pele e intestino que estão relacionadas entre si. Com a ingestão de alimentos ricos em prebióticos, é possível melhorar a qualidade de bactérias no intestino e diminuir infecções e resfriado", exemplifica. Segundo ela, assim se chega ao fortalecimento do sistema imunológico necessário para o organismo minimizar infecções respiratórias, processo inflamatório, alterações do metabolismo, resistência à insulina, surgimento e progressão de diferentes tipos de câncer.

Hayanne Rolim diz que alguns iogurtes oferecem boa quantidade e qualidade de probióticos, no entanto, é preciso estar atento aos produtos que contenham açúcar, adoçante, conservante e aromatizante em sua composição. Os melhores são sempre os naturais, integrais, sem sabor e, de preferência, orgânicos.  A estudante Thaissa Graziani segue tais orientações em busca de mais saúde e definição do corpo. Ela conta que para regularizar o funcionamento do intestino está tomando probióticos e se hidratando com água conforme indicação da nutricionista. "Eu sentia inchaço, mau humor e indisposição. Com a ingestão diária dos probióticos, regularidade nos exercícios físicos e alimentação balanceada eu tenho mais energia e bem-estar", relata.

De acordo com a consultora farmacêutica da Farmacotécnica, Leandra Sá de Lima, o mercado disponibiliza opções de prebióticos e probióticos prontos, contudo, os manipulados facilitam na quantidade apropriada dos microrganismos convenientes ao paciente. Ela explica que há apresentações adequadas a cada caso. Pela via oral, as composições são em envelopes e cápsulas. Nos primeiros, por exemplo, pode ser preparado de forma saborizada ou adicionado ao iogurte sem leite. "Dessa forma, o paciente dissolve o pó em água e consome com sabor agradável. É uma forma prática de preparar o produto. Pode ser mais fácil e também servir como fonte nutricional complementar de crianças e de pessoas com dificuldade de engolir cápsulas", diz.
Prebióticos e probióticos manipulados têm a quantidade apropriada dos microrganismos convenientes a cada paciente, explica a consultora farmacêutica Leandra Lima (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Prebióticos e probióticos manipulados têm a quantidade apropriada dos microrganismos convenientes a cada paciente, explica a consultora farmacêutica Leandra Lima

O médico homeopata Ícaro Alves Alcântara, especialista em estratégia ortomolecular, esclarece que as pessoas que tem bons hábitos alimentares, aliados à prática da respiração correta, ingestão de, no mínimo, dois litros de água por dia e que se exercitam regularmente conseguem manter o corpo equilibrado. A questão é que o estilo de vida moderno, excessos de produtos industrializados e a quantidade de informações contraditórias sobre o que faz bem e o que faz mal acaba confundindo. Por isso, a população precisa dos suplementos para amenizar as deficiências. "A indicação de suplementos varia muito de uma pessoa para outra, conforme resultados de exames, queixas e remédios em uso. Mas, de modo geral, percebo que as necessidades mais comuns são de ômega 3, vitaminas D3, C, B12 e magnésio", explica. O especialista comenta que, com a mudança de temperatura, as vias respiratórias sofrem bastante e, para fortificá-las, o consumo de chá verde, gengibre e alho também melhora a imunidade.
O médico Ícaro Alves: 'De modo geral, percebo que as necessidades mais comuns da maioria das pessoas são de ômega 3, vitaminas D3, C, B12 e magnésio' (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
O médico Ícaro Alves: "De modo geral, percebo que as necessidades mais comuns da maioria das pessoas são de ômega 3, vitaminas D3, C, B12 e magnésio"

Desde que iniciou o acompanhamento médico, há três anos, o bancário Leonel Fernando Coelho Menoni pratica exercícios, tem uma alimentação saudável e equilibrada. "Comecei o tratamento por causa de alterações hormonais, cansaço excessivo e apatia, comuns na minha faixa etária", explica. Para ele, o médico prescreveu vitamina D3, ômega 3 e vitamina C, que promovem o fortalecimento da imunidade. "Desde então, nunca mais adoeci", comemora.
Há três anos, Leonel Menoni toma vitamina D3, ômega 3 e vitamina C, suplementos que promovem o fortalecimento da imunidade: 'Nunca mais adoeci', diz (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Há três anos, Leonel Menoni toma vitamina D3, ômega 3 e vitamina C, suplementos que promovem o fortalecimento da imunidade: "Nunca mais adoeci", diz
 
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 57 | Setembro de 2017