..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

FORMAÇÃO | Senai »

Escola para aprender

Com turmas abertas para módulos técnicos e de aperfeiçoamento, Senai de Taguatinga destaca-se no segmento de comidas e bebidas no DF

Mariana Laboissirère - Redação Publicação:15/09/2016 13:49
Hélio Barbosa, Rachel Sobrino e Helena Malvar, professores dos cursos de panificação, confeitaria e cozinha quente no Senai de Taguatinga: público diverso (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Hélio Barbosa, Rachel Sobrino e Helena Malvar, professores dos cursos de panificação, confeitaria e cozinha quente no Senai de Taguatinga: público diverso
Em uma fôrma grande, junte conhecimento e empreendedorismo. Acrescente aulas teóricas e práticas,  e maquinário de última geração. Adicione professores habilitados. E finalize com noções de mercado e certificado reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). Se os cursos na área de alimentos e bebidas do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) fossem tais como uma receita, as instruções deles poderiam ser descritas dessa maneira. Mas, como se sabe, receitas por si só não garantem o sucesso do prato, nem mesmo do chef, muito menos de uma instituição. Por isso, em sala de aula, as técnicas são indispensáveis para que o profissional consiga se estabelecer no mercado de trabalho. Isso é o que explicam os professores dos cursos oferecidos na unidade de Taguatinga.

Inaugurada no fim de 2015, a área de alimentos e bebidas conta com 900 m² e é a grande novidade no Senai. É composta por quatro tipos de cozinhas: panificação, confeitaria, chocolate e cozinha pedagógica, também chamada de cozinha quente. Para atender a tais estruturas, a entidade dispõe, entre outras coisas, de quatro câmaras frias e fornos potentes, como é o caso do combinado, o de lastro e o turbo. Nesse segmento, estão enquadrados mais de 40 cursos, divididos nos módulos técnico e aperfeiçoamento. Os primeiros são mais longos, e os últimos têm menor duração. Entre eles se destacam técnico em confeitaria, técnico em panificação, aperfeiçoamento em panificação e confeitaria básica. Há, ainda, alguns mais específicos, caso dos de risotos, massas, carnes e sobremesas internacionais. As turmas têm, no máximo, 20 alunos.

“Os cursos são ofertados de acordo com a demanda. No caso dos técnicos, a procura é muito grande. Afinal, nesse ramo, são necessários, além de operadores, profissionais que sejam responsáveis pelas cozinhas”, explica a consultora da área de alimentos e bebidas Helena Malvar. Segundo ela, além dos ensinamentos na escola, os alunos precisam entender como funciona o mercado. “Por isso, damos o treinamento bem focado. Cozinha é ralação”, explica. Helena chama a atenção para a vantagem de se fazer um curso no Senai, que se sustenta na tradição e no nome da entidade, aliados à certificação reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Segundo ela, a instituição é a única no DF a oferecer cursos técnicos e de aperfeiçoamento com tal chancela.

Com atuação na área de gastronomia há aproximadamente 10 anos, Helena é professora de cursos na área da cozinha quente. Outros dois professores apresentam a estrutura: Rachel Marques, que atua em disciplinas voltadas à confeitaria, e Hélio Barbosa, dedicado à panificação. Hélio foi aluno no Senai em 1987 e, 11 anos depois, foi convidado a lecionar na mesma instituição. Segundo ele, a panificação é herança de família, já que a mãe sempre trabalhou na área. “Em função da demanda, estamos dando curso de pães com fermentação natural”, diz.

O universo de alunos que fazem cursos de confeitaria é amplo. “Temos donas de casa, empreendedores e grandes empresários. Eles procuram tanto os cursos mais curtos, de uma semana, como os de seis meses a um ano”, detalha a professora Rachel. Os cursos de aperfeiçoamento do Senai vão de 20 a 200 horas-aula, e os técnicos, de 800 a 1.200 horas-aula. “As pessoas entram na confeitaria achando que só vão fazer doce pequeno. A minha ideia é desmistificar isso e mostrar que o universo da confeitaria é amplo”, conta Rachel.

'Tudo o que aprendi no Senai dá para aplicar em casa e no trabalho', diz a aluna do curso de panificação Larissa Schranmel (esq.), ao lado da colega Rosângela Lafaete (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
"Tudo o que aprendi no Senai dá para aplicar em casa e no trabalho", diz a aluna do curso de panificação Larissa Schranmel (esq.), ao lado da colega Rosângela Lafaete
Rosângela Lafaete viu a necessidade de aprender a fazer bolos caseiros depois que o marido comprou uma loja especializada. Segundo ela, o estabelecimento estava tendo prejuízo quando ela ingressou no Senai. “Não sabíamos por onde começar. Fazer um bolo em casa é diferente de fazer para vender. Por isso, uma semana de curso já foi suficiente para mudar a empresa. Nunca pensei que fosse assumir a loja, mas foi o que eu fiz. E muitas receitas foram adaptadas após o curso que fiz”, diz. A loja de Rosângela, que tem 20 sabores de bolo no cardápio, está em expansão. O estabelecimento passará de Taguatinga Sul para outras duas lojas, localizadas no Gama e no Paranoá.

Apaixonada por culinária, a estudante Larissa Schranmel imaginava que gostaria da área de confeitaria. Depois de fazer panificação, contudo, acabou mudando de ideia. Hoje, ela faz estágio em uma pizzaria, mas não abandonou a ideia de trabalhar com  pães. Planeja se graduar em gastronomia e depois se especializar. “Tudo o que aprendi no Senai dá para aplicar em casa e no trabalho. Nesses cursos eu adquiri conhecimento e isso ninguém tira de mim”, diz.

Desde a inauguração do espaço, cerca de 60 pessoas se qualificaram no Senai. Neste semestre, vários cursos estão com inscrições abertas, entre eles o de confeitaria básica, panificação, massas frescas e massas secas. Os interessados em cursar a modalidade técnica devem ter no mínimo 18 anos e o ensino médio completo (ou estar no último ano). Os cursos de aperfeiçoamento, por sua vez, em alguns casos, admitem ingresso de adolescentes com 16 anos. Para conhecer mais sobre as modalidades, os interessados devem ir ao Senai de Taguatinga Norte, que fica na Área Especial nº 2, Setor C. Contato pelos telefones (61) 3353-8715, 3353-8716, 3353-8718 e 3353-8719 ou pelo e-mail: senai.taguatinga@sistemafibra.org.br.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 57 | Setembro de 2017