..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

CIDADE | Esportes »

Capital em movimento

Brasília tem muitos praticantes de atividades físicas individuais ao ar livre. Conheça alguns apaixonados por modalidades como ciclismo, natação, corrida, tênis e stand up paddle movimento

Isabelle Luz - Publicação:29/11/2016 14:34Atualização:29/11/2016 14:43
A pequena Beatriz pratica esportes desde cedo (Raimundo Sampaio/Esp.Encontro/DA Press)
A pequena Beatriz pratica esportes desde cedo
Corpo são, mente sã.” A frase é tão antiga quanto o próprio ato de se exercitar, e inúmeros estudos já comprovaram que, de fato, os gregos tinham razão sobre os benefícios das atividades físicas. Segundo dados do Ministério da Saúde, os brasilienses são os que mais se exercitam, em um país que caminha para o sedentarismo. As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), causadas por maus hábitos e falta de prática de esporte, e a morbiobesidade são um dos grandes problemas enfrentados pela saúde pública brasileira. Como afirma Helvécio Ferreira, presidente do Conselho de Saúde do DF e presidente do Clube da Saúde, “a única saída é a mudança de comportamento das pessoas”.

Esportes individuais exigem muita disciplina, e Brasília está repleta de locais para a prática de diversas atividades. O Parque da Cidade, por exemplo, é o lugar ideal para ciclismo e corrida, já que possui três percursos (10 km, 6 km e 4 km, além dos caminhos alternativos). Essa é a opção do treinador Tadeu Viana, que aproveita a proximidade de casa e o ambiente arborizado para correr.

 (Raimundo Sampaio/Esp.Encontro/DA Press)
Já modalidades como o vôlei de areia e o futebol são sucesso absoluto entre os adeptos dos exercícios físicos. Outros preferem atividades individuais e voltam-se a esportes como o tênis, bicicleta e stand up paddle. Segundo o nutricionista Victor Hugo Machado, a prática auxilia não somente na perda de peso, mas também na produção de serotonina e endorfina, dois hormônios ligados a sensações de humor. “Os pacientes que aliam uma dieta balanceada aos exercícios físicos regulares são os que geralmente permanecem nos programas de reeducação alimentar e conseguem continuar até alcançar suas metas”, diz. Para Victor Hugo, isso se dá justamente pelo fato de que as atividades físicas ajudam no “gás” – ou seja, são uma motivação a mais para o paciente.

A prática de esportes também influencia a melhora da capacidade de julgamento, as habilidades de reagir mais rapidamente ao ambiente. Segundo Hugo Pinho, psicólogo especializado na área de esportes pela Universidade de Brasília (UnB), os benefícios psicológicos às pessoas que praticam exercícios físicos são significativos: da estimulação social e física à melhora no emocional, a adoção de hábitos mais saudáveis pode ser instrumento para a diminuição de sentimentos negativos e condições físicas como estresse e hipertensão.

 (Raimundo Sampaio/Esp.Encontro/DA Press)
E se é bom para a saúde física e mental, a prática frequente de esportes ao ar livre faz as pessoas terem mais conexão com a cidade em que vivem. Outro bom lugar para isso é o lago Paranoá, onde Camilla Kafino, servidora pública, pratica o stand up paddle, febre que conquistou brasilienses e ajudou na democratização do lago, antigamente dominado por jet-skis e barcos. “É sempre bom praticar uma atividade em lugares onde sentimos o vento contra. Assim, eu posso aproveitar a natureza e ter um momento só meu para desestressar”, diz.

 (Raimundo Sampaio/Esp.Encontro/DA Press)
 
 (Raimundo Sampaio/Esp.Encontro/DA Press)
 
 (Raimundo Sampaio/Esp.Encontro/DA Press)
 
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 59 | novembro de 2017