..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

GASTRÔ | Novidade »

As caras novas do Piantella

Três meses depois de fechado, um dos mais famosos restaurantes de Brasília reabre as portas com gestão renovada

Jéssica Germano - Redação Publicação:16/01/2017 10:56
Foram três meses de portas fechadas até começar o burburinho de que um dos restaurantes mais conhecidos da capital federal retomaria suas atividades. E a boa-nova não estava apenas na reinauguração do espaço, mas sim da operação por completo, assim como funcionou até seu fechamento. Depois de algumas semanas de suspeitas, eis que as teorias se confirmaram. Sob a patente de Omar Peres, conhecido investidor da área gastronômica do Rio de Janeiro, o Piantella reabriu as portas dia 5 de dezembro, sem parecer que nunca tinha fechado.

“A clientela estava adormecida e agora vai acordar novamente”, afirmou o sócio-investidor, poucas horas antes de o salão ser tomado por convidados especiais, incluindo clientes cativos e autoridades políticas. A expectativa do empresário mineiro, que atende também por Catito e comanda o retorno de clássicos cariocas, como o Hipopotamus e o Sindicato do Chopp, nunca pairou sobre dúvidas. “É retomar o lugar que o Piantella sempre teve em Brasília. Um lugar de sucesso, querido e tradicional”, destaca Peres, a respeito da casa de mais de 40 anos e da qual era frequentador.
Omar (Catito) e Roberto Peres no salão do Piantella, agora decorado com fotos de políticos que passaram pela cidade: 'A clientela estava adormecida e agora vai acordar novamente', diz Omar  (Raimundo Sampaio/Esp. Encotnro/DA Press)
Omar (Catito) e Roberto Peres no salão do Piantella, agora decorado com fotos de políticos que passaram pela cidade: "A clientela estava adormecida e agora vai acordar novamente", diz Omar

Mas, apesar de ser um colecionador convicto de casas, não é ele quem passa a liderar a equipe que tinha, até agosto, a gestão do advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay. “Eu, na verdade, sou um investidor da área”, diz Omar, pouco antes de apresentar o outro sócio e irmão, Roberto Peres, agora responsável pela administração da família Piantella: “Ele é um profissional, já teve vários restaurantes de sucesso e vai cuidar da gestão da casa”, anuncia. Com 99% do quadro de equipe original e mesmo cardápio, as novidades do “novo” Piantella ficaram por conta de alguns detalhes na decoração. Nas paredes, dezenas de imagens retratam nomes fortes do cenário do poder nacional, de Itamar Franco a Michel Temer. “Comprei um acervo [do fotógrafo Orlando Brito] para contar a história política desde a fundação de Brasília, por meio dos seus políticos”, diz Omar. “É essa história que está sendo contada aqui, nas paredes todas”, afirma. Fazem parte ainda da nova fase do espaço um quadro assinado por Jânio Quadros e uma fotografia da viúva presidencial Maria Thereza Goulart, dedicada a Catito.

Para o maître Francisco das Chagas, o Chico, que por 39 anos coordenou a chegada dos clientes do restaurante, o convite para voltar à 202 Sul foi como um retorno natural “à segunda casa”. “Nós voltamos com a mesma categoria do antigo Tarantella [primeiro nome do restaurante], da cozinha ao salão”, diz.

Sobre a opção pela reabertura, Omar Peres diz que seguiu a mesma linha dos negócios no Rio: “Todo frequentador desses locais tem uma história para contar de suas vidas que aconteceu nesses grandes ícones.” É para continuar contando esses causos que ele investe no ramo: “Se alguém me oferecer para abrir um restaurante, eu não quero. Meu mercado são coisas icônicas e não tem um ícone igual ao Piantella em Brasília.”
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 57 | Setembro de 2017