..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

DEZ PERGUNTAS PARA | Jayme Amorim »

"A conscientização do motorista é determinante para a redução dos acidentes"

Diretor do Detran diz que campanhas educativas, recuperação de sinalização, redução da velocidade e restauração das vias públicas são ações que devem diminuir os problemas de trânsito no DF

Júnia Lara - Redação Publicação:17/01/2017 09:58
Em 2015, o brasiliense comemorou uma redução histórica do número de acidentes fatais nas vias do Distrito Federal: 354 mortes, uma queda de 17% em relação a 2014, o menor número dos últimos 20 anos. De janeiro a setembro deste ano, porém, 294 pessoas perderam a vida e a média mensal de fatalidades ficou 10,7% maior que a registrada no ano passado.

Para o diretor geral do Detran-DF (Departamento de Trânsito do Distrito Federal), Jayme Amorim, que é servidor de carreira do órgão desde 1991, a conscientização do motorista é o principal fator de redução dos acidentes de trânsito. Dados do Observatório Nacional de Segurança Viária apontam que 90% dos acidentes ocorrem por falhas que podem envolver desde a desatenção dos condutores até o desrespeito à legislação.

1 |  ENCONTRO BRASÍLIA – A quais fatores o Detran atribui esse aumento tão acentuado na média mensal de acidentes fatais até setembro de 2016?
JAYME AMORIM – Nos últimos anos, com a intensificação das campanhas educativas e da fiscalização, conseguimos boa média de redução de acidentes, tanto que em 2015 tivemos uma redução de 17% em relação a 2014 e o menor número absoluto dos últimos 20 anos. Conseguimos manter essa média de redução no primeiro trimestre, inclusive em fevereiro registramos o menor número de mortes da história do DF. A partir de maio, passamos a ter um acréscimo de mortes, em especial por causa de acidentes graves, em que num mesmo caso morreram duas ou mais pessoas, o que eleva as estatísticas.

2 |  Por que isso aconteceu?

Sabemos que o acidente é resultado de um conjunto de vários fatores: estado da via, condições climáticas, estado do veículo, mas principalmente comportamento do motorista e do pedestre. Sabemos também que a maioria dos acidentes, em especial os fatais, é causada por falhas humanas. Por isso acredito que a conscientização do motorista é fator determinante para a redução do número de acidentes. É preciso que cada um tenha clareza de sua responsabilidade ao conduzir um veículo, que somos responsáveis por nossa segurança e dos demais usuários das malhas viárias. No caso específico de Brasília, por mais que tenhamos conseguido manter o mesmo investimento de anos anteriores em educação de trânsito e o mesmo efetivo de fiscalização, houve um aumento significativo de eventos na cidade. Esse aumento de eventos de grande porte faz com que tenhamos de deslocar efetivo para dar suporte logístico, o que ocasiona uma queda do efetivo na rua para coibir as infrações e possíveis acidentes com vítimas.

3 |  Quais os comportamentos a serem evitados pelos condutores?
Além de não dirigir sob o efeito do álcool, o condutor precisa manter sua atenção na via, e hoje sabemos que um grande motivo de distração é o telefone celular.

4 |  Recentemente um motociclista morreu no Sudoeste atingido por uma condutora que falava ao celular. Alguma ação prevista para coibir essa prática cada vez mais comum?
Sim, como em novembro a infração por falar ao celular dirigindo tornou-se gravíssima, aprovamos uma campanha publicitária que será veiculada a partir deste mês de dezembro para alertar para os riscos de usar o celular ao volante. Vamos intensificar a fiscalização também, como fizemos com relação às motos no início do ano.
'O acidente é resultado de um conjunto de vários fatores: estado da via, condições climáticas, estado do veículo, mas principalmente comportamento do motorista e do pedestre' (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press )
"O acidente é resultado de um conjunto de vários fatores: estado da via, condições climáticas, estado do veículo, mas principalmente comportamento do motorista e do pedestre"

5 |  Acidentes com mortes são comuns nos casos que envolvem motociclistas?

As motocicletas são veículos mais versáteis, que permitem um deslocamento com mais agilidade e rapidez pelas vias, mas muitas vezes essa agilidade e essa rapidez são conflitantes com o comportamento defensivo do condutor, e faz com que se envolvam em acidentes que poderiam ser evitados, causando mortes ou graves sequelas. O condutor do carro deve saber que, tal como o pedestre, o motociclista é mais vulnerável e só tem o capacete para se proteger. E o motociclista deve respeitar as regras de circulação, o semáforo, dar seta, ou seja, o mesmo comportamento de segurança dos usuários do carro.

6 |  Com base nas estatísticas, há dias e horários em que mais ocorrem acidentes?
De acordo com dados que temos, normalmente ocorrem mais acidentes nos fins de semana, quando há aumento da frota de veículos circulando nas vias de ligação entre as cidades e a área rural, bem como aumenta o consumo de bebidas alcoólicas ou há falta de atenção por ser momentos de lazer. Isso reforça a tese de que o comportamento do condutor é determinante para a redução das vítimas do trânsito.

7 |  Como o Detran vai reverter esse índice mensal?
Esperamos que neste mês haja uma redução significativa no número geral, já que no período chuvoso as pessoas normalmente reduzem a velocidade,  mantendo a média em relação a outros anos. É preciso lembrar que, mesmo com esse aumento, ainda estamos com índices menores do que antes da Lei Seca, e isso mesmo com aumento substancial da frota de veículos.

8 |
  O governo está investindo em melhorias da estrutura viária?

Realizamos periodicamente ações de recuperação específica, de sinalização e restauração, algumas mudanças garantiram a redução da velocidade em Águas Claras, fizemos a inversão do trânsito nas avenidas Samdu e Comercial Norte, em Taguatinga, também com redução de velocidade. Percebemos que a redução de velocidade nas QNL, em Ceilândia, surtiu um grande efeito. Já fechamos contrato para a reinstalação de barreiras eletrônicas em pontos com risco de acidentes, o que deve ocorrer até o fim do ano. Enfim, são ações de engenharia de trânsito que buscam aumentar a segurança viária dos usuários.

9 |  Quanto o Detran pretende investir em educação no trânsito em 2017?

Temos orçamento de 15 milhões de reais para investir em campanhas educativas em 2017. Também daremos continuidade ao projeto Detran nas Escolas, que busca educar o futuro condutor.

10 |  Há previsão de novos projetos de monitoramento do trânsito no DF?
Sim, vamos implantar, até meados de 2017, o Trânsito Inteligente, que vai unificar em uma única central o controle de todos os equipamentos eletrônicos. Isso permitirá não só um melhor trabalho de fiscalização, mas nos dará mais agilidade na solução de problemas de engenharia de tráfego, por exemplo.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 59 | novembro de 2017