..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

COLUNA »

Na mesa

Jéssica Germano - Redação Publicação:31/05/2017 15:04Atualização:01/06/2017 11:22
ARES DESCOLADOS

Menos é mais e a premissa vale também para a gastronomia. Foi percebendo a demanda do público por experiências mais informais e rápidas que a restauratrice Fabiany Damasceno bolou, junto com o chef Wilian Mateus, novo formato para o restaurante que comandam. Batizado de Lounge do Limoncello, a parte da frente da casa passa a funcionar a partir de 7 de junho como um espaço para aperitivos e drinques, ideal para quem sai do trabalho e não necessariamente busca um jantar pomposo. Ao todo serão nove opções, entre finger foods para compartilhar e porções individuais, das quais fazem parte o arancini com aioli de manjericão e presunto de parma (28 reais) e o Anatra - lâminas de pato curado com crocante de alho, uvas sultanas e azeite de trufas em pão de cacau (38 reais). Um brinde à desconstrução!
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press )
HERANÇA COM GOSTO

Uma esquina recheada de histórias e memórias de sabor. Essa é uma das descrições possíveis para a Duna - Casa Húngara, aberta recentemente na 214 Norte, onde agora sobram referências ao país europeu. No menu estão a confeitaria e os clássicos salgados de lá, presentes desde a infância de Gabriela Korossy, filha de dois nativos refugiados de guerra. É ela quem coordena, ao lado do marido Laycer Tomaz, os preparos aprendidos com a mãe. “Ela fazia mágica na cozinha e aqueles aromas enchiam a casa”, recorda, com nítido carinho. A ideia de abrir um café nasceu justamente dessa saudade. O resgate afetivo aparece em tortas tradicionais do país, como a Dobos: seis camadas de massa genoise branca, com recheio de chocolate meio amargo, café, rum e cobertura de caramelo crocante (14 reais). Tarteletes de frutas feitas à risca, mil-folhas rústico e Sejtos Rudák (palitinhos de queijos em diferentes sabores) somam-se aos itens de cunho afetivo, que foram aperfeiçoados após uma temporada de três intensos meses na Hungria, no ano passado.
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
SABOR SEM SACRIFÍCIO

Ela precisou apenas de um estalo e ele não demorou a vir. Logo após lançar um menu degustação em três versões - todas fundamentadas em proteínas animais -, Marina Moura deu-se conta de que não conseguia mais consumir carnes como antes. Foi aí que a personal chef juntou a experiência em combinação de sabores e disciplina em produção, para criar a empresa Poesia Vegana. Estruturado em receitas congeladas, tem opções de almoço, lanche e jantar, com entrega aos sábados. Os kits, que podem ser de semanais a mensais, vão de 63,99 reais a 394,99 reais, sendo o último com 30 pratos e muitas combinações com abóbora, lentilha e espinafre, por exemplo. “A ideia é apresentar como protagonista ingredientes que antes só apareciam como coadjuvante”, diz a cozinheira, que teve ajuda de uma nutricionista.
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
SEM PARAR

Entre a demanda por consultorias, Rinaldo Honorato ainda consegue ter tempo para pensar em novidades para o BalcoNY 412, onde está, invariavelmente, nas noites de terça a sábado. Prova disso aparece não só nas criações surpresas frequentes, como no cardápio fixo do endereço, renovado no início de maio. “Aqui é como se fosse meu escritório de bar”, diz. Foi nesse espaço que surgiram um Clericot com xarope de hibisco feito por ele (30 reais) e o Negroni Espalhado, com espumante ao invés de gim e bitter (26 reais). Novidades que, segundo o barman paulista, que entendeu bem o público brasiliense, devem fazer companhia ao campeão de vendas da casa: o Lemongrass - gim, suco de limão, gengibre, capim-santo, cointreau e água tônica. Os próximos lançamentos devem ser no Beirute, onde Rinaldo desenvolveu drinques com os sorbês.
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
VOCÊ É O GARÇOM 

Imagine não precisar esperar até um atendente chegar à sua mesa para pedir aquela segunda rodada de breja ou o drinque do happy hour. Você pode fazer isso do seu celular, ao entrar no site do estabelecimento, acessar o cardápio e comandar o que deseja. Foi esse sistema que o empresário e especialista em TI Flavio Lenz criou. O formato, que começou a vigorar no Victrola, segue caminho no irmão mais novo Ziriguidum, que desde janeiro funciona na 412 Sul. O intuito, além de dar agilidade ao atendimento, é permitir que o cliente monitore seu pedido e tenha sua comanda individual. Processo que deixa mais fácil pedir qualquer coquetel na dose dupla da casa, das 18h às 21h, ou uma das comidinhas com toque nordestino e boas surpresas, como o feijãozinho verde borbulhante em creme de nata e queijo coalho (29 reais).
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
 
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 57 | Setembro de 2017