..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

O retrô está em alta

Cinco projetos de ambientes que valorizam a onda, com objetos e adornos com design vintage

Mariana Froes - Publicação:07/06/2017 13:43Atualização:07/06/2017 15:07
O velho e o novo estão sempre se reencontrando quando o assunto é decoração, seja em releituras ou mesmo na incorporação aos ambientes de peças e acessórios de décadas passadas. Muitos elementos retrôs trazem cores fortes em suas composições, que além de conferirem personalidade ao espaço podem remeter o espectador à sofisticação e ao luxo. As estampas também estão presentes nesse contexto. 
 
Os cinco ambientes reunidos aqui, assinados por profissionais da capital, seguem essa tendência. Entre eles, está o do arquiteto Roberto Carril. No espaço montado por ele no condomínio Ilhas do Lago, no Setor de Clubes Esportivos Norte (SCEN), o amarelo vibrante de uma das cadeiras contrasta bem com o preto presente no adesivo de parede, deixado clara a inspiração na década de 1960. Carril também aposta em uso de elementos decorativos de época, como uma máquina de escrever: “Mobiliário por vezes baixo, linhas retas, sofás ou poltronas com linhas refinadas e/ou pés-palito podem ser boas referências para quem quer decorar um ambiente com esse ‘ar de passado’”, explica. 
 
Ele destaca também a importância dos papéis de parede com desenhos e formas diferenciadas. “As texturas retrôs são tão diversas quanto exuberantes. Felpo, plástico, vinil, veludo, rendas, chenilhe, missangas e contas são algumas delas. Em termos de materiais utilizados, a madeira, os cromados, espelhados, lamé e o linóleo são boas pedidas. E é importante destacar que não existe qualquer receio em misturar tudo: formas, texturas, padrões ou cores”, diz o arquiteto.
 
  ESTILO E CONFORTO    
A arquiteta Larissa Dias apostou no uso de tacos claros no piso desta sala. Assim, ela bebe da fonte do passado sem deixar de conferir charme e modernidade ao ambiente. Para reforçar a pegada retrô da proposta, a profissional aposta no revestimento em couro para forrar as paredes e nos sofás curvos de madeira - referência de mobiliários antigos. A iluminação embutida e os tons claros remetem à ideia de confo (Clausem Bonifácio/Divulgação; Divulgação)

ESTILO E CONFORTO

A arquiteta Larissa Dias apostou no uso de tacos claros no piso desta sala. Assim, ela bebe da fonte do passado sem deixar de conferir charme e modernidade ao ambiente. Para reforçar a pegada retrô da proposta, a profissional aposta no revestimento em couro para forrar as paredes e nos sofás curvos de madeira - referência de mobiliários antigos. A iluminação embutida e os tons claros remetem à ideia de confo
 
  SOFISTICAÇÃO ATEMPORAL    Sofá em curvas, tons mais escuros, tapeçaria, quadros e papel de parede marcante e estampado. As escolhas da arquiteta Yeda Garcia para este espaço de convivência deram ao ambiente a essência do que é antigo, mas sem sair de moda. Nas paredes, o verde escuro acompanhado de flores desenhadas com um traço fino destacam-se em meio aos sofás com referências das décadas de 1950 e 1960. Todos os tons escolhidos harmonizam-se em um espaço bastante sofisticado, repleto de referências dos anos dourados. (Jomar Bragança/Divulgação; Divulgação)

SOFISTICAÇÃO ATEMPORAL

Sofá em curvas, tons mais escuros, tapeçaria, quadros e papel de parede marcante e estampado. As escolhas da arquiteta Yeda Garcia para este espaço de convivência deram ao ambiente a essência do que é antigo, mas sem sair de moda. Nas paredes, o verde escuro acompanhado de flores desenhadas com um traço fino destacam-se em meio aos sofás com referências das décadas de 1950 e 1960. Todos os tons escolhidos harmonizam-se em um espaço bastante sofisticado, repleto de referências dos anos dourados.
 
   CLÁSSICO LUXUOSO    A arquiteta Bárbara Paiva misturou estilos nesta sala de jantar. O clássico, apresentado de forma supercontemporânea, está presente no lustre, nos tons das poltronas ao redor da mesa e no papel de parede estampado. São releituras do luxo do passado sob a ótica de Bárbara. Para completar, as molduras douradas pelas paredes e a iluminação deixam o espaço ainda mais elegante e sofisticado. (Divulgação; William de Paula/Divulgação)

CLÁSSICO LUXUOSO

A arquiteta Bárbara Paiva misturou estilos nesta sala de jantar. O clássico, apresentado de forma supercontemporânea, está presente no lustre, nos tons das poltronas ao redor da mesa e no papel de parede estampado. São releituras do luxo do passado sob a ótica de Bárbara. Para completar, as molduras douradas pelas paredes e a iluminação deixam o espaço ainda mais elegante e sofisticado.

   CANTINHO DE VINIL    Os anos de 1950 e 1960 também foram referências para a decoração desta sala, assinada pelos arquitetos Lilian Glayna e Eduardo Sáinz, do escritório 1:1 Arquitetura. A dupla apostou na beleza da Pro-Ject, uma pick-up que toca discos de vinil high end e possui boa qualidade de áudio, além de sistema de projeção. A peça da Arte em Cinema 21 rendeu um ar retrô sofisticado ao espaço. A madeira nas mesas arredondadas, as telas e cortinas deram o toque final, conferindo personalidade ao ambiente.  (Edgard Cesar/Divulgação; Edgard Cesar/Divulgação)

CANTINHO DE VINIL

Os anos de 1950 e 1960 também foram referências para a decoração desta sala, assinada pelos arquitetos Lilian Glayna e Eduardo Sáinz, do escritório 1:1 Arquitetura. A dupla apostou na beleza da Pro-Ject, uma pick-up que toca discos de vinil high end e possui boa qualidade de áudio, além de sistema de projeção. A peça da Arte em Cinema 21 rendeu um ar retrô sofisticado ao espaço. A madeira nas mesas arredondadas, as telas e cortinas deram o toque final, conferindo personalidade ao ambiente.
 
  PERSONALIDADE JOVEM    O arquiteto Roberto Carril apostou na combinação de tons fortes neste projeto. Essa é, a propósito, uma das características marcantes da tendência retrô. Ele buscou inspirações na década de 1960 para criar um ambiente que funciona como um quarto e um escritório, que une lazer e trabalho de uma forma leve e agradável, com uma atmosfera jovem. E, com a incorporação de objetos singulares, como a máquina de escrever, o cavalete, entre outros, transmitiu bastante personalidade ao espaço, que não deixa de ser acolhedor e privativo. (Edgard Cesar/Divulgação; Alan Santos/Divulgação)

PERSONALIDADE JOVEM

O arquiteto Roberto Carril apostou na combinação de tons fortes neste projeto. Essa é, a propósito, uma das características marcantes da tendência retrô. Ele buscou inspirações na década de 1960 para criar um ambiente que funciona como um quarto e um escritório, que une lazer e trabalho de uma forma leve e agradável, com uma atmosfera jovem. E, com a incorporação de objetos singulares, como a máquina de escrever, o cavalete, entre outros, transmitiu bastante personalidade ao espaço, que não deixa de ser acolhedor e privativo.
 
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 57 | Setembro de 2017