..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Para a hora do sim

Tons de branco e nude em modelagens sofisticadas e com sutil transparência das rendas, além de delicados bordados passeiam pelos looks preferidos da estação

Rebeca Oliveira - Publicação:26/06/2017 16:43Atualização:27/06/2017 10:59
Encontrar o par ideal, ter a tal “sorte de um amor tranquilo”, decidir passar a vida juntos, acertar a data e definir detalhes da cerimônia. Tomando de empréstimo, e adaptando-o para a ocasião, um ditado popular, casar-se é padecer no paraíso. É normal que a noiva centralize as decisões, inclusive a principal delas: a escolha do vestido para a hora do aguardado “sim”.
 
Sete ateliês brasilienses abrem as portas e mostram as criações mais recentes para facilitar a maratona em busca do modelo certeiro. Com um olho nas tendências e o outro na tradição, as opções atendem de festas incensadas para centenas de convidados a cerimônias intimistas no jardim, no melhor modo bucólico.
 
Foi para o último caso que a estilista Maria Virgínia lançou a coleção Jardim, Campo e Praia. “Notei que muitas mulheres estavam se casando em festas pequenas, talvez um reflexo da situação econômica do país. Na outra ponta, noivas têm escolhido destinos paradisíacos (destination wedding), como o Caribe, para subir ao altar”, conta a empresária, há quatro décadas neste nicho. 
 
Júlia Penteado, que comanda um ateliê homônimo, completa a ideia: “Percebo que as clientes têm procurado por algo que seja a cara delas – sem se preocupar em se encaixar em padrões”. Assim como ela, a estilista Vivian Spier entende a representatividade da função, que vai além da moda e de escolhas têxteis: “Nosso trabalho gera uma proximidade muito grande com a noiva. É normal estarmos lado a lado em alguns momentos de estresse e angústias”, diz. 
 
Faça o melhor estilo Cinderela ou faça a linha noiva moderna, há sempre um vestido para chamar de seu.  

 
 (Rodrigo Bueno/Divulgação)
 Romantismo com estilo

Com vestidos de noivas em que a feminilidade e o romantismo dão o tom, o libanês Lucas Anderi – radicado em São Paulo – conquistou uma boa clientela em Brasília, principalmente após a participação no Luxo de Festa, maior evento do segmento na cidade. Ele está no mercado há mais de 16 anos, mas apenas há quatro começou a produzir peças autorais. “Já estou na quarta coleção”, afirma. Rendas, plumas e flores ressurgem com frequência em um estilo único que o consagrou entre os maiores do país, a ponto de ser convocado como um dos especialistas do programa Fábrica de Casamentos, exibido no SBT. No ateliê na movimentada rua Bela Cintra, na capital paulista, trabalha apenas com vendas. 

 (Divulgação )
Quatro estilos de renda

As mais de quatro décadas vestindo noivas de Brasília não fizeram a mineira Maria Virgínia Valadares acomodar-se na profissão. Não por menos, entre tantos pontos altos do currículo, destacam-se os figurinos feitos para algumas produções da Rede Globo. Na moda noiva, ela é incansável. Todos os anos, lança ao menos três coleções. A última chama-se Jardim, Campo e Praia. “São vestidos com uma pegada desestruturada, com uma cara quase de camisola. Usei dois tipos de musselina e um mix de até quatro estilos de rendas que conversam entre si”, explica. O aluguel de um modelo do Ateliê Maria Virgínia, que fica no Lago Sul, sai a partir de 5 mil reais. Para a compra, o valor começa em 10 mil reais. Na próxima coleção, com o tema Amor, rendas turcas e iranianas de difícil importação estão sendo bordadas sob tule.
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press )
Preferência pelos clássicos

No La Fiancée, ateliê localizado no Lago Sul, a noiva pode escolher entre marcas importadas (entre as quais a norte-americana Allure Bridals) ou peças de criação própria. Para facilitar a vida das clientes, a proprietária Carolina Moraes detalha passo a passo pelo site, com versão para celular. O investimento inicial para locação é de 3 mil reais, ou de 9 mil reais para venda. Por mais que tendências minimalistas surjam no mercado, a empresária explica que os vestidos de noiva do tipo princesa, confeccionados em renda, permanecem entre os mais pedidos. Com saias volumosas ou caudas longas, os clássicos vencem na preferência da clientela da marca, fundada há seis anos. “Os mais imponentes são os mais lembrados. É o tipo de vestido que só se tem a chance de usar no dia do casamento. É um momento único e quem escolhe está bem decidida, porque faz parte de um sonho da vida inteira”, diz Carolina. (Na foto, a modelo Juliana Moreschi. Maquiagem de Paulo Lobo e cabelo de João Guedes).
 (Divulgação)
Confecção artesanal

A marca capitaneada pela estilista Júlia Penteado existe desde 2011, quando ela se propôs a fazer o vestido que a irmã usaria na formatura. De dois anos para cá, Júlia migrou da moda festa exclusivamente para a confecção artesanal de vestidos de noivas, dentro de uma linha mais autoral. Justamente por isso, ela evita falar em preços. Tudo é pessoal e sob medida, diz. A autenticidade do trabalho se dá na escolha dos tecidos: renda, musselina e troller de seda aparecem aos montes. Os três são leves e fluidos, longe de silhuetas marcadas. O uso de pérolas é recorrente e dá a delicadeza necessária ao resultado final. “Noivas com referências boho [mistura de vários estilos] ou mais românticas estão em alta”, afirma a estilista. O Atelier Júlia Penteado fica no Sudoeste.
 (Kakai Fotografia/Divulgação)
Para todas as noivas

Foi na adolescência que a estilista Vivian Spier encontrou-se com a paixão de produzir as próprias peças, motivada pela falta de opções nas lojas. Exatamente por isso trabalha com numeração diversa, dos tamanhos 34 ao 56, que custam a partir de 3.500 reais. Afinal, toda mulher merece se sentir exuberante no grande dia. Lançada em maio, a coleção Dream vai do tradicional branquíssimo com mangas longas ao ousado midi rock’n roll preto e branco. O ateliê de Vivian fica em Águas Claras.
 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press )
Inspiração para criar

Além de representar marcas importadas que são ícones na moda noiva, como Elie Saab e Vera Wang, a estilista Débora Morais também põem a mão na massa e cria vestidos a partir do zero. A última coleção, batizada de Inspiração, nasceu após uma viagem à Disney. “Tem um toque de romantismo e leveza, mas com um ar de princesa contemporânea, com transparências e aplicações simétricas em renda, compradas em viagem a Barcelona”, detalha Débora, que também fincou as bases no Lago Sul. 
 (Neilton Fernandes/Divulgação  )
Mundo fashion 

Com início em 1996, a marca de Fernando Peixoto reflete sua paixão pelo mundo fashion. Ele trabalha com venda, aluguel e peças personalizadas, a partir de 4 mil reais, a depender do que for exigido. A escolha começa com uma pré-entrevista com a noiva. “A função do estilista é valorizar dentro das técnicas da alta costura o que a cliente tem de melhor”, afirma Fernando. Entre as novidades, os arabescos e as rendas em 3D estão no auge. “As mudanças são sutis porque a moda noiva é muito atemporal”, diz ele.
COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 57 | Setembro de 2017