..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

COLUNA »

Papo de garagem

Coluna traz as últimas informações do cenário automotivo

Fábio Doyle - Publicação:12/09/2017 15:39Atualização:12/09/2017 16:03

BOLT NO BRASIL

Enquanto a General Motors não traz para o Brasil o Chevrolet Bolt, seu carro elétrico produzido nos Estados Unidos, um importador independente de São Paulo se adiantou e trouxe cinco unidades para o Brasil. O Bolt é equipado com motor 100% movido a eletricidade, tem potência de 202 cv e 36,7 kgfm de torque, o suficiente para levá-lo de zero a 100 km/h em sete segundos, e autonomia de 383 km. O carro tem motor exclusivamente elétrico associado ao câmbio automático Electronic Precision Shift (que tem um seletor com ajuste para rodar em baixa velocidade e usar os freios regenerativos para recarregar a bateria) e vem equipado com sistema On Star, que inclui ainda navegação e entretenimento. No aspecto segurança, o Bolt traz 10 airbags, sistema de aviso de colisão e mudança de faixa, freio automático para pedestres, alerta de pontos cegos, sistema de distribuição de frenagem e de tração StabiliTrak. A iniciativa partiu de um pedido de cliente do Rio de Janeiro, que pagou R$ 289 mil pelo carro.

 (Divulgação)
 

GOLF NA CORDA BAMBA

Com vendas em curva descendente, a Volkswagen está em processo de decisão sobre eventual interrupção da produção nacional do VW Golf em São José dos Pinhais, no Paraná. Essa possibilidade foi ventilada em entrevista dada ao site Automotive Business por David Powels, presidente da marca para Brasil e América do Sul. Atualmente, o segmento de hatches representa apenas 1,27% de todos os carros emplacados desde janeiro deste ano. A montadora informa que ainda não há planos de paralisar a produção nacional do carro no Paraná, mas que o fraco desempenho do segmento tem feito a marca pensar como trabalhar melhor o modelo no mercado brasileiro. Por se tratar de um veículo global e que é exportado para outros países a partir da planta de São José dos Pinhais, encerrar a linha de montagem do hatch, por enquanto, estaria fora de cogitação, admite a Volks. O Golf está na segunda colocação entre os mais emplacados do segmento, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Os números, no entanto, são baixos: no acumulado do ano, emplacou 2.461 unidades, enquanto o líder Chevrolet Cruze Sport6 está com 3.222 veículos. Na classificação geral, é apenas o 60º carro mais licenciado no país.

 

MAIS UM MINI

A MINI Brasil confirma a chegada do MINI John Cooper Works Countryman ALL4 ao país ainda neste ano. O mais potente integrante da linha Countryman tem motor de quatro cilindros, 2.0 litros, dotado de tecnologia TwinPower Turbo e potência de 231 cv, entre 5.200 a 6.000 rpm, e 320 Nm de torque máximo, já a partir de 1.450 rpm até 4.500 rpm. A transmissão é automática esportiva Steptronic de oito velocidades e tração nas quatro rodas (ALL4). Entre os principais equipamentos do ALL4 destacam-se: rodas 19 polegadas John Cooper Works Course Spore, bancos esportivos John Cooper Works, MINI Driving Modes, MINI Head Up Display, sistema de audio Hi-Fi Harman/ Kardon, tela touch de 8,8 polegadas com HD interno de 20 GB e touch controller no console central, sistema de navegação MINI Professional e teto solar panorâmico elétrico em cristal. O preço para o mercado brasileiro ainda não foi definido. Será divulgado na data do lançamento, também ainda não definida.

 (Divulgação )
 

LACUNA PREENCHIDA

Lacuna preenchidaA Daimler escolheu Cape Town, África do Sul, para revelar ao mundo sua picape Classe X, que terá os países do Hemisfério Sul como seus principais mercados. Era a lacuna que faltava ser preenchida no portfólio da Mercedes-Benz. Em três diferentes estilos, chega ao mercado alemão em novembro ao preço aproximado de 37 mil euros. No Brasil e Argentina, a Classe X está prometida para o início de 2019. Em sua versão top de linha, ela terá motor diesel de seis cilindros de alto torque (258 hp) e tração integral permanente. Nas básicas oferece os também diesel 220 d (163 hp) e o 250 d (190 hp). Para mercados específicos, entra na oferta o motor a gasolina de 165 hp. A picape alemã é produzida em cooperação com a Aliança Renault-Nissan. Para os mercados europeus, australiano e sul-africano, a produção é na fábrica da Nissan em Barcelona, Espanha. Para o mercado latino-americano, a linha de montagem será a unidade industrial da Renault em Córdoba, na Argentina.

 (Divulgação)
 

FAMÍLIA MQB-A0

Enquanto uma nuvem escura paira sobre o Golf, a Volkswagen prepara a produção de uma nova família no Brasil, toda com a plataforma MQB-A0, uma variação da MQB do Golf para carros menores. É a base do novo Polo, que será lançado por aqui até novembro. Em seguida será a vez do Virtus, sedã que vai brigar com Chevrolet Cobalt e Honda City. Para o ano que vem, virá a versão definitiva do T-Cross, SUV compacto rival do Honda HR-V. Além disso, a marca trabalha em uma nova picape, acima da Saveiro, e em mais um SUV, o T-ROC feito na base do Golf. A VW confirmou para 2018 a produção nacional do crossover T-Cross. E o local já está definido: a fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. O T-Cross é inspirado no conceito T-Cross Breeze, que foi apresentado no Salão de Genebra em 2016.

 (Divulgação)

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 59 | novembro de 2017