..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

VEÍCULOS | BALANÇO »

Pode melhorar: indústria automobilística começa o ano otimista

Também vítima da crise política e econômica que abala o pais, a indústria automobilística começa em 2018 olhando no retrovisor um 2017 que empata com 2016 e otimista, sem demonstrar euforia em relação ao futuro

Fábio Doyle - Publicação:23/01/2018 11:27Atualização:23/01/2018 12:22

Uma esperança paira sobre 2018 para a indústria automobilística. A expectativa é de que, em ano de eleições e contando-se com a aprovação das reformas que prometem fortalecer a economia, as vendas de automóveis possam “respirar” com maior tranquilidade e voltem a crescer. Nos últimos meses de 2017 já se verificou um modesto saldo positivo.

O Chevrolet Onix: líder em volume de emplacamentos em 2017, apesar do resultado ruim no teste de impacto  (Divulgação)
O Chevrolet Onix: líder em volume de emplacamentos em 2017, apesar do resultado ruim no teste de impacto

O resultado do ano, a se manter a média dos 11 primeiros meses (pouco menos de 179 mil unidades), deverá finalmente ultrapassar a casa dos 2 milhões de automóveis e comerciais leves emplacados no país. Até o fechamento desta edição, não tínhamos os resultados oficiais de 2017. Seja ele qual for, ainda estaremos abaixo de 2015, quando 2,48 milhões de carros foram emplacados, segundo relatório da Fenabrave, a associação de concessionários autorizados.

 

O troféu de líder em volume de emplacamentos de 2017 permaneceu com o Chevrolet Onix, que liderou também em 2016. Está aí a prova inconteste de que o fator segurança ainda não é muito levado em conta pelo consumidor brasileiro. O fato de o Latin NCAP (programa de avaliação independente de carros novos para América Latina e Caribe) haver divulgado um resultado ruim nos testes de impacto lateral do modelo em nada afetou a venda do compacto Chevrolet.

 

O ranking de emplacamentos permaneceu inalterado até a terceira posição, com o Ford Ka (outro que levou bomba no Latin NCAP). Já a quarta posição foi tirada do Chevrolet Prisma pelo VW Gol, que no ano passado foi apresentado em sua nova geração e reconquistou consumidores. O Renault Sandero, também renovado em 2017, subiu de sétimo para o quinto lugar, que era do Toyota Corolla. No segmento dos automóveis, entre as relativamente poucas novidades que surgiram em 2017, merecem destaque o Fiat Argo e o Renaukt Kwid. O primeiro enfrentou e ainda enfrenta algumas dificuldades em alçar voo, por questões exclusivas de posicionamento de preço, e terminou o ano em 28º lugar. O segundo, mais recente, mostra uma curva de vendas crescente e encerrou 2017 em 32º lugar.

O Jeep Compass, lançado em 2017 com boa relação custo-benefício, utilitário esportivo desbancou o Hond HRV do primeiro lugar em vendas no segmento  (Divulgação )
O Jeep Compass, lançado em 2017 com boa relação custo-benefício, utilitário esportivo desbancou o Hond HRV do primeiro lugar em vendas no segmento
 

O segmento de SUVs, os utilitários esportivos, que arrebatou o desejo de consumo do mercado, foi o que mais novidades apresentou em 2017. Foram nove os lançamentos “totalmente novos”. Se olharmos para os volumes de vendas, o mais bem-sucedido é o Jeep Compass, que tirou do Honda HRV a liderança no segmento. O segredo é a interessante relação custo-benefício que o SUV da FCA (Fiat Chrysler Automobile) oferece em relação aos concorrentes. Outro que termina o ano botando banca é o Hyundai Creta, que tomou do Ford Ecosport o terceiro lugar no ranking. Com a chegada dessas novidades, o Jeep Renegade caiu de segundo lugar em 2016 para quarto em 2017, mas promete reconquistar degraus com a maciça campanha e ofertas com preços promocionais que o fabricante colocou no ar nos dois últimos meses do ano.

 

O Honda WR-V e o Renault Captur, oitavo e nono lugar no ranking de 2017, respectivamente, demonstram certa dificuldade em conquistar degraus mais altos. Já o Chevrolet Equinox, que chegou no fim do ano, tem qualidades de acabamento, conteúdo, motorização e preço para conquistar melhor colocação do que o 35º com que fechou o ano. É questão de tempo. O mesmo pode ser considerado para o Peugeot 3008, que, na atual geração lançada no segundo semestre de 2017, um projeto totalmente novo, se aproxima mais da categoria Premium.

O Argo, novo hatch da Fiat: novidade ainda enfrenta dificuldades para alçar voo por causa do posicionamento de preço  (Divulgação )
O Argo, novo hatch da Fiat: novidade ainda enfrenta dificuldades para alçar voo por causa do posicionamento de preço
 

O Nissan Kicks, que em 2016 e parte de 2017 era importado do México e a partir da metade do segundo semestre passou a ser produzido no Brasil, pulou do sétimo para o quinto lugar no ranking e dá indicações que tem fôlego para subir mais. Completam os nove novos membros do segmento SUV que chegaram ao mercado brasileiro em 2017 os sofisticados Jaguar FPace e o Mercedes-Benz GLC. São modelos tipicamente Premium, situados no quadrante superior da categoria, com elevado nível de tecnologia e acabamento e, por isso mesmo, entre os mais caros do mercado. A posição de 36º e 38º em que terminaram o ano, com vendas de aproximadamente 700 unidades, está dentro da expectativa das marcas que representam.

 

PRINCIPAIS LANÇAMENTOS DE 2017

 

Automóveis

èFiat Mobi

èFiat Argo

èRenault Kwid

èVolkswagen Polo 

 

SUVs (utilitários esportivos)

èJeep Compass

èHyundai Creta

èHonda WR-V

èRenault Captur

èChevrolet Equinox

èJaguar FPace

èPeugeot 3008

èMercedes-Benz GLC

 

 

(Obs: A relação acima inclui apenas os veículos totalmente novos lançados; não foram incluídos os carros que passaram apenas por remodelações e atualizações) 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 62 | março 2018